PUBLICIDADE
Topo

Varejista de móveis sueca IKEA vai comprar de volta mobília descartada

Quarto da marca sueca IKEA - Divulgação
Quarto da marca sueca IKEA Imagem: Divulgação

Lígia Nogueira

Colaboração para Ecoa, em São Paulo

14/10/2020 12h04

Comprou um móvel novo e não sabe o que fazer com o antigo? Se estivesse na Suécia, você provavelmente poderia vendê-lo de volta ao fabricante. É isso que a gigante varejista IKEA pretende fazer em uma iniciativa que ajuda a promover a economia circular e pode servir de exemplo para empresas do mundo inteiro.

A empresa de móveis, que vai comprar de volta mobiliário por até 50% do preço original, diz que as peças serão revendidas como móveis de segunda mão, criando uma solução mais sustentável para o descarte de peças fora de uso. A meta, segundo a empresa, é se tornar um negócio totalmente circular e favorável ao clima até 2030.

"Ser circular é uma boa oportunidade de negócios, bem como uma responsabilidade, e a crise climática exige que todos repensemos radicalmente nossos hábitos de consumo", disse o gerente de sustentabilidade da IKEA para o Reino Unido e Irlanda, Hege Sæbjørnsen, em entrevista ao site "Dezeen".

De acordo com o executivo, "atualmente 45% do total das emissões globais de carbono vêm da maneira como o mundo produz e usa produtos do dia a dia, então o 'Buy Back' representa uma oportunidade para lidar com o consumo insustentável e seu impacto nas mudanças climáticas".

Para ele, o movimento em direção a uma economia circular tornou-se mais urgente com a pandemia do coronavírus.

A empresa também vai lançar este ano sua primeira loja de segunda mão na Suécia, que venderá móveis reformados.