PUBLICIDADE
Topo
Desigualdade

Desigualdade

G10-FW: Favelas brasileiras lançam semana de moda para questionar mercado

Gilson Rodrigues (esq.), líder comunitário de Paraisópolis, e o estilista Jum Nakao durante apresentação do projeto Costurando Sonhos - Gustavo Lira
Gilson Rodrigues (esq.), líder comunitário de Paraisópolis, e o estilista Jum Nakao durante apresentação do projeto Costurando Sonhos Imagem: Gustavo Lira

Gloria Maria

Colaboração para Ecoa, de São Paulo

02/10/2020 04h00

Em setembro comemora-se a semana de Paraisópolis para marcar a criação da comunidade, que foi loteada há 99 anos e celebrou seu 12º aniversário oficial. A data trouxe mais um marco para a história da comunidade: o lançamento de uma coleção de roupas do projeto Costurando Sonhos, que tem o objetivo de fortalecer a moda local e ajudar economicamente os produtores. Agora, a vontade é levar o conceito para todo o país.

Pensando nisso, o G10 das favelas lançou o edital do G10 Fashion Week, uma semana de moda totalmente criada pela periferia, que está saindo de Paraisópolis para trazer diversidade, descolonizar o que é entendido como moda e fortalecer a economia local, gerando renda para os empreendedores Brasil afora.

Gilson Rodrigues, líder comunitário de Paraisópolis, diz que o G10-FW vem para provocar o SPFW - São Paulo Fashion Week, a principal semana de moda brasileira — a entender que a moda é diversa e que existem designers, costureiras e costureiros na comunidade e que esses artistas não são colocados nas passarelas. Não à toa a semana de moda do G10 acontecerá nos mesmos dias da concorrente criada há 25 anos por Paulo Borges.

Suéli do Socorro, co-fundadora do G10 e uma das idealizadoras do Costurando Sonhos, afirma que G10FW tem um papel fundamental no desenvolvimento e apoio de artistas de todo país e que criar moda de dentro para fora, da periferia para o centro, traz o impacto da representatividade, "acreditamos em uma moda inclusiva, não gostamos de segregação, queremos todos!", afirma.

À frente do G10-FW está o estilista Jum Nakao, que tocará a concepção, criação e mentoria do projeto. Jum é referência em moda conceitual no Brasil e responsável por um emblemático desfile no SPFW em 2004: modelos vestiam criações feitas de papel, que foram rasgadas ao fim da apresentação.

Jum, que também esteve presente na semana do aniversário de Paraisópolis, contou a Ecoa que desde aquela apresentação na semana de moda paulistana a lógica do mundo não mudou, ou seja, muitos servem a poucos que detêm o poder. Com o projeto, ele pretende ajudar a melhorar o mundo e diminuir a pobreza em todas suas formas e lugares.

O estilista relata que são 35 anos de caminhada, em que tem refletido sobre seu papel no mundo e que sente que está livre e pronto para servir quem precisa. Para ele, a moda pode gerar dignidade, esperança, trocas e quebra de preconceitos, além de exercer um papel de respeito e coexistência entre todos — uma perspectiva de afirmação da moda periférica.

A moda na qual acredito vai muito além do visível. Ela veste as pessoas de dignidade e esperança, não discrimina ou distingue origens, gera oportunidade de trocas

Jum Nakao, idealizador do G10-FW

A moda como negócio

O líder comunitário Gilson Rodrigues diz que, no lançamento da semana de Paraisópolis, estiveram presentes representantes de oito estados para prestigiar o desfile da coleção do projeto, e as costureiras e costureiros, mostrando que a favela pode transpassar a barreira na cabeça das pessoas de que eles não "produzem só pano de prato bordado e barra da calça de zíper".

Desfile de moda durante festa de aniversário de Paraisópolis - Gustavo Lira - Gustavo Lira
Desfile de moda durante festa de aniversário de Paraisópolis
Imagem: Gustavo Lira

Uma das preocupações dele é a taxa de desemprego agravada pela pandemia, e o projeto seria mais uma ação voltada aos moradores da comunidade.

"A melhor forma de garantir e combater a desigualdade é colocando dinheiro no bolso das pessoas. Vamos focar em estimular os comércios, empreendedores e garantir que o máximo de pessoas do Paraisópolis possa ter emprego. Estamos criando uma rede grande de empresas que tem ajudado nesse sentido, pretendemos ter centenas de vagas para oferecer à comunidade.", relata.

O edital do G10FW está aberto para criadores de todo o país e vai acontecer paralelamente à programação do SPFW (datas a serem definidas). As inscrições vão até 22 de outubro, e os projetos contemplados serão anunciados em 12 de novembro.

Desigualdade