PUBLICIDADE
Topo

Aquecimento global

Relógio em NY mostra tempo que resta para lutar contra o aquecimento global

Relógio Metronome, em Union Square, na cidade de Nova York - Ben Hider/Getty Images
Relógio Metronome, em Union Square, na cidade de Nova York Imagem: Ben Hider/Getty Images

De Ecoa, em São Paulo

22/09/2020 17h52

O relógio Metronome, na Union Square, em Nova York, deixou de mostrar as horas na contagem normal e passou a informar o tempo restante que o mundo tem para agir contra a crise climática.

No último sábado (19), às 15h20, o visor começou a mostrar a seguinte mensagem: faltam 7 anos, 103 dias, 15 horas, 40 minutos e 7 segundos. Após isso, o tempo continua decrescendo, como prazo para serem tomadas medidas urgentes.

Em referência à semana do clima, que acontece entre 21 e 27 de setembro, a ideia desenvolvida por Gan Golan e Andew Boyd faz uma linha do tempo compartilhada para evitar que os efeitos do aquecimento global se tornem irreversíveis.

"Esta é a nossa maneira de gritar esse número do alto", disse o artista Golan, antes de a contagem regressiva começar ao New York Times. "O mundo está literalmente contando conosco."

"O relógio é uma forma de falar da ciência ao poder. O relógio está nos dizendo que devemos reduzir nossas emissões o máximo que pudermos e o mais rápido possível. A tecnologia está aí. Podemos fazer isso e, no processo, criar um mundo mais saudável e justo para todos nós. Nosso planeta tem um prazo. Mas podemos transformá-lo em uma tábua de salvação", disse Boyd, ao portal Earth.

Os artistas ainda disseram que já tinham feito uma versão portátil do relógio para a ativista Greta Thunberg, antes de sua aparição na Cúpula de Ação Climática da ONU (Organização das Nações Unidas).

Aquecimento global