PUBLICIDADE
Topo

Meio ambiente

Músico Boy Pablo mostra que não precisa ser ativista para ajudar o mundo

O músico norueguês Boy Pablo, nome artístico do jovem Nicolás Muñoz - William Glandberger/Divulgação
O músico norueguês Boy Pablo, nome artístico do jovem Nicolás Muñoz Imagem: William Glandberger/Divulgação

Fernanda Schimidt

De Ecoa, em São Paulo

10/09/2020 04h00

Nem todos os jovens da Geração Greta estão liderando movimentos globais para alertar a população sobre a urgência das mudanças climáticas como a sueca Greta Thunberg, de 17 anos. Mas compartilham a consciência de que o aquecimento global é, de fato, um problema real.

"Lembro de aprender sobre mudanças climáticas e aquecimento global na escola, então esse é o primeiro passo", diz o norueguês Nicolás Muñoz, de 21 anos. Ele também está acostumado a viajar o mundo nos últimos anos, mas por razões que nada têm a ver com ativismo.

Nicolás é o jovem por trás de Boy Pablo, banda sensação no circuito indie pop, que estourou na Internet quando os algoritmos do YouTube escolheram entregar seu clipe de "Everytime" para milhões de novos fãs.

"Tenho visto que a geração mais velha está mais ligada em teorias da conspiração do que fatos, então eles acreditam em qualquer coisa que faça a vida deles mais confortável", comenta sobre a dificuldade de pessoas mais velhas se envolverem na preservação do meio ambiente. "As pessoas, incluindo eu, têm de ser ainda mais conscientes sobre as consequências de quão ruim tudo pode ficar."

Vista da casa de Nicolás Muñoz, artista norueguês conhecido como Boy Pablo, em Bergen - UOL - UOL
Vista da casa de Nicolás Muñoz, artista norueguês conhecido como Boy Pablo, em Bergen
Imagem: UOL

Nicolás conversou com Ecoa em uma manhã nublada de sua casa em Bergen, região na costa norueguesa famosa por montanhas, fiordes e uma ocasional aurora boreal. Ele ainda decidia o que fazer para o café-da-manhã e se preparava para o show no festival Amazon Alarm, promovido pelo Greenpeace para arrecadar fundos para combater as queimadas na Amazônia.

Mesmo tendo aulas sobre as mudanças climáticas, o músico confessa que chegou a questionar a gravidade do problema. "Sendo super honesto, eu era uma das pessoas que pensavam que ativistas pelo clima estavam exagerando. Mas fico feliz de ter aproveitado para realmente ler e aprender. Agora tento ser mais como um amigo do meio ambiente", conta.

Para isso, ele aproveita o que Bergen tem a oferecer. "A cidade é coberta por árvores, é umas das coisas que a faz ser tão bonita. Também é fácil para fazer hiking nas montanhas e estar no meio da natureza. Eu amo."

Um dos principais nomes no lineup do Amazon Alarm, que teve ainda a conterrânea Aurora e artistas independentes brasileiros, Boy Pablo já visitou o Brasil em turnê, mas não chegou a pisar na floresta, que está em seu imaginário desde quando ouviu falar a primeira vez, na escola. "A Amazônia parece um lugar dos sonhos para mim".

O jovem acredita que você não precisa ser um ativista para fazer a sua parte. "Eventos beneficentes como esse são um jeito divertido [de apoiar]. Também espalhar conhecimento nas redes sociais e repostar fatos cientificamente corretos sobre o meio ambiente. Aprender e levar isso para conversas do dia a dia", finaliza.

Meio ambiente