PUBLICIDADE
Topo

Iniciativas que inspiram

Em falta no AC: Alunos criam projeto para produzir e doar álcool em gel

Álcool produzido no projeto Mãos que Salvam, de alunos da Universidade Federal do Acre - Caique Brasil
Álcool produzido no projeto Mãos que Salvam, de alunos da Universidade Federal do Acre Imagem: Caique Brasil

Tácita Muniz

Colaboração para Ecoa, de Rio Branco (AC)

21/07/2020 13h36

O toque pelas mãos é um dos principais meio de transmissão do coronavírus, mas são elas também que dão nome a um projeto de alunos da Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco, que produz álcool em gel para distribuir a profissionais de serviços essenciais e que estão expostos diariamente à doença.

O projeto Mãos Que Salvam é coordenado pelo farmacêutico Dayan Marques, professor do Centro de Ciências da Saúde da Ufac. Ele conta que, mesmo com as aulas suspensas devido à pandemia, há muitas ações voltadas para o corpo acadêmico, principalmente da área de saúde.

A Ufac abriu vários editais para projetos de extensão e foi daí que surgiu a ideia de montar um laboratório para produzir e distribuir um produto essencial durante a pandemia e que chegou a faltar nas prateleiras dos mercados no estado: o álcool em gel.

"Os alunos de enfermagem deram a ideia do projeto. Chamamos de 'mãos que salvam', porque a mão é o veículo de maior contaminação, basicamente. Então, o produto mais usado hoje em dia é álcool em gel, então elegemos várias categorias de serviços essenciais porque esse pessoal está superexposto", diz.

Marques diz que, pelo fato de ainda não se ter uma vacina contra a doença, a prevenção ao vírus é a principal arma neste momento. No último boletim da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), divulgado na sexta-feira (17), dia da entrega da primeira leva dos produtos, o estado registrava 16.965 casos confirmados de Covid-19 e 452 mortes pela doença.

Enquanto outras cidades se preparavam para a retomada das atividades comerciais. A situação no Acre continua grave. Apenas a região do Vale do Juruá está na fase laranja, que é de alerta. As regiões do Baixo e Alto Acre continuam na bandeira vermelha, de emergência.

O projeto Mãos que Salvam fez sua primeira entrega de álcool em gel para trabalhadores essenciais no Acre - Caique Brasil - Caique Brasil
O projeto Mãos que Salvam fez sua primeira entrega de álcool em gel para trabalhadores essenciais no Acre
Imagem: Caique Brasil

Universidade doa o álcool, alunos transformam em 70%

Com o projeto aprovado, o grupo também teve que ir atrás de recursos, até que conseguiram em junho uma doação de R$ 18 mil do Ministério Público do Trabalho (MPT) e ainda criaram uma vaquinha virtual. Todo o laboratório foi montado do zero, um verdadeiro trabalho de formiguinha.

"Não ficamos focados no profissional de saúde, porque já tem muita ação em cima deles, e a gente focou no trabalhador de serviços essenciais, porque se eles param, nada funciona na cidade."

Eles produzem álcool em gel; álcool glicerinado, que é o líquido, mas com adicional de glicerina para não ressecar as mãos e o sabonete líquido. Porém, o professor diz que as próximas produções devem focar apenas no álcool.

Ao todo, são 12 alunos de enfermagem e cinco de nutrição. A universidade doa o álcool e eles fazem a conversão do produto para a concentração adequada para eliminar o vírus, que é de 70%. A estimativa do grupo é conseguir entregar quatro toneladas do produto.

O Educandário Santa Margarida foi um dos locais que recebeu doações dos alunos da Ufac - Caique Brasil - Caique Brasil
O Educandário Santa Margarida foi um dos locais que recebeu doações dos alunos da Ufac
Imagem: Caique Brasil

Ajuda veio em boa hora

Depois de meses de preparação, as entregas começaram nesta sexta-feira (17) para militares, motoristas de ônibus e para o Educandário Santa Margarida, que hoje acomoda 32 crianças em vulnerabilidade social.

Durante todo o dia, foram entregues 200 litros de álcool 70; 110 quilos de álcool em gel e 5 litros de sabonete líquido. As entregas devem seguir um cronograma de acordo com a produção e demanda.

Para quem recebeu, a ajuda veio em boa hora. Como no caso do Educandário Santa Margarida. A direção explica que a demanda aumentou no abrigo nessa pandemia. Com as crianças sem poderem ir para aula, mais gente teve que dar suporte no atendimento, o que aumenta mais ainda a necessidade de equipamentos de proteção e também produtos de higienização.

"Veio em um momento muito importante, porque estamos precisando. Alguns locais puderem parar na pandemia, mas nós não podemos. Tem chegado crianças diariamente ao educandário. Então, temos muitos gastos para manter a higienização, comprar máscaras e álcool em gel", explica o coordenador financeiro do abrigo, Nilton Cosson.

Outra categoria que recebeu os produtos foi a dos motoristas de ônibus, que continuam trabalhando e expostos. Eles lembraram que o fato de lidarem com dinheiro o tempo todo aumenta ainda mais a possibilidade de contaminação.

O presidente do Sindicato dos Transportes do Acre (Sinttpac), Francisco Marinho, disse que já perdeu colegas de profissão para a doença e que esse tipo de ajuda é muito importante.

"A gente que mexe com dinheiro o tempo todo, usa muito álcool em gel e estamos tentando negociar com as empresas para que isso não falte, então veio em um momento muito importante para a gente que não pode parar", destaca.

O motorista Everson Albuquerque ficou surpreso com a doação, mas agradeceu ao grupo. "Muito legal que estão desenvolvendo álcool em gel para fazer doação e recebemos o produto. Estamos muito agradecidos".

O major do Corpo de Bombeiros, Cláudio Falcão, disse que esse é um momento muito importante de prevenção, ainda mais agora que os bombeiros têm começado a combater as queimadas no início da estiagem no estado, uma luta que vai ocorrer paralela à pandemia.

Além do álcool em gel eles receberam também o líquido, que vai ajudar na desinfecção de viaturas e espaços dos batalhões.

"É muito importante receber esse material que é essencial para todos, principalmente, para nós da Segurança Pública que não paramos nossas atividades; Não temos home office, então é importante que tenhamos o material para fazer a higienização e prevenção de todos", finaliza.

Iniciativas que inspiram