PUBLICIDADE
Topo

Meio ambiente

'Cada um tem o poder', diz Leandra Leal sobre campanha a favor de indígenas

Leandra Leal - Guilherme Burgos/Divulgação
Leandra Leal Imagem: Guilherme Burgos/Divulgação

Marcos Candido

De Ecoa, em São Paulo

19/07/2020 04h00

"Cada um tem o poder enorme de mobilização", afirma a atriz Leandra Leal. Ela é parte de uma corrente de agentes da sociedade que está organizando, cada um à sua maneira, ações para chamar a atenção sobre os índices de desmatamento no Brasil e a morte de indígenas pela Covid-19.

Leal embarcou no projeto "Vidas na Amazônia", uma iniciativa para enviar doações a instituições que atuam em prol dos povos originários na Amazônia. Funciona assim: um grupo de atrizes sorteou uma rifa a partir de R$ 15 para uma conversa exclusiva com atrizes globais. As inscrições foram feitas no Vidas da Amazônia.

A colaboração entre institutos e personalidades é um dos meios encontrados para preencher o vácuo deixado pelo governo federal em relação aos índices recorde de desmatamento e mortes em meio à pandemia. Empresas, ONGs e famosos tem arrecadado e investido dinheiro diretamente em busca de soluções.

Além da atriz, participam deste projeto as colegas Camila Pitanga, Taís Araújo, Débora Falabella e Thainá Duarte. O dinheiro vai alimentar a União Amazônia Viva, movimento com objetivo de arrecadar R$ 6 milhões para prevenir e combater a Covid-19 entre populações indígenas e tradicionais.

O Brasil precisa conhecer a floresta, seu povo e sua cultura, entender que a preservação é o único caminho possível. A destruição da Amazônia impacta diretamente o nosso clima e a produção de alimentos nas outras regiões, além de
ser uma perda científica e cultural gigantesca

Leandra Leal, em entrevista a Ecoa

De acordo com dados organizados pelo Instituto Socioambiental (ISA), já são 519 indígenas mortos e 15 mil infectados entre 129 povos pelo país até quinta (16). No Brasil, existem cerca de 300 povos indígenas. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) bloqueou o envio de itens sanitários e de saúde para os povos indígenas.

"A falta de políticas públicas, o descaso criminoso com que o governo trata os povos indígenas? Eles precisam de proteção básica ao seu território, material de higiene, monitoramento de casos, respeito. É uma situação trágica", diz Leal.

A iniciativa é parte do movimento da classe artística para acentuar o discurso contra o desmatamento na Amazônia. As atrizes fazem parte do elenco de "Aruanas", série exibida pela Globo e ambientada em meios aos conflitos na região amazônica.

"Cada pessoa deve contribuir com o que pode e, mesmo distante, cada um tem um poder enorme de realização. Seja doando, seja divulgando o que está acontecendo", diz ela.

Meio ambiente