PUBLICIDADE
Topo

Série "Losers" discute o valor da derrota no esporte

da Redação

07/12/2019 04h00

"Praticamos por tantos anos e horas todos os dias. Quando você perde, é frustrante. Como uma artista negra, acho que temos que ser mais do que boas. Minha obrigação é ser impecável, 100% ou mais", diz Surya Bonaly, ex-atleta francesa que foi patinadora. Ela ficou conhecida como a única mulher a conseguir realizar com sucesso um mortal para trás na patinação — movimento difícil (e proibido) de ser executado na modalidade artística.

Surya integrou a elite de atletas da patinação mundial. Aos 18 anos, por exemplo, a francesa já colecionava medalhas das principais competições da modalidade. No entanto, não conseguiu convencer os jurados dos Jogos Olímpicos de que era merecedora do lugar mais alto do pódio — o que a frustrou imensamente ao longo de toda a sua carreira.

Como forma de protesto, nos Jogos Olímpicos de Nagano (Japão), em 1998, Surya executou o "backflip", ou mortal para trás, movimento proibido pelas regras da modalidade. Ela tentou impactar visualmente os jurados e a plateia — e conseguiu. A francesa foi desqualificada, porém ficou imortalizada pela performance. Surya testou os limites do esporte em detrimento de uma apresentação que buscasse a vitória, apenas.

Ela é uma das personagens de "Losers" (2017), série documental da Netflix.

Surya Bonaly - Corbis/VCG/Getty Images - Corbis/VCG/Getty Images
"Losers" apresenta a história de atletas que transformaram a tristeza da derrota em um grande triunfo
Imagem: Corbis/VCG/Getty Images

Ideal último da sociedade moderna, o vencedor é lembrado e valorizado, enquanto aos derrotados resta a vergonha pelo objetivo perdido. Fincada em um modelo de rendimento-premiação no qual não apenas ganhos materiais estão em questão, mas também o reconhecimento de um feito que garante a imortalidade, é possível dizer que a derrota é uma espécie de "sombra social do esporte contemporâneo".

Esses mesmos valores são responsáveis por muitos problemas éticos encontrados no esporte, entre eles a glorificação dos vencedores e o esquecimento dos derrotados. No esporte isso tem levado a uma desumanização do atleta e à sua alienação.

O programa produzido pela plataforma de streaming americana busca refletir sobre esses conceitos e seus reflexos por meio da história de atletas que conseguiram transformar as derrotas em combustível para mudar as próprias vidas.

Atualmente, Surya viaja para comunidades negras para falar com crianças e adolescentes, compartilhando sua história de vida e as orientando. "Meu conselho é: não tenham medo se alguém disser que vocês não conseguem. Meninas negras também sabem patinar", disse a um grupo de jovens no Harlem.

Com oito episódios, a primeira temporada de "Losers" está disponível na Netflix.

Final feliz