Topo

Criando Dion: uma história sobre a mãe de um super-herói

Dion e Nicole Warren, protagonistas de "Criando Dion", série original da Netflix - Divulgação/Netflix
Dion e Nicole Warren, protagonistas de "Criando Dion", série original da Netflix Imagem: Divulgação/Netflix

Rômulo Cabrera

De Ecoa

23/11/2019 04h00

Toda mãe acha que seu filho é especial. Mas nem todas têm a missão de criar crianças com superpoderes como Nicole Warren (Alisha Wainwright), mãe do pequeno Dion (Ja'Siah Young) na série americana "Criando Dion". Recém-lançada na Netflix, ela conta a história do menino que, de uma para outra, descobre que tem habilidades fora do normal. Em uma das cenas iniciais, ele passa ileso por um atropelamento se teletransportando diretamente para os braços da mãe, por exemplo.

"Eu sempre soube que você era especial. [...] Mas por que é você quem precisa salvar o mundo?", se pergunta Nicole diante do desafio de criar essa criança pra lá de especial. E esta é uma tarefa que ela tem de dar conta sozinha e em luto, pois seu marido Mark (Michael B. Jordan) acaba de morrer.

Toda essa dificuldade, no entanto, ajuda a ilustrar o heroísmo genuíno de Nicole, em contraste com os superpoderes do filho. Ao optarem por narrar a história por meio dessa lente, os criadores da série promovem uma discussão acerca dos problemas enfrentados por mães solo.

O garoto também tem lá suas dificuldades. Além da falta do pai, precisa se adaptar à escola da nova cidade, Atlanta, para onde se muda depois da perda. Quem o acolhe é Esperanza (Sammi Haney), garotinha cadeirante de origem latina que está na classe de Dion e se torna a principal confidente dele.

Baseada em uma HQ de Dennis Liu, que também é o criador da série, "Criando Dion" extrapola o universo dos super-heróis e (assim como o quadrinho original). O roteiro tenta explorar o ponto de vista de uma mãe que, além de se preocupar com o bem-estar do filho, tem de descobrir a trama por trás dos poderes do garoto. Também traz à tona temas como amizade, inclusão, relacionamentos e racismo, afinal, Dion e a mãe são negros.

"Criando Dion" segue a onda de programas como "The Boys" (2019), da Amazon Prime, e "The Umbrella Academy" (2019), também da Netflix, que mergulham em um universo "mais realista" de super-heróis. A série, no entanto, se destaca por ser, talvez, um dos únicos programas recentes do gênero centrado em uma família negra.

Mais que isso: seu personagem central é uma criança de oito anos, diferente de sucessos como Pantera Negra (2018), cujos protagonistas são adultos. A primeira temporada de "Criando Dion" tem nove episódios e está disponível na Netflix. E é uma ótima pedida para assistir em família, com crianças a partir de 10 anos.

Final feliz