Topo

Grandes eventos sustentáveis: sim, é possível!

Coquetel Molotov em Recife  - Divulgação/Tiago Calanzans
Coquetel Molotov em Recife Imagem: Divulgação/Tiago Calanzans

Débora Britto

De ECOA

12/11/2019 16h06

Reunir muita gente causa impacto. A produção de uma festa, de um show ou palestra, por exemplo, gera lixo e consome água e energia elétrica. E o deslocamento dos participantes acaba emitindo gás carbônico, aquele que está envolvido no aquecimento global.

A boa notícia é que já é possível promover eventos de grande porte (os mais danosos) de maneira consciente e sustentável. E isso não é tão difícil ou caro quanto se pode imaginar. Produtoras e organizações têm girado a chave e estão investindo na mudança do modelo.

A ideia é sempre diminuir o impacto e conscientizar as pessoas envolvidas: não apenas o público, mas os convidados e quem trabalha na produção também. De uma ponta a outra, desde a concepção do evento à relação com quem participa, a sustentabilidade depende do engajamento de pessoas.

Virada da Virada

A Virada da Virada é um bom exemplo. Prevista para acontecer em São Paulo, nos dias 23 e 24 de novembro, ela já nasceu com essa concepção. A ideia é discutir causas sensíveis na atualidade, como o futuro da Amazônia, direitos humanos e liberdade de imprensa, entre outros.

O evento tem apoio de Ecoa na parceria de mídia e é realizado pela ONG Turma do Bem, que oferece atendimento odontológico gratuito, e o Graac, hospital que atende adolescentes e crianças com câncer.

O local escolhido para sediar o evento foi a Bienal de São Paulo, onde são realizadas várias medidas para diminuir o impacto gerado. Obedecendo uma portaria da secretaria do ambiente, por exemplo, o local exige certificado de neutralização de carbono e de descarte correto de resíduos.

O GRAACC atende mais de 4,2 mil crianças e adolescentes ao ano - Divulgação/Gustavo Scatena
O GRAACC atende mais de 4,2 mil crianças e adolescentes ao ano
Imagem: Divulgação/Gustavo Scatena
Na prática, isso significa que os responsáveis pelo evento são obrigados a contratar uma outra empresa que investe o equivalente ao impacto gerado em projetos que mitigam a emissão de gás carbônico, como os de conservação ambiental.

Além da proposta de reduzir o impacto na produção, o evento já nasce para fazer justamente o inverso: promover impacto positivo. "O objetivo é gerar sustentabilidade, fazer uma grande reunião de gente do bem para ativar a solidariedade no país", diz o dentista Fábio Bibancos, presidente e fundador da Turma do Bem.

Para isso, o evento aposta no voluntariado. "Esse tipo de trabalho é muito poderoso. Por meio dele é possível fazer pequenas revoluções que, juntas, mudam realidades", afirma.

No Ar Coquetel Molotov

Está marcado para o próximo sábado (16) em Recife o No Ar Coquetel Molotov, festival de música que tem shows de Liniker e os Caramelows, Terno Rei, Clarice Falcão entre outras atrações na programação.

Desde 2017, o evento tem uma parceria com o Projeto Evento Neutro, que calcula o quanto de gás carbônico foi gerado em função do evento e neutraliza essas emissões. Em 2019, uma área será iluminada a partir de uma estação de energia solar dentro do festival.

Público do festival Coquetel Molotov em Recife - Divulgação/Tiago Calanzans
Público do festival Coquetel Molotov em Recife
Imagem: Divulgação/Tiago Calanzans
Ao reverter o impacto do CO2 com investimento em projetos socioambientais, o Projeto Evento Neutro e o festival tentam equilibrar a balança da sustentabilidade. O que parece difícil de entender, na verdade, resulta numa conta simples: a cada tonelada de CO2 um crédito com valor mínimo de R$ 15 é gerado. Os créditos são revertidos em apoio direto a projetos socioambientais.

Eco copos são usados durante o festival Coquetel Molotov  - Divulgação/Bieco Garcia
Eco copos são usados durante o festival Coquetel Molotov
Imagem: Divulgação/Bieco Garcia
Esse ano, o festival apoia o Projeto Ecomapuá, na Amazônia Paraense, que trabalha com conservação e preservação da biodiversidade da região. "Eles conseguem trabalhar o desenvolvimento ambiental, social e local na região, com ações de educação ambiental. Então todo o dinheiro que a gente investe, trocando o CO2, chega diretamente para essa comunidade", explica Franciele Neves, analista ambiental da Eccaplan, startup de consultoria em sustentabilidade.

A ideia de produzir um evento sustentável veio depois que a empresária Ana Garcia, idealizadora e produtora do Molotov, foi a um festival de música na França, em 2013. Ela ficou impressionada como as estratégias para reduzir o impacto ao meio ambiente.

Lá, todos os detalhes eram pensados para causar o mínimo de dano ao ambiente: desde porta bitucas para cigarros aos copos limpos reutilizáveis. De lá para cá, ela vem investindo em ações para tornar o festival cada vez mais sustentável.

A ideia de não usar copos descartáveis, por exemplo, foi replicada no Molotov. A medida reduz em 90% a produção de lixo total do evento.

Conferência Ethos

Outro grande evento que aposta na mitigação de impacto negativo e na geração de impacto positivo é a Conferência Ethos, promovida pelo Instituto Ethos e cuja última edição ocorreu no início de novembro, em Belém. Além do incentivo do uso de transportes coletivos para chegar aos locais onde o evento é realizado, há uma preocupação com outras práticas, como a redução do uso de papel, a coleta seletiva de lixo, o material usado na confecção dos brindes e a escolha cuidadosa das empresas fornecedoras de materiais e serviços.

"Precisamos lembrar que as pequenas ações são muito significativas", diz Edson Lopes, gerente de promoções e eventos do Instituto Ethos. Ele conta que além das ações ambientalmente sustentáveis, é preciso investir na diversidade e inclusão de pessoas historicamente discriminadas no mercado de trabalho. Por isso, transexuais, lésbicas, negros e negras, idosos e pessoas com deficiência compõem as equipes de apoio nas Conferências Ethos.

Serviço:

No Ar Coquetel Molotov 2019

Shows com MC Tha, Drik Barbosa, Rosa Neon, Sevdaliza, Black Alien, Gop Tun e Liniker e os Caramelows, entre outros.

Data | 16 de novembro

Horário | a partir das 13h

Local | Caxanga Golf Country Club - Av. Caxangá, 5362 - Iputinga - Recife

Ingressos Limitados | www.sympla.com.br/noar2019
3º Lote: R$ 60,00 (meia), R$ 120,00 (inteira) e R$ 85,00 (social - levar 1 kg de alimento não-perecível)

Virada da Virada

Palestras, debates e outras atividades sobre responsabilidade social, sustentabilidade e o poder do voluntariado

Local | Bienal de São Paulo

Av. Pedro Álvares Cabral, s/n - Vila Mariana, São Paulo

Data | 23 e 24 de novembro (sábado e domingo)

Horário | das 9h às 20h

O evento é aberto ao público e conta com a participação de 80 ONGs que estarão expondo produtos e serviços. A compra do ingresso garante acesso às mais de 40 palestras, de temas variados, que vão acontecer ao longo da programação.

Venda: sympla.com.br/viradadavirada
Ingressos: R$ 500 - Lote promocional com 50% de desconto até 15/11

Iniciativas que inspiram