Topo

Série 'Big Little Lies' propõe reflexão sobre como criamos nossos filhos

Cena de Big Little Lies - Divulgação
Cena de Big Little Lies Imagem: Divulgação

Giuliana Bergamo

de Ecoa

10/10/2019 08h00

A lista de motivos para assistir à segunda temporada de "Big Little Lies", da HBO, é extensa. Trata-se de uma oportunidade, por exemplo, de ver Meryl Streep (Mary Louise) contracenando com Nicole Kidman (Celeste). No papel de sogra e nora, respectivamente, as duas protagonizam uma acalorada disputa judicial.

A curiosidade pelo desenrolar da trama talvez deixe passar uma cena secundária, mas que permite uma reflexão sobre o impacto de temas urgentes, como as mudanças climáticas, na vida de nossos filhos — tema em foco nesta semana das crianças. É quando a menina Amabella (encarnada por Ivy George) filha da personagem Renata, interpretada por Laura Dern, tem uma crise de ansiedade e vai parar no hospital.

As crianças e o aquecimento global

Já abalada com a falência dos pais, as brigas do casal e a consequente queda no padrão de vida, a menina colapsa na sala de aula com o professor e os coleguinhas. A gota d´água é um papo sobre os efeitos das mudanças climáticas.

Trazer as crianças para as discussões dos problemas socioambientais faz parte da educação contemporânea. Além disso, é importante também criar meninas e meninos com a consciência de que é necessário preservar o mundo em que vivemos. Mas será que existe limite para o grau de realidade ao qual expomos nossos filhos?

Cena de 'Big Little Lies' - Divulgação
Cena de 'Big Little Lies'
Imagem: Divulgação

Os filhos no centro das famílias

Esta não é a única reflexão sobre a relação entre pais e filhos que a série permite. Os protagonistas de "Big Little Lies" são os adultos, mas a trama escancara a forma como as crianças estão no centro das atenções das famílias de hoje.

Nas duas temporadas, conflitos envolvendo os pequenos revelam as intimidades (e as mentiras) da vida íntima de seis famílias americanas, moradoras do Condado de Monterrey, no litoral californiano. E quase tudo tem reflexo na vida das crianças ou o inverso: o que acontece com eles tem impacto direto em como os pais e mães se comportam.

Na primeira, vale lembrar, Amabella (sempre ela!) é mordida por um coleguinha e ninguém sabe quem foi. Sua mãe, uma executiva de sucesso que vive na defensiva contra os possíveis julgamentos por delegar a educação da filha à babá, dá início a uma ofensiva para descobrir o autor da lesão.

A cada episódio, mais e mais segredos vão sendo revelados: infidelidades, divórcios mal resolvidos, um caso de estupro, episódios de violência doméstica? Repetindo: a lista de bons motivos para assistir a série é longa.

Final feliz