Topo

Educador Nota Dez: quem é a gaúcha que levou o prêmio máximo

Joice Maria Lamb - Paula Rodrigues/Ecoa
Joice Maria Lamb Imagem: Paula Rodrigues/Ecoa

Paula Rodrigues

de Ecoa

02/10/2019 17h11

Uma escola entristecida, com alunos e professores desmotivados, conformados com os baixos índices de aprendizado. Foi isso o que Joice Maria Lamb, 47, encontrou em 2012, ano em que assumiu o cargo de coordenadora pedagógica na escola Professora Adolfina J M Diefenthäler, em Novo Hamburgo (RS).

De lá para cá, muita coisa mudou. A comunidade toda, inclusive os pais dos estudantes, está mais confiante e realizada com os progressos. A nota do Ideb (Índice de Desenvolvimento de Educação Básica) passou de 4,4 para 5,1. Graças a esses feitos, Joice levou o troféu de Educadora do Ano, homenagem máxima do prêmio Educador Nota Dez. O evento ocorreu na noite do último dia 1º na Sala São Paulo, na capital paulista.

Tal transformação é resultado do projeto chamado "#aprenderecompartilhar - Escola Inovadora", elaborado pela educadora, que atualmente tem 28 anos de carreira em escolas públicas da pequena cidade gaúcha.

O primeiro passo da iniciativa foi uma minuciosa análise das dificuldades e, ao mesmo tempo, potencialidades tanto dos alunos quanto dos professores. "Os estudantes não acreditavam que eram capazes de aprender. Colaborava para isso a grande quantidade de reprovações", conta Joice.

Joice Maria Lamb levou o troféu de Educadora do Ano no prêmio Educador Nota Dez - Paula Rodrigues/Ecoa
Joice Maria Lamb levou o troféu de Educadora do Ano no prêmio Educador Nota Dez
Imagem: Paula Rodrigues/Ecoa

Ela percebeu que, para contornar a situação, seria necessário incluir a todas e todos no processo de mudança. Assim, passou a ouvir as garotas e os garotos de 4 a 15 anos para saber qual o melhor jeito de lidar com as adversidades que encontravam, do ensino ao convívio.

Desde então, assembleias com pais, alunos e professores são rotina na escola. Nessas ocasiões, surgem as ideias, demandas e propostas de ações efetivas para melhorar o ensino. As atividades mais complexas ou que demandam verba são definidas na chamada Conferência Escolar. A reunião acontece uma vez ao ano, geralmente em novembro. Nela, um documento é produzido para estabelecer o que precisa ser colocado em prática no ano seguinte.

Para mim, é isto que torna um educador nota dez: é importante entender que aprendizagem se faz na troca, na relação com o outro. O modelo de educação unilateral não funciona mais"
Joice Maria Lamb, eleita Educadora do Ano

Uma das decisões tomadas em assembleia foi a criação de uma feira de iniciação científica, em que os próprios alunos decidem os temas que vão estudar e depois ensinar para os outros. "Também decidimos criar um recreio compartilhado, com todos os alunos e professores juntos. A interação nos aproximou e fez com que passássemos a nos respeitar mais. Acredito que a melhoria no aprendizado também é consequência disso", diz.

Ao todo, 4.876 profissionais, da educação infantil ao ensino médio de escolas públicas e privadas de todo o país, se inscreveram no prêmio Educador Nota Dez. Além de Joice, outros nove educadores foram premiados na noite.

Criada em 1998 pela Fundação Victor Civita, a premiação dá para cada um dos dez vencedores o valor de R$ 15 mil, mais R$ 1 mil para as escolas e assinatura de site e revista sobre educação. Além disso, o Educador do Ano ganha uma viagem para Portugal, mais R$ 15 mil e R$ 5 mil para a escola. Todos os valores são em vale-presente.

Ecoa