PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Hübner Mendes

Atleta com síndrome de Down completa Ironman

Rodrigo Hübner Mendes

Rodrigo Hübner Mendes tem dedicado sua vida para garantir que toda pessoa com deficiência tenha acesso à educação de qualidade na escola comum. É mestre em administração pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP), membro do Young Global Leaders (Fórum Econômico Mundial) e Empreendedor Social Ashoka. Atualmente, dirige o Instituto Rodrigo Mendes, organização sem fins lucrativos que desenvolve programas de pesquisa e formação continuada sobre educação inclusiva em diversos países.

20/11/2020 04h00

Na semana passada, o triatleta norte-americano Chris Nikic completou a prova do Ironman - competição que inclui 3,86 mil metros de natação, 180 quilômetros de bicicleta e mais uma maratona, 42,2 quilômetros de corrida -, o que o levou ao Guinness Book of Records. Não pelo seu tempo na prova (que foi de 16 horas, 46 minutos e 9 segundos), mas pelo impacto subjacente a sua narrativa.

Nikic foi o primeiro atleta com síndrome de Down a completar essa prova na história. Além de nos atentarmos à poderosa mensagem de desconstrução de preconceitos implícita a esse fato, vale a pena entendermos os fatores que tornaram viável a Chris deixar sua marca no Guinness. Em primeiro lugar, ele tem uma vida absolutamente integrada à de seus companheiros no esporte, com quem convive intensamente dentro e fora dos treinos. O segundo ponto a mencionar é que ele exerce uma atividade profissional regular, está incluído no mercado de trabalho, o que lhe propicia autonomia e dignidade. Por fim, Nikic desenvolveu a virtude de estabelecer objetivos claros para sua vida e se concentrar ao máximo em atingi-los. "Agora é hora de definir outro maior para 2021. Seja qual for, a estratégia é a mesma: 1% melhor a cada dia", descreve ele.

Para 2022, ele já tem seu plano traçado: vai disputar a Special Olympics, uma competição internacional que inclui pessoas com deficiência intelectual, iniciada em 1968 por iniciativa da filantropa Eunice Kennedy Shriver, irmã do ex-presidente John F. Kennedy, e que hoje já tem representação em diversos países, inclusive no Brasil

O pai de Nikic declarou aos jornalistas: "O empenho de Chris deu a ele um mundo inteiro de inclusão". Eu acrescentaria que a inclusão oferece ao mundo a oportunidade de eliminarmos abismos, construirmos pontes e avançarmos como civilização.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.