Topo

Coluna

Opinião


Um olhar à criança, por favor!

Francisco Santiago Jr., gestor de Aldeias Infantis SOS Brasil - Arquivo pessoal
Francisco Santiago Jr., gestor de Aldeias Infantis SOS Brasil Imagem: Arquivo pessoal

Francisco de Assis Santiago Júnior*

12/10/2019 07h00

Este é um final de semana especial. Comemoramos neste sábado, 12 de outubro, o Dia da Criança! Olhar a criança como o projeto divino de ser pensante e "criador" da história humana é uma atitude que desejamos e esperamos de todos nós, pais, educadores, protagonistas e coadjuvantes, e os anônimos "construtores" deste momento histórico.

Olhar a criança, no seu dia, com o emblema da agenda mercadológica nacional, como a terceira data mais importante em vendas para o comércio, é muito pouco e muito pequeno para quem ainda se recorda de seus doces e inesquecíveis momentos de vivência com sua família, seus amiguinhos, coleguinhas de escola...

Nossa primeira escola! Nossa primeira professora! Um olhar à criança que ainda nos habita, livre ou reprimida.

Um olhar para a criança que ainda não registrou essas lembranças. Um olhar à criança sem lar, sem escolas, sem amigos, sem o cuidado...

Um olhar à criança institucionalizada, rotulada, propagada e ainda desabrigada: desabrigada de afeto, de direito à plenitude de sua infância renegada pelas circunstâncias do "destino," e ou da "sociedade capitalizada".

Um olhar à criança que espalha seus brinquedos por toda a casa, revira nossos guardados, desarruma até nossos pensamentos e nos impulsiona a pensar, estudar, procurar respostas "coerentes" e divertidas; entrar no jogo e brincar neste universo infantil onde desejos e sonhos constroem harmonicamente o enredo fantasioso em cena nas brincadeiras, como coadjuvantes... Um olhar a esta criança da minha casa, da sua casa, da sua comunidade!

Convido você a Um Olhar à Criança que você conhece, e à criança que você nunca viu, a refletir, criar e apontar caminhos. Convido você fazer a fazer a diferença em qualquer lugar para uma infância diferente, ainda HOJE.

A vida tem escolhas, e nossas escolhas representam nossa vida. Espero que mantenhamos sempre viva a celebração das datas emblemáticas, empreendendo esforços e energia para sermos agentes de mudança em nossa sociedade, fazendo aquele trabalho de formiguinha persistente. O meu olhar à criança faz menores as dificuldades e adversidades do meu caminho.

* Gestor de Aldeias Infantis SOS Brasil, organização humanitária global que atua no Brasil há mais de 50 anos, cuidando de crianças, fortalecendo suas famílias e advogando pelo direito de viver em família e comunidade. É ex-presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do Rio Grande do Norte.

Opinião