PUBLICIDADE
Topo

Milo Araújo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Águas de Março

08.jan.2020 - Chuva forte causa transtornos em São Paulo - Willian Moreira/Futura Press/Estadão Conteúdo
08.jan.2020 - Chuva forte causa transtornos em São Paulo Imagem: Willian Moreira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Milo Araújo

12/03/2021 04h00

Dias desses eu saí para resolver um compromisso de trabalho. Tinha que ir até o escritório, já que estou trabalhando em modelo de home office. E, como de costume, uso a bicicleta para me locomover. O caminho era de mais ou menos 70% ciclovia, e em tempos de pandemia, nada melhor do que pedalar para evitar aglomerações. Nesse dia, meu namorado foi me acompanhar.

Estamos no início do ano, e como bem sabemos, chove bastante. Pode ser o dia mais ensolarado, mas você pode ser surpreendido por uma dessas pancadas de chuva de verão, e foi o que aconteceu. Na volta fomos pegos por ela. Foi bom por um lado, deu aquela refrescada no ar. Esperamos ela ficar mais fraca para pegar o caminho da volta e lá seguimos.

Eu indo na frente puxando o pedal me peguei em uma armadilha da ciclovia molhada. Em um momento em que tive que frear (uso uma bicicleta fixa que tem somente o freio da frente, atrás a tração é freada com a força das pernas), ao apertar o manete a bicicleta simplesmente perdi a estabilidade e acabei derrapando o pneu da frente. Fui pro chão, meu namorado que estava atrás consequentemente freou e também foi pro chão!

Passado o susto inicial, olhamos um pro outro e começamos a rir, pois não nos machucamos, estávamos na ciclovia e não tinha movimento, somente um rapaz que estava vindo de frente com a gente que presenciou o ocorrido e parou para nos socorrer, mas estávamos bem, rindo um do outro pela queda. A ciclovia era nova, bem-feita, já que a região ficava em um lugar nobre do Itaim, daquelas com cimento queimado, pintada com tinta. O problema é que em dias de chuva vira um sabão. Mas esse caso poderia não ter sido tão tranquilo, poderíamos ter fraturado algo ou coisa pior.

Lembrando desse dia, pensei em deixar aqui algumas dicas para pedalar em dias de chuvas pela cidade.

Prepare-se antes de pedalar

Avalie o clima. Hoje é possível ter uma série de informações desse tipo na palma da mão. Existem vários aplicativos de previsão do tempo. Conheça o ambiente onde costuma pedalar: as ruas costumam ficar alagadas? Como é o terreno de seu trajeto? Observe bem a intensidade e a presença de descargas elétricas. Se o clima estiver hostil, talvez valha a pena dar uma pausa ou sair sem a bicicleta mesmo.

Evite a hora do rush

Como é sabido, em dias de chuva, a tendência é só piorar. Se você avaliar que dá pra seguir, vá com cautela e posicione-se sempre em direção defensiva. Dobre a atenção pois a visão fica prejudicada.

Invista em um bom sistema de iluminação

Mesmo que vá pedalar somente durante o dia, invista em um bom sistema de iluminação, o que o ajudará a ficar mais visível pelas ruas. Na chuva, onde a visibilidade automaticamente fica prejudicada, as luzes tornam-se ainda mais importantes. Existem alguns modelos indicados para uso diurno que, apesar de serem mais caros, oferecem ótima visibilidade mesmo no claro.

Reduza a velocidade

A aderência dos pneus com o solo, assim como de seu calçado com os pedais, é severamente reduzida com a chuva, ainda mais se utilizar pneus slicks. Estes pneus lisos garantem uma performance maior de velocidade, pois a maior parte do pneu fica em contato com o solo, ao contrário dos pneus com ranhuras, que são canais para escoamento da água na superfície do pneu, melhorando assim o contato entre este e o solo em superfície molhada. Vale lembrar também que muitas roupas de ciclismo possuem áreas reflexivas, que funcionam muito bem quando o farol de um veículo ilumina.

Buracos

Evite passar em poças que podem conter buracos. Às vezes, aquelas que parecem inofensivas poças podem ser buracos enormes e fundos, tirando seu equilíbrio.

Freios

Muita atenção aos freios, que podem ficar escorregadios. A banda de freio ao molhar tende a diminuir o tempo de frenagem. Então, quando for frear, freie antecipadamente.

Capas de chuva ou corta vento?

Capa de chuva é impermeável evitando que você se molhe, mas em dias quentes tende a não deixar o corpo transpirar, o que para mim acaba sendo um incômodo. Aí, se a chuva não está tão pesada, um corta vento já resolve. Eu tenho um modelo de capa de chuva do tipo poncho que cobre o corpo todo e parte da bicicleta. Eles facilitam a transpiração e são feitos de tecidos mais leves.

Paralamas

Para dias pós-chuva, vale a pena investir em paralamas para evitar que aquela marca indesejada de gotas de água suja do chão sejam jogada nas suas costas e no seu rosto. Existem modelos de plástico que podem ser presos à bicicleta e retirados com facilidade para quem acha que atrapalha a estética visual da sua bikinha, rs.

Então ao sair, equipe-se. Vale se prevenir e se preparar. Levar aquela toalha e uma muda de roupas caso se depare com um dia chuvoso.

Ao chegar em casa, com certeza você vai tomar um bom banho, mas saiba que sua bicicleta também precisa de um bom banho para conservá-la e manter suas peças funcionando por um bom tempo evitando a oxidação e despesas futuras a curto prazo. Ah! Não esqueça de secá-la também. Se tiver alguma paciência, pode engraxar e lubrificar sozinho diversas peças, também ajudando a conservá-las.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL