PUBLICIDADE
Topo

Milo Araújo

2020 e as bicicletas

Getty Images
Imagem: Getty Images

Milo Araújo

01/01/2021 04h00

O ano de 2020 foi um ano importante para a bicicleta, apesar de ter sido caótico para todos por conta da pandemia. Desde março houve um aumento significativo de ciclistas pela cidade. Cresceu a procura por compra de bicicleta nos lojistas especializados, informação essa muito divulgada pelos portais de informações. Carecemos de um estudo para levantar os reais números, mas no relatório anual de usuários do aplicativo Strava conseguimos achar dados interessantes. O aplicativo faz o papel de uma rede social de esportistas e mensura vários dados desde os mais básicos como tempo de percurso, distância e dados para atletas focados em alta performance. Podemos ver o levantamento do aumento da prática do ciclismo no mundo todo, aqui no Year in Sport (Ano Esportivo).

Para endossar essa tese de que 2020 foi um ano de celebração às bicicletas, fiz um levantamento rápido em grupos de usuários de bicicletas e perguntei qual o papel que a bicicleta teve no seu ano levando em consideração o contexto pandêmico. Como podemos ver nos relatos abaixo, muitos viram a bicicleta como uma oportunidade de utilizar um meio de transporte seguro e que respeite os protocolos indicados pela OMS. Uns por distanciamento social e fuga de aglomerações, outros por alternativa para a prática esportiva. Muitos inclusive alegam ter encontrado na bicicleta seu alívio diário, um escape e descanso mental. Segue abaixo os relatos que obtive:

"Foi apenas a coisa mais importante deste 2020, meu meio de transporte para todos os lugares!"

"A bike já tinha um papel importante na minha vida antes, porém era muito lazer e pouco transporte, na pandemia acabou invertendo, hoje em dia a bike é o meu principal meio de transporte pela cidade."

"Eu já usava muito a bicicleta para me locomover. Quando a pandemia começou, isso intensificou, pois já não podia mais pegar trem/metrô. Eu sou técnico de redes numa operadora de telecom, então não parei de trabalhar na quarentena, pelo contrário, meu trabalho só aumentou. A bike me ajudou tanto na locomoção até o trabalho como também sendo minha válvula de escape, já que só trabalhar e ficar em casa sozinho foi bem f**a emocionalmente."

"Sim, me ajudou muito como meio de transporte e também para atividades físicas."

"Já utilizava como meio de transporte, mas diante da pandemia passei a utilizar mais, para evitar aglomeração no transporte público."

"Bicicleta é o transporte individual que mais pensa no coletivo."

"Sempre teve, o que me salvou foi comprar um rolo de treino, sem pedalar nas ruas por 10 meses já, crise de ansiedade quase todo dia. BIKE+ROLO ❤️."

"Sim. Usei quase que exclusivamente a bike como meio de locomoção, já que faço parte do grupo de risco e pegar transporte público não era uma opção. Até mesmo Uber acho arriscado, por circularem várias pessoas no mesmo carro todos os dias."

"Meio primário de transporte, desde pré-pandemia!"

"Com toda certeza não só para andar por recreação, mas como meio de transporte todos os dias".

"Sim, evitando pegar transporte público cheio."

"Sim, um momento de 'terapia' pra fugir um pouco da rotina do home office."

"Já usava para fazer o deslocamento para o trabalho 1-2 vezes na semana, no entanto com a pandemia e o risco do uso do transporte público, a bicicleta se tornou meu único meio de transporte, faça chuva ou sol, e nunca estive tão feliz."

"Com certeza! Sou uma pessoa que sempre gostou de atividades físicas, e que por meio dessas atividades superei problemas como depressão e síndrome do pânico."

Como podemos ver nos relatos, a bicicleta exerce um papel social muito forte. Seja ela como modal, como instrumento de esporte ou apenas lazer. O intuito aqui não é exaltá-la como única opção viável, mas é certo que em muitos momentos a bicicleta é crucial como fator construtor de uma sociedade mais sadia, tanto física quanto mentalmente. Que o ano de 2021 seja transformador na vida das pessoas, com bicicleta ou não. Que no ano de 2021, deixemos as rixas de lado e pensemos em benefícios comuns a todos.