PUBLICIDADE
Topo

Mari Rodrigues

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Quando podemos mostrar fraqueza?

iStock
Imagem: iStock

Mari Rodrigues

29/05/2021 06h00

No final de 2019, submeti um poema para uma revista de estudantes. Não sou grande fã de poesia; aliás, tenho um desempenho pífio na análise crítica de poesias e, quiçá, de textos literários em geral. O título do poema é "Ser forte cansa" e tinha os seguintes versos:

"Dias de acordar cedo e de dormir tarde.

Dias de comer rapidamente e de não beber água.

Dias de correr pra lá e pra cá.

Necessidades em necessidade.

Falta tempo para as necessidades.

Vai pra rua, vai pro trabalho.

Vai pra rua, vai pra escola.

Vai pra rua, vai pra casa.

Necessidades disparatadas.

Falta tempo para disparates.

Fala tudo sem sentido.

Fala muito, qual o sentido?

Fala, fala, está sentido.

Necessidades em desespero.

Falta tempo para desesperar-se."

Recuperei este poema para tratar de um assunto muito interessante: a nossa necessidade de sermos sempre fortes e inquebráveis. Nada pode nos abalar, nada pode nos tirar do foco. Se não, a sociedade nos tratora e nos invalida.

Venho aqui advogar pelo direito de podermos nos dar momentos de fraqueza, em que só queremos deitar nossa cabeça num travesseiro e dormir até a semana seguinte, para nos protegermos e recuperarmos nossas energias, tão drenadas por esta necessidade de nos mostrarmos sempre fortes e com disposição.

Não temos a obrigação de sermos sempre superpessoas por causa das circunstâncias. Uma hora surtaremos. Sucumbiremos à estafa. Não conseguiremos entregar o que nos demandam. E está tudo bem. Não nascemos fortes, nem seremos fortes todo o tempo.

Deveria ser normalizado o direito ao choro. Às vezes penso que choro de menos, como se essa fosse uma proteção contra a fraqueza tão indesejada. Recebemos tantas cobranças de tudo que parece que mostrarmos um lado que também é humano é reprovável.

Termino com uma reflexão: quantas vezes você já se compeliu a dizer que dava conta de algo quando na verdade não conseguia, ao menos satisfatoriamente, por conta de uma cobrança social? Esquecem-se sempre de que somos seres humanos, com fraquezas e limitações. Como disse anteriormente naquele poema, ser forte é muito cansativo e nem sempre estamos a essa altura.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL