PUBLICIDADE
Topo

Julie Dorrico

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Festival Indígena União dos Povos acontece de 16 e 19 de junho em SP

Divulgação/Instagram
Imagem: Divulgação/Instagram
Julie Dorrico

Julie Dorrico é doutora em teoria da literatura na PUC-RS. Autora da obra "Eu sou macuxi e outras histórias" (Caos e Letras, 2019) que venceu o 1º Lugar no Concurso Tamoios de Novos Escritores Indígenas, promovido pelo Instituto UK'A e Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ, 2019). Descendente do povo macuxi (Roraima). Organizadora da Coleção Memórias Ancestrais, obras de autoria indígena, pela Editora Tekoha (2021). Este é um espaço-terreno para reflorestar simbolicamente a educação brasileira. Buscando fortalecer o uso da lei 11.645/2008 que tornou obrigatório o ensino das culturas e histórias afro e indígenas em todo currículo escolar, esta coluna busca compartilhar iniciativas, projetos e temas indígenas que possam fortalecer a educação étnico-racial no país.

11/05/2022 06h00

Entre 16 e 19 de junho, o FIUP — Festival Indígena União dos Povos reúne sujeitos indígenas pertencentes a distintos povos originários para quatro dias de atividades culturais em Mogi das Cruzes, São Paulo. Inspirado nos festivais que ocorrem dentro das aldeias, o FIUP, em sua segunda edição, concentra-se em discutir e compartilhar as culturas, filosofias e estruturas políticas dos povos envolvidos. Ainda, tem como objetivo reafirmar a importância do incentivo à educação, cultura, segurança alimentar, saúde, ciência e saber ancestral.

O festival é idealizado pelo projeto indigenista Rûnûã Nítí, com curadoria de Nicole Allgranti e produzido por Mar Produções. Haverá participação dos povos Guajajara, Guarani, Huni Kuin, Kariri-Xocó, Macuxi, Maxacali, Mehinako, Munduruku, Noke Koi, Paiter Suruí, Terena, Tupi-Guarani, Yanomami, Yawanawá, Ywalapiti.

Haverá rodas de conversas, pinturas corporais, apresentações culturais, cerimônia com medicinas da floresta, gastronomia tradicional, exposição e venda de arte e literatura indígena, entre outras ações que promovem visibilidade às causas sociais e culturais dos povos originários.

povos participantes - Divulgação/Instagram - Divulgação/Instagram
Imagem: Divulgação/Instagram

O encontro de diversos sujeitos indígenas, mais a participação de indigenistas e aliados da causa indígena, denota para as culturas originárias um espaço de fortalecimento e promoção necessários para desmistificar imagens racistas construídas ao longo dos séculos por meio da literatura e outras artes. É também um momento para que a sociedade envolvente conheça um pouco as espiritualidades presentes nos modos de vida dos povos, e entender por que a luta indígena é a fundante e a maior defensora das florestas de pé.

Para participar do FIUP é necessário garantir o ingresso no site www.fiup.com.br, onde você pode acompanhar toda a programação. Para mais informações, dúvidas ou comentários, envie um e-mail para este endereço: festivalindigenauniaodospovos@gmail.com.