PUBLICIDADE
Topo

Educação: a necessidade de seguir novos caminhos

Débora Garofalo

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula

30/09/2020 04h00

A pandemia transformou o cenário da educação em todo o mundo. Se antes nem cogitavamos a ideia de promover uma educação com o auxílio da tecnologia, com a obrigatoriedade do distanciamento social e do cumprimento da quarentena essa foi a única opção possível para dar seguimento a educação emergencial.

A pandemia, trouxe muitas dúvidas, dificuldades, angústias e também a possibilidade de reinventar a educação e a algumas certezas, como homeschooling não dá certo, basta ver as dificuldades com a etapa da educação infantil e os anos iniciais e que nada substitui o professor em sala de aula e um aprendizado presencial.

No cenário de certeza e incertezas a pandemia mostrou a Educação algumas possibilidades que podemos mudar, sendo que para muitas só precisamos dar o primeiro passo.

O papel das Tecnologias

A tecnologia por si só não possui o papel de transformar a educação, ela precisa estar acompanhada de objetivos claros e ser uma propulsora ao processo. Já vínhamos falando de sua importância nas aulas, em mundo que vive a revolução industrial e em que falamos da educação 4.0 com cultura maker, programação, cultura digital, robótica, inteligência artificial entre outras possibilidades.

A pandemia intensificou a necessidade de emergir com as tecnologias e desmistificar o seu uso na educação que possui diferentes viés, como por exemplo, envolver o território educativo em uma tecnologia social e agregar esse trabalho as aprendizagens ativas como ensino híbrido, sala de aula invertida, resoluções de problemas entre outros.

Esse é um momento para recriar, reinventar a educação! Experimentar novas maneiras de aprender e ensinar. E quais caminhos podem ser sugeridos para que isso ocorra.

Projeto Político Pedagógico

Chegou o momento deste documento tão importante e que traduz a realidade da unidade escolar ter a voz dos estudantes! Se realizamos uma educação em prol dos estudantes, nada melhor do que ter eles no centro deste processo, tendo uma escola com uma identidade do território educativo.

BYOD

BYOD é a sigla em inglês para "Bring Your Own Device" equivale traga o seu próprio equipamento. Com a pandemia os estudantes têm utilizado os seus equipamentos, como o aparelho móvel, que possibilita uma infinidade de possibilidades pedagógica. Esse movimento vem crescendo também no mercado de trabalho e usado com objetivos claros na educação pode trazer muitos benefícios ao processo de aprendizagem.

Espaços diferenciados

Criar na escola ambientes diferenciados com apoio dos estudantes é essencial, como cantos makers para que a comunidade escolar possa se apropriar destes espaços e fazer objetos com materiais recicláveis como pufs com garrafas pets, prateleiras com carteiras e portas velhas, bancadas de trabalho com tripé e portas sem uso. Com muita criatividade é possível transformar o espaço escolar e envolver os estudantes em ações de pertencimento em que terão zelo e farão bom uso destes espaços.

Metodologias ativas

Estamos vivendo novos tempos na educação que requer novas abordagens de ensino. As metodologias visam tirar os estudantes da passividade e trazê-lo ao centro do processo de aprendizagem, com experiências e tendo o professor como um parceiro, um mediador da aprendizagem.

Toda mudança leva um tempo para se concretizar, mas é necessário aproveitarmos tanto aprendizado deste momento para promover uma mudança na educação que seja inclusiva, que se paute em valores integrais, mas que se permita que os atores da educação tenham a oportunidade de aprender uns com os outros.

Um abraço e até a próxima.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.