PUBLICIDADE
Topo

5 passos para replanejar suas aulas durante e pós-pandemia

Débora Garofalo

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula

24/06/2020 04h00

Estamos vivenciando tempos difíceis e confusos na educação brasileira devido a pandemia, saídas de ministros e consequente ausência de propostas para melhoria dos processos educacionais, no âmbito federal. No entanto, é necessário respirarmos fundo e seguirmos em frente, pensando em nossos estudantes, que mais do que nunca precisam de nós.

Muito se fala sobre o retorno das aulas presenciais de maneira híbrida, em que será necessário replanejar as aulas para atender a demanda presencial e aulas mediadas por tecnologia. Desta maneira, reunimos algumas sugestões para que você possa replanejar suas aulas neste período emergencial e também em um possível retorno. Vamos lá?!

Avaliação diagnóstica

Não existe uma regra para a avaliação diagnóstica, ela pode ser aplicada no começo, no meio ou no final de um processo de aprendizagem. ou Ela pode ser aplicada a critério do professor, por meio de uma conversa, um jogo, um quiz, uma ação gamificada, um podcast, entre outras possibilidades.

O professor pode inovar ao possibilitar novas maneiras de realizar o diagnóstico da turma. O importante é compreender que este instrumento é um aliado à educação e que permite entender como os estudantes estão construindo o seu processo de aprendizagem e ainda dar um norte ao educador para rever o percurso formativo para uma tomada de decisão em que pode dar um passo atrás no processo, ou avançar, e principalmente replanejar ações.

Tematização das aulas

O processo de rever a prática docente através da tematização ajuda a replanejar as aulas, desde a maneira de conduzir uma discussão à aplicação de uma atividade em que tenha percebido que não tenha alcançado o objetivo proposto. Desta maneira, é possível propor ações simples, como realizar um diário de bordo com as turmas que ajudarão a rever a prática docente e definir os rumos das aulas. Mesmo nesse período de pandemia é possível realizar essa ação, utilizando o áudio de gravador de celular.

Metodologias ativas

Fazer aulas atrativas sempre foi um desafio. Aulas mediadas por tecnologia não ficam indiferente a esse processo. Assim, é possível inovar levando metodologias ativas para a sala de aula, ao trabalhar por projetos, ou por resoluções de problemas, com a sala de aula invertida.

É preciso ter o objetivo claro e compreender que as metodologias ativas são uma propulsora ao processo de aprendizagem ao permitir tirar os alunos da passividade e trazê-los ao centro do processo cognitivo, mesclando aprendizagens que visam contribuir para o trabalho autoral e protagonismo juvenil, além de contribuir com uma maior interação das aulas.

Portfólios

A criação de portfólios individuais e ou em grupo é uma outra maneira de contribuir com o replanejamento das aulas e que pode ser realizado em formato digital ou impresso, possibilitando agendamentos de conversas com os estudantes para compreender os avanços e dificuldades da aprendizagem. É importante que o professor oriente os alunos de como desenvolver o seu portfólio, assim como demonstrar a eles a importância deste instrumento no processo de aprendizagem.

Escuta ativa

O planejamento e o replanejamento devem considerar as vozes dos estudantes, conversar e acolher suas opiniões e sugestões sobre os próximos passos e atividades. Isso é permitir que as aulas tenham a identidade dos mesmos, assim como o envolvimento e pertencimento com o seu processo cognitivo.

Com ações simples, é possível descobrir e reconduzir caminhos no processo de aprendizagem, permitindo a participação ativa dos estudantes no planejar e replanejar das aulas.

Um abraço carinhoso e até a próxima semana.

Debora Garofalo