PUBLICIDADE
Topo

Internet Segura: como abordar o tema nas aulas mediada por tecnologia

Débora Garofalo

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula

22/04/2020 11h14

Com o isolamento social, muitos educadores têm preparado suas aulas com o auxílio de aplicativos e softwares digitais, em que se faz necessário orientação sobre pontos importantes como a Internet Segura.

Nossos estudantes estão bem habituados a espaços digitais, como navegar pela internet, assistir vídeos em plataformas como o Youtube, e acessar e interagir nas redes sociais. Neste sentido, torna-se essencial orientar os estudantes sobre como se manter seguro na internet, ao trabalhar com aspectos de ética e reflexão, a fim de evitar questões como o ciberbullying, que é o bullying virtual.

Devido a relevância do assunto é essencial trabalhar, neste momento, com o tema nas aulas, a fim de formar o cidadão digital para que ele compreenda os limites da cidadania offline e online, e a importância de não expor os seus dados e nem realizar brincadeiras no ambiente virtual de aprendizagem, como chats, estabelecendo combinados, como nas aulas presenciais.

Para colocar em prática

O ponto de partida é promover conversas com os estudantes sobre internet segura e sobre o ciberbullying, propiciando mediações e reflexões pedagógicas, favorecendo formação crítica ao refletir sobre suas ações em ambientes virtuais de aprendizagem.

Estabeleça regras de convivência

Converse com os estudantes utilizando a ferramenta previamente combinada, como whatsapp, telegram teams, hangouts, zooms e outras.

Ofereça alguns estudos de casos para mediar a conversa, trazendo casos reais para que se estabeleça com os estudos os combinados, como, por exemplo, no chat, evite ofensas, brincadeiras fora de hora, foque em responder os questionamentos e debater com os seus argumentos os assuntos.

Algumas plataformas, como o telegram, permite fixar a mensagem e relembrar sempre os usuários sobre os combinados.

Abaixo listo alguns vídeos de curtas de animação que podem ser usados para fomentar o diálogo com os discentes a respeito do assunto:

Atividades

O segundo passo é envolver os estudantes em atividades pertencentes, que podem ser textos informativos e argumentativos, solicitando que os estudantes observem a diferenças e relações entre eles. Há diversos temas sobre o assunto e diferentes motivos que podem ser revertidos em ações que visam ação, reflexão e ação.

Dicas de atividades

Informação - Campanha "Internet Segura": Envolva os estudantes em criação de uma campanha de sensibilização sobre a Internet Segura, informando sobre os cuidados em ambientes virtuais.

Ações de pertencimento - Produção de músicas: outra estratégia é a escrita de músicas pelos estudantes. Com o auxílio do software livre gratuito Audacity (editor de som), eles podem gravar e remixar suas produções e postar em ambientes virtuais de aprendizagem.

Diálogo - Realize lives, convide estudantes, pais, funcionários e representantes públicos e ou privados que possam conversar e tirar dúvidas sobre o tema, dialogando sobre pesquisar informações e fontes, fomentando responsabilidade sobre o tema, fazendo com que todos participem na identificação, no combate e denúncia de notícias falsas.

Para os nossos estudantes nem sempre está claro como se deve agir em ambientes virtuais. Promover ações de reflexão é fortalecer e formar cidadãos digitais sensibilizados em promover e multiplicar opiniões. Conversar sobre o uso da Internet Segura em ambiente virtual trabalha o letramento midiático, visando habilidades e competências descritas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que visa envolver, acessar, analisar, avaliar e criar conteúdo na internet. Nossos estudantes são usuários de tecnologias e agora produtores dela!

Um abraço.

Debora Garofalo