PUBLICIDADE
Topo

10 autoras para conhecer a literatura da Amazônia hoje

A escritora Márcia Kambeba - Márcia Kambeba/Acervo pessoal
A escritora Márcia Kambeba Imagem: Márcia Kambeba/Acervo pessoal
Fred Di Giacomo

Caipira punk de Penápolis, sertão paulista, Fred Di Giacomo é escritor e jornalista. Foi editor e professor na Énois, escola de jornalismo para jovens de periferia, onde editou o "Prato Firmeza: guia gastronômico das quebradas de SP" (finalista do Prêmio Jabuti). Seu primeiro romance "Desamparo" (Reformatório, 2018) foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura e um dos vencedores do Edital Para Publicação de Livros da Cidade de São Paulo. Nesta coluna, propõe um espaço para refletir, investigar e divulgar o trabalho de artistas do interior, sertões, pampas e florestas que se encontram longe demais de grandes capitais.

22/06/2020 11h40

Na última coluna, a "Arte fora dos centros" conversou com a pesquisadora paraense Suelen Silva sobre sua atuação na área de descentralização da cultura, tanto na Amazônia, onde viveu a maior parte da vida, quanto na Alemanha, onde mora hoje. Na mesma semana, a editora Monomito, fundada pela amazonense Adriana Chaves e o paraense Toni Moraes anunciou que está procurando textos inéditos escritos por mulheres cis e trans paraenses, ou que vivem no Pará. O projeto vai se chamar "Trama das Águas: Literatura contemporânea produzida por mulheres no e do Pará.". Quem tem interesse em se inscrever pode ler o regulamento aqui.

O Pará faz parte da Amazônia Legal, área que engloba os sete estados da região norte, o Mato Grosso e o oeste do Maranhão. Embalados pela entrevista com a Suelen e o anúncio de "Trama das Águas", listamos 10 autoras para conhecer a literatura da Amazônia hoje.

A escritora e jornalista Gabriela Sobral - Diva Nassar/Divulgação - Diva Nassar/Divulgação
A escritora e jornalista Gabriela Sobral
Imagem: Diva Nassar/Divulgação

Gabriela Sobral

De Belém, Gabriela Sobral é escritora e jornalista. Seu primeiro livro de poesias, "Caranguejo", foi lançado pela Editora Patuá (2017). Mediou o clube literário Leia Mulheres, na cidade de Belém e realizou o projeto "Imaginárias", premiado pela Fundação Cultural do Pará (2016).

A escritora Roberta Tavares - Roberta Tavares/Arquivo pessoal - Roberta Tavares/Arquivo pessoal
A escritora Roberta Tavares
Imagem: Roberta Tavares/Arquivo pessoal

Roberta Tavares

Poeta e ativista cultural, Roberta Tavares co-organiza o "Sarau do Povo da Noite". Vive em Belém, mas suas raízes mais profundas estão no interior da Amazônia, nas áreas quilombolas do baixo rio Bujaru, na margem do igarapé Cravo. Como poeta, publicou o zine "Mulheres de Fogo" e tem um livro na gaveta esperando publicação.

A escritora Lia Minapoty Aripunãnguá - Lia Minapoty/Facebook - Lia Minapoty/Facebook
A escritora Lia Minapoty
Imagem: Lia Minapoty/Facebook

Lia Minapoty Aripunãguá

Nascida na aldeia Yãbetue'y, nas margens do rio Abacaxi, a escritora amazonense Lia Minapoty é uma das jovens lideranças do povo maraguá. Autora de "Com a noite veio o sono" (Leya) e "A árvores carne e outros sonhos" (Tordesilhinhas), também participou de "Nós: uma antologia de literatura indígena" (Cia das Letras).

A escritora Márcia Kambeba - Márcia Kambeba/Facebook - Márcia Kambeba/Facebook
A escritora Márcia Kambeba
Imagem: Márcia Kambeba/Facebook

Márcia Kambeba

Nascida na aldeia Belém do Solimões, no Alto Solimões, estado do Amazonas, Márcia Wayna Kambeba é mestre em geografia, poeta, música e escritora. Autora dos livros "Ay Kakyri Tama - Eu moro na cidade" (Pólen) e "O lugar do saber" (Casa Leiria).

A escritora Mayara La-Rocque - Mayara La-Rocque/Arquivo pessoal - Mayara La-Rocque/Arquivo pessoal
A escritora Mayara La-Rocque
Imagem: Mayara La-Rocque/Arquivo pessoal

Mayara La-Rocque

Mayara La-Rocque é escritora formada em Letras pela UFPA. Colaborou com a revista literária "KamikASES", e ganhou a quarta edição do prêmio PROEX da UFPA, em 2015, na categoria contos. Produziu o livro artesanal "Atravessa a Tua Viagem" e publicou a plaquete literária "Uma Luminária Pensa no Céu" (Edições do Escriba).

A escritora Rafaela Oliveira - Milena Maia/Divulgação - Milena Maia/Divulgação
A escritora Rafaela Oliveira
Imagem: Milena Maia/Divulgação

Rafaela Oliveira

A paraense Rafaela Oliveira tem 19 anos e é escritora, dançarina e cantora. Atada às artes desde a infância, descobriu na palavra sua brincadeira favorita: a poesia. Atualmente é graduanda do curso de Letras na UFPA.

A escritora Julie Dorrico - Julie Dorrico/Arquivo pessoal - Julie Dorrico/Arquivo pessoal
A escritora Julie Dorrico
Imagem: Julie Dorrico/Arquivo pessoal

Julie Dorrico

A autora de "Eu sou macuxi e outras histórias" (Caos e Letras) nasceu em Guajará-Mirim, oeste de Rondônia. É doutoranda em letras e pesquisadora de literatura indígena, co-organizadora de "Literatura indígena brasileira contemporânea: criação, crítica e recepção" (Ed. Fi, 2018) e criadora do projeto #LeiaMulheresIndígenas.

A escritora Bruna Guerreiro - Emerson Pardo/Divulgação - Emerson Pardo/Divulgação
A escritora Bruna Guerreiro
Imagem: Emerson Pardo/Divulgação

Bruna Guerreiro

Bruna Guerreiro publicou seu primeiro livro, em 2013. É formada em História, tradutora e professora de francês. Nasceu em Belém e, entre romances, novelas e contos, tem mais de quinze títulos publicados, como "Os Livros de Ventura", "Catarina" e "No Parque da Cidade".

A escritora Paloma Franca Amorim - Luiza Saad/Divulgação - Luiza Saad/Divulgação
A escritora Paloma Franca Amorim
Imagem: Luiza Saad/Divulgação

Paloma Franca Amorim

Paloma Franca Amorim é autora de "Eu preferia ter perdido um olho" (Editora Alameda). Nasceu em Belém do Pará, em 1987, e mudou-se aos 18 anos para a cidade de São Paulo onde vive desde então. Além de escritora, é ilustradora e professora de teatro formada pela Universidade de São Paulo.

A escritora Monique Malcher - Monique Malcher/Arquivo pessoal - Monique Malcher/Arquivo pessoal
A escritora Monique Malcher
Imagem: Monique Malcher/Arquivo pessoal

Monique Malcher

Monique Malcher é escritora e colagista nascida em Santarém, interior do Pará, mas viveu grande parte da vida em Belém. "Flor de Gume" (Pólen Livros), com edição de Jarid Arraes, é seu livro de estreia. Acredita que a literatura é um dos caminhos possíveis para aguentar o caos e matar a saudade do que ainda não veio.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.