Topo
OPINIÃO

Adeus Elza Soares, a mulher do fim do mundo

Elza homenageia Marielle Franco Imagem: Mayara Donaria
Anielle Franco

24/01/2022 06h00

O texto de hoje não poderia ser outro, senão uma despedida a grande mulher, fonte de inspiração e exemplo de luta que foi e sempre será, Elza Soares. Na tarde de quinta-feira (20) recebi a notícia de que Elza Soares havia falecido em sua casa, no Rio de Janeiro, após 91 anos de vida intensa.

Em março de 2018, foi Elza que cedeu sua voz em rede nacional para homenagear minha irmã, dias após seu assassinato em rede nacional junto da orquestra Maré do Amanhã. Naquele momento, em sua voz potente ela cantou que "O sol há de brilhar mais uma vez", trecho da canção "Juízo Final", e aquele momento foi um dos mais importantes afagos para mim e minha família — nós jamais poderíamos imaginar tudo que ainda viria a acontecer conosco a partir daquela data.

Já em junho de 2020, no primeiro ano do Instituto Marielle Franco, Elza aceitou fazer um show-live #ElzaPorMarielle no dia do aniversário de minha irmã. Elza nos deu esse grande presente nos primeiros meses da nossa organização: ela não cobrou e deixou que toda a produção fosse feita na sala de sua casa no Rio de Janeiro, onde pudemos ouvir emocionados a mulher do fim do mundo cantar por Marielle e cobrar por justiça para Marielle e Anderson. Esse foi um dia que eu nunca serei capaz de agradecer da forma que deveria. Eu e minha família choramos juntos ao ouvi-la cobrar "Quem mandou matar Marielle Franco e Anderson Gomes?" e vibramos com sua potente voz se somando a tantas outras na busca por justiça por esse crime bárbaro.

Elza, em todos os seus 70 anos de carreira, se permitiu se reinventar, foi do samba ao rap, passando por todos os ritmos e permitindo que as novas gerações a conhecessem e se inspirassem em sua arte. Ela foi celebrada em vida, e talvez esse seja um dos motivos por que escrevo este texto em lágrimas, mas com o coração em paz por ter tido o privilégio de viver no mesmo tempo que essa mulher fantástica e conhecer toda sua grandiosidade. Ela viveu todas as delícias e dores que é ser uma mulher negra, e foi reconhecida por isso. Com direito a uma parede de casa cheia de homenagens, prêmios, troféus, títulos, com direito a musical, canção, documentário. Tudo para celebrar a mulher e artista extraordinária que tivemos entre nós.

Elza Soares foi uma mulher que conseguiu de maneira pioneira abrir caminhos para todas nós, mulheres negras, em um momento do Brasil ainda mais marcado pelo racismo, o machismo, a fome e todos os preconceitos possíveis contra nós, mulheres, negros, favelados. Ela cantou e deu voz às mulheres vítimas de violência doméstica, às famílias que sofrem com a fome, aos negros e favelados que temem a repressão e morte diariamente. A mulher do fim do mundo cantou até o fim, e sua voz nunca deixará de nos emocionar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Adeus Elza Soares, a mulher do fim do mundo - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL