Como fazer

É fácil evitar o desperdício de alimentos; aprenda

"Mesa farta". "É melhor sobrar, do que faltar". A cultura da abundância, do prato cheio de comida, ainda se faz presente no dia a dia de brasileiros e implica diretamente no desperdício de comida.

Dados do IBGE mostram que, em cinco anos, aumentou em cerca de 3 milhões o número de pessoas sem acesso à alimentação básica. Com a pandemia de Covid-19, esse cenário tende a piorar. Por isso, é preciso trabalhar a segurança alimentar de ponta a ponta, do plantio ao consumo dentro de casa. Reunimos a seguir dicas práticas para que você faça sua parte e evite o descarte de alimento.

"Ter o olho maior que a boca"

Quem nunca ouviu essa expressão? Pense nisso ao colocar comida no prato, evite o exagero!
Getty Images

Não vá ao mercado com fome!

Essa dica é básica, a vontade de saciar a fome faz com que você encha o carrinho do que não precisa. Antes, faça uma lista e dê uma olhada na dispensa para comprar o que realmente está faltando. Planejar o cardápio semanal facilita a listagem de ingredientes.
Getty Images/iStockphoto

Dê olho na data

Ao guardar no armário ou na dispensa os alimentos, fique atento à data de validade e coloque os produtos próximos ao vencimento na frente, para que sejam consumidos primeiro
Getty Images/iStockphoto

Quem vê cara...

Não descarte os alimentos pela aparência. Se achar alguma parte da fruta ou da verdura danificada, corte-a e use o que sobrou.
Getty Images/iStockphoto

Mão na massa

Além de planejamento nas compras e acondicionamento adequado, é preciso um aproveitamento integral dos alimentos. No momento do preparo, é possível utilizar cascas, talos e sobras limpas, como aquele famoso arroz que vira bolinho, o feijão que pode virar tutu... Na cozinha, a criatividade pode render boas receitas e evitar o descarte

Chás e caldos

A casca do abacaxi, frequentemente descartada, pode virar um delicioso chá com canela ou cravo. Outra casca que também rende é a da laranja, também para chá. Já os talos dos alimentos, frequentemente descartados, são ricos em nutrientes e podem ser usados em refogados de legumes, caldos e até molhos.
Getty Images/iStockphoto

Chips crocantes

Temperadinha com sal, a casca da batata doce vira um delicioso chips. Use o fatiador de legumes e depois coloque no forno. O mesmo vale para cascas de abóbora.
Getty Images/iStockphoto

Geleias e compotas

A casca do mamão pode render deliciosas compotas e geleias, o mesmo vale para as cascas do maracujá, laranja e jabuticaba.
Getty Images/iStockphoto

Folhas

Quando você notar que as folhas da alface, da rúcula, já não estão tão frescas, que tal refogá-las?
Getty Images/iStockphoto

Sementes

Frequentemente descartadas, as sementes de abóbora e de melancia podem ser torradas e servem como petisco. As sementes da melancia ainda são rica em fibras, o que ajuda no funcionamento do intestino.
iStock

Evite o trabalho!

Cenouras, batatas, mandioquinhas e chuchu podem ser assados e cozidos com casca, basta uma boa higienização.
Getty Images/iStockphoto

Pão francês

No dia seguinte, o pãozinho francês já não tão fresco pode ser torrado e transformado em farinha de rosca. Cortado em cubinhos e levado ao forno, vira deliciosos croutons
Getty Images/iStockphoto
No Brasil, os alimentos mais desperdiçados são: arroz (22%); carne bovina (20%); feijão (16%); frango (15%), hortaliças (4%); frutas (4%).

Por ano, são desperdiçadas 23,6 milhões de toneladas de alimentos, o que representa mais de 40 quilos de lixo por pessoa.

Algumas iniciativas trabalham para conter esses números levando comida, antes desperdiçada, a quem precisa. Um trabalho de logística que promove a alimentação, combate o desperdício e diminui os impactos dos alimentos levados para aterros sanitários ao meio ambiente.

Iniciativas que ajudam a combater a fome e o desperdício

Mesa Brasil

Rede nacional de Bancos de Alimentos que atua contra a fome e o desperdício. É formada por mais de 3.000 parceiros doadores (produtores rurais, atacadistas e varejistas, centrais de distribuição e abastecimento e indústrias de alimentos, além de empresas de diversos ramos de atividade), que doam seus excedentes de produção, alimentos fora dos padrões de comercialização, mas em condições seguras, próprios para o consumo.
iStock

Banco de Alimentos

A ONG, que busca alimento onde sobra e leva para onde falta, realiza uma Colheita Urbana que possibilita a complementação alimentar de qualidade para mais de 20 mil pessoas, todos os dias.
iStock

#SemDesperdício

Lançada pelo WWF-Brasil, a Embrapa e a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura - FAO, a iniciativa nasceu para ampliar a consciência dos consumidores brasileiros sobre o desperdício de alimentos e gerar um impacto positivo na mudança de hábitos de consumo alimentar.
Getty Images
Publicado em 21 de outubro de 2020.
Reportagem: Diana Carvalho
Edição: Fernanda Schimidt