Topo

Receitas


Iogurte, ketchup e outros alimentos que já foram ou surgiram como remédios

Marcelo Testoni

Colaboração para o UOL

25/12/2017 04h00

Coca-Cola, sucrilhos e ketchup são alguns dos produtos alimentícios que no passado podiam ser encontrados nas farmácias ou prescritos por médicos para tratar vários tipos de doença, de impotência sexual, à má digestão, calvície e malária. Dê só uma olhada!

Leia também:

Ketchup

Getty Images
Imagem: Getty Images

Esse condimento existe desde o século 17 na China, onde foi inventado. Porém, se antes era produzido com peixes e mariscos em conserva, quando chegou aos EUA foi pouco a pouco modificado até ser lançado como um remédio picante à base de extrato de tomate. Sua reformulação partiu do médico Archibald Miles, que em 1834 passou a prescrevê-lo para curar vários tipos de enfermidades, de diarreia à queda de cabelo.

Bolacha de água e sal

Antes de ir para a mesa do café da manhã, as primeiras versões de cream cracker eram consumidas como um remedinho pós-jantar. O motivo? Freavam o apetite sexual noturno, defendia o líder protestante Sylvester Graham, que em 1829 desenvolveu o produto para ser mordiscado toda vez que o tesão viesse. Sendo tão seco e sem gosto nem aroma, talvez funcionasse mesmo.

Chocolate

Getty Images
Imagem: Getty Images

Segundo o site do Museu Field, em Chicago, nos EUA, ao chegar à Europa o cacau extraído das Américas foi receitado por médicos como estimulante e remédio para alguns tipos de doenças. Há até quem defenda que um inchaço no baço do cardeal francês Richelieu, do século 17, foi tratado com chocolate. Mas, com o tempo, misturado com açúcar, canela e mais tarde com o leite, o alimento caiu no gosto popular e deixou de ser um fármaco.

Gim-tônica

Getty Images
Imagem: Getty Images

Tudo começou em meio a uma epidemia de malária, por volta de 1800. Na época, soldados britânicos a serviço na Índia adoeceram e começaram a ser tratados com um tônico analgésico elaborado a partir de uma substância química chamada quinina. Porém, por não aceitarem bem o gosto amargo do remédio, decidiram misturá-lo com gim, açúcar e limão, criando, sem querer, um drinque.

Adoçante

Ao menos três tipos surgiram em laboratórios farmacêuticos. O aspartame, em 1965, quando o químico norte-americano Jim Schlatter levou à boca as mãos sujas de um componente que estava sendo testado para um remédio contra úlcera e sentiu um sabor adocicado. Muito antes disso, a sacarina, de 1879, e o ciclamato, de 1937, também foram descobertos da mesma maneira.

Cereal de flocos de milho

Reprodução/Childrencare
Imagem: Reprodução/Childrencare

Inventado nos EUA, em 1894, pelo médico Will Keith Kellogg, os primeiros sucrilhos eram indicados como suplementos vitamínicos para pacientes internados em hospitais. Com a repercussão positiva, se popularizam e também passaram a ser recomendados pelo Dr. Kellogg como uma fonte de energia alternativa à obtida pelo prazer sexual, que era tratado como um perigo à saúde.

Refrigerante de cola

Getty Images
Imagem: Getty Images

O criador da Coca-Cola, o farmacêutico norte-americano John Pemberton, indicava a bebida preta, que na época era apenas um xarope de extrato de cola, para tratar vários tipos de males, de dor de cabeça à fadiga mental e impotência sexual, em 1886. Quase dez anos mais tarde, Caleb Bradham, outro farmacêutico dos EUA, inventou a enzima pepsina, que segundo ele auxiliava na digestão. Por serem refrescantes, ambos viraram refris!

Manteiga de amendoim

Reprodução/Huffpost Taste
Imagem: Reprodução/Huffpost Taste

Em 1903, o médico norte-americano Ambrose Strub foi encarregado de desenvolver um alimento nutritivo que tivesse textura similar a de um filé de carne macio, pois os casos de pacientes idosos com problemas de mastigação haviam aumentado. A solução encontrada foi uma pasta cremosa, que depois de algumas décadas deixou de ser exclusividade dos hospitais e ganhou as prateleiras dos supermercados.

Licor

Obtido em 1845 pelo italiano Bernardino Branca, o licor Fernet Branca consistia em um preparado de ervas medicinais amassadas em álcool que era usado contra cólica e má digestão. Porém, seu reconhecimento só veio após 20 anos, durante uma epidemia de cólera, quando passou a ser misturado ao café e à água pura para matar o agente causador da doença. Com o fim da epidemia, foi adotado como bebida típica.

Iogurte

Getty Images
Imagem: Getty Images

Pelas suas propriedades nutritivas e digestivas, o fermentado começou a ser usado como remédio na Turquia, entre os pastores de ovelhas, e mais tarde, no século 16, pelo rei francês Francisco I, que o incluiu na dieta para tratar de problemas intestinais. No entanto, sua comercialização como alimento comum só ocorreu a partir de 1900, por meio de campanhas promovidas pelo médico russo Ilya Ilyich Mechnikov.

 

Fontes: Livros Protecting America’s Health, de Philip J. Hilts; A História da Medicina: Das Primeiras Curas aos Milagres da Medicina Moderna, de Anne Rooney, A Assustadora História da Medicina, de Richard Gordon, e sites FDA (Food and Drug Administration) e Museu Field.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Receitas