PUBLICIDADE
Topo

Chevrolet Tracker: "invadimos" a fábrica para mostrar como é feito o SUV

João Anacleto

Colaboração para o UOL

30/03/2020 04h00

A busca pela interação completa entre homem e máquina, enfim, chegou ao complexo industrial da General Motors, em São Caetano do Sul (SP). A planta, que completa 90 anos em agosto de 2020, manteve seus galpões e fachadas intactos, e ele conseguem disfarçar bem o R$ 1,2 bilhão investido ali. Depois de três anos de obras, a chegada do Tracker marca o início de uma nova era para fabricante e trabalhadores.

Uma caminhada pelos mais diversos setores fabris é suficiente para reconhecer o avanço em cada parte do processo. Soldas a laser, sistema de montagem direto do motor com transmissão já acoplada, injetoras de plástico que podem ser checadas pelo celular do coordenador e "pensam" sobre qual delas precisa de suprimentos antes da outra e pequenos rebocadores autônomos - que entregam insumos e peças prontas nos setores - são algumas das inovações que colocam os pés da Chevrolet na indústria 4.0.

Até as rodas e pneus, antes enchidos e montados dentro da fábrica, agora já chegam prontos para a linha de montagem. Um robô os separa por carro que está na linha e já vai na ordem certa para o funcionário que aperta os parafusos fixando-as nos eixos. A checagem no processo de funilaria também ganhou dimensões de ficção científica.

Agora todas as peças passam por um scanner antes de irem para os processos de finalização. A checagem humana, que ainda é feita por amostragem, só ocorre no restante da linha após a análise e separação dos robôs. E tudo por ser acompanhado por monitores do lado de fora da linha. Como num monitoramento de segurança no trânsito.

A sustentabilidade também é um dos pilares do processo. Dentre os preceitos, a marca afirma que boa parte do entulho gerado para a adaptação dos setores da fábrica aos novos componentes foi reciclado e usado na reconstrução e ampliação, chegando agora a 432.300 m² de área construída. Agora, a capacidade produtiva anual da fábrica de 250.000 para 330.000 mil carros por ano.