UOL Carros

24/04/2009 - 10h33

Ford perde US$ 1,4 bi no 1º trimestre do ano

Em Washington
A montadora Ford anunciou nesta sexta-feira (24) que teve uma perda líquida de US$ 1,4 bilhão durante o primeiro trimestre do ano, frente aos US$ 70 milhões de lucro do mesmo período de 2008, mas indicou que os resultados melhoraram em comparação ao quarto trimestre do ano passado. Durante os três primeiros meses do ano, a companhia teve receita de US$ 24,8 bilhões.

A empresa também indicou que sua perda operacional antes de impostos, excluindo encargos especiais, foi de cerca de US$ 2 bilhões, frente ao lucro de US$ 686 milhões de há um ano.

O presidente e diretor-executivo da Ford, Alan Mulally, disse que, apesar das más condições do mercado, e empresa "fez um forte progresso em nosso plano de transformação, ao ganhar fração de mercado com sólidos novos produtos, desacelerar fluxos de saída de caixa, reduzir a dívida e diminuir nossos custos estruturais".

Mulally também se referiu ao acordo alcançado com o sindicato United Auto Workers (UAW) durante o trimestre, que permitirá à companhia reduzir custos trabalhistas em cerca de US$ 500 milhões ao ano.

A empresa terminou o trimestre com US$ 21,3 bilhões em reservas e reiterou que "não espera solicitar um empréstimo ao governo dos Estados Unidos".

A empresa gastou US$ 3,7 bilhões de suas reservas em dinheiro durante o trimestre, US$ 3,5 bilhões a menos que o utilizado no quarto trimestre de 2008, e disse que está a caminho de cumprir seu plano para que suas operações na América do Norte saiam do vermelho em 2011.

A Ford, única dos três grandes fabricantes americanos que não solicitou empréstimos públicos para manter suas operações, reduziu em US$ 1,9 bilhão seus custos estruturais no setor do automóvel em comparação aos do primeiro trimestre de 2008.

Desse número, US$ 1,3 bilhão corresponderam a cortes realizados na América do Norte.

Por regiões, a Ford América do Norte registrou perdas operacionais de US$ 637 milhões, seguida pela Ford Europa (perdas de US$ 550 milhões) e Ford Ásia-Pacífico-África (US$ 96 milhões). A Ford América do Sul foi a única a se manter rentável, embora a margem tenha diminuído (US$ 63 milhões).

A Volvo teve perdas operacionais de US$ 255 milhões e o braço de serviços financeiros perdeu US$ 62 milhões.

A empresa calcula que as vendas totais de veículos novos do setor nos Estados Unidos serão entre 10,5 e 12,5 milhões de unidades em 2009. Na Europa, os números serão de entre 12,5 e 13,5 milhões.

Mulally disse que continua "animado com o progresso que a Ford está realizando, que nos permitirá operar através da diminuição e emergir como um fabricante de automóveis mais concentrado e integrado, globalmente preparado para crescer de forma rentável quando a economia se recuperar".

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES