UOL Carros

01/02/2010 - 12h12

Toyota inicia reparos em pedal; problema era conhecido desde 2007

Da Redação, com agências
A montadora japonesa Toyota iniciará nesta semana o conserto dos pedais de acelerador defeituosos, que levaram a empresa a retirar milhões de veículos do mercado nos Estados Unidos e na Europa, informou o grupo num comunicado divulgado nesta segunda-feira (1). A divisão norte-americana do grupo Toyota Motor Sales "começará esta semana a dar uma solução ao pedal do acelerador dos veículos que foram retirados do mercado", afirma a nota.

"Os engenheiros desenvolveram e testaram rigorosamente uma solução que reforça o pedal, de maneira a eliminar o excesso de fricção que causou o bloqueio do pedal em alguns casos", explica a Toyota. As peças de reposição já foram enviadas às concessionárias da marca, que estão sendo instruídas para iniciar os consertos, completa a empresa.

  • O chefão da Toyota nos EUA, Jim Lentz, durante o Salão de Detroit, em janeiro

  • A picape Toyota Tundra apresentou problemas no acelerador já em 2007, segundo boletim

A Toyota anunciou na semana passada o recall de 4,5 milhões de veículos vendidos por um problema no pedal do acelerador produzido pela fabricante americana de peças CTS, que pode bloquear seu retorno à posição inicial após o fim de seu acionamento.

DESDE QUANDO?
Numa entrevista à rede de TV norte-americana NBC veiculada nesta segunda, o presidente da Toyota dos EUA, Jim Lentz, admitiu que a companhia tinha conhecimento do problema com o acelerador desde -- pelo menos -- outubro de 2009. Nessa ocasião, disse Lentz, já tinha sido possível aos técnicos da companhia reproduzirem o problema durante testes.

O executivo confirmou a existência de dois problemas separados com os pedais: o primeiro considerava a possibilidade de o dispositivo prender-se no tapete, atrapalhando seu funcionamento; e o segundo é um defeito mecânico, mais grave e de solução mais complicada. Ambos foram objeto de recall; é este segundo que a Toyota comprovou desde outubro passado.

No entanto, há relatos de que o problema já era de conhecimento da empresa muito antes. Segundo reportagem do boletim especializado Automotive News, em março de 2007 os engenheiros da companhia começaram a receber queixas de que o pedal do acelerador da picape Tundra (não comercializada no Brasil) apresentava mau funcionamento. Após uma série de testes, decidiram que se tratava de um defeito menor e o consideraram resolvido após um reparo simples.

No final de 2008, segundo o AE, as queixas começaram a chegar da Europa. Usuários dos pequenos Aygo e Yaris passaram a reclamar do mesmo problema com o pedal do acelerador -- ele não voltava à posição de descanso após o acionamento, mantendo a aceleração além do tempo desejado. Mais uma vez, o problema foi considerado resolvido após um reparo menor. No entanto, para se ter uma ideia da dimensão da falha da peça, agora modelos Citroën e Peugeot que compartilham peças com o Aygo também foram chamados para reparos.

Entidades de defesa do consumidor dos EUA já estariam recebendo um alto volume de queixas de proprietários de veículos da marca, ou de parentes destes, que relacionam acidentes com feridos e até mortos ao possível mau funcionamento do pedal do acelerador. O ponto-chave, lembra o AE, é determinar se a Toyota demorou a anunciar o recall, ou se tentou, de alguma forma, disfarçar a gravidade do problema. A partir daí podem começar a estourar processos contra a empresa japonesa.

CTS SE DEFENDE
A fabricante norte-americana de componentes CTS, que faz o pedal usado pelos carros Toyota e que agora está produzindo uma versão modificada da peça para suprir a demanda do recall, já afirmou que não pode ser ligada a qualquer caso de "aceleração não-intencional" em veículos da marca japonesa. De acordo com a CTS, esse tipo de problema foi detectado em carros da Toyota já em 1999, e ela fornece partes à empresa desde 2005.

Também segundo a CTS, os casos relatados de mau funcionamento dos pedais são poucos (não chegariam a uma dúzia) e provavelmente ocorreram devido ao uso do veículo em condições climáticas extremas e fora das especificações do fabricante.

Alguns analistas da indústria automotiva, supreendidos pela rapidez com que a Toyota anunciou o nome da fabricante do pedal, avaliam que a CTS está sendo usada como bode expiatório da crise. A CTS existe desde 1896 e fornece sensores e equipamentos eletrônicos para várias indústrias. De acordo com a Bloomberg, seu maior cliente é a Hewlett-Packard (HP). A CTS fabrica pedais de carros também para Honda, Nissan, Chrysler e Mitsubishi, mas as especificações são diferentes em cada caso.

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES