UOL Carros

27/02/2009 - 20h30

Hyundai inicia importação do médio i30, mas mira produção no Brasil

Da Auto Press
Antes de serem sentidas as marolas da crise global, em setembro, o desempenho do mercado brasileiro de automóveis entusiasmou muitas marcas. Com as vendas internas em alta e o dólar estável, diversas montadoras programaram novos produtos importados. Entre elas a Hyundai. Através do Grupo Caoa, importador oficial da marca sul-coreana no Brasil, decidiu trazer o i30. Mas o hatch médio chega na segunda quinzena de março não apenas no ritmo da empolgação de 2008. O modelo vai passar por uma espécie de degustação do mercado. Se emplacar nas vendas, o i30 poderá ser o primeiro produto da fábrica que a montadora promete erguer em Piracicaba, no interior de São Paulo, em 2011.

Divulgação 
O i30 vem mexer com segmento dos hatches médios, apesar dos traços comportados

De toda forma, como a empolgação do ano passado deu lugar a um cenário pré-apocalíptico e um dólar instável, o modelo importado da Coreia do Sul chega com preços entre R$ 52 mil e R$ 64 mil. Mas, na tradicional estratégia da Hyundai de focar no custo/benefício, alguns revendedores já poderiam negociar o i30 por R$ 49 mil. Nesta faixa, o i30 fica competitivo frente aos principais rivais, como o Nissan Tiida S 1.8 (R$ 45 mil) e Peugeot 307 Feline 2.0 (R$ 63 mil).

Na lógica do custo/benefício, porém, o exemplar da Hyundai tem mais atrativos. A começar pela lista de equipamentos, bastante peculiar para o segmento e bem superior aos rivais. Só em segurança, são nada menos que seis airbags, controles eletrônicos de estabilidade e de segurança e freios com ABS. Além disso, o modelo chega com previsíveis ar-condicionado automático, direção hidráulica, trio elétrico, computador de bordo, sensores de chuva e de luminosidade, ajustes de altura e de profundidade do volante, bancos de couro e rádio CD/MP3 com entrada USB e comandos no volante, entre outros.

OCIDENTALIZADO
Inicialmente, o i30 vai chegar ao Brasil com quatro variações: automática ou mecânica e com ou sem teto solar. O motor em todas elas é um 2.0 16V de 143 cv a 6 mil rpm e 19 kgfm de torque máximo a 4.600 giros. Trata-se do mesmo propulsor que equipa as versões de entrada do utilitário esportivo Tucson por aqui. A transmissão automática é de quatro velocidades e nessa configuração o dois volumes sul-coreano vem com controle de cruzeiro.

Nas linhas, trata-se de um oriental que vestiu uma capa para não assustar o público ocidental. Ou seja, o i30 tem um desenho bastante comportado em seus 4,23 m de comprimento, 1,78 m de largura, 1,48 m de altura e 2,65 m de entre-eixos. A frente tem faróis triangulares com contornos arredondados. A grade frontal traz uma entrada de ar afilada com o "H" da logomarca da montadora, enquanto o capô oferece apenas dois vincos que acompanham o desenho do conjunto ótico. Nas laterais, pouca ousadia. Um vinco logo abaixo da linha de cintura e uma depressão na parte inferior das portas que forma uma espécie de elo entre as saliências dos para-lamas.

Murilo Góes/UOL 
Modelo, apresentado no Salão de SP, em outubro, custará entre R$ 49 mil e R$ 62 mil

A traseira reservou um pouco mais de criatividade. O i30 ostenta generosas lanternas que lembram uma gota, com a parte interna cortada pelas laterais do vidro traseiro, de base reta. A tampa do porta-malas, também espremida entre as lanternas, tem dois vincos horizontais bem definidos e ocupa boa parte da altura da traseira. O desenho do para-choques com molduras na cor da carroceria e o aerofólio superior com brake-light embutido completam o visual bastante "comum" do hatch médio.

1.6 NO HORIZONTE
Algumas revendas da Hyundai já recebem encomendas para o i30. E o modelo deve abrir as portas não só para a sua produção, mas também para uma versão mais barata. Para o segundo semestre, pode surgir uma configuração com motor 1.6 com 122 cv a 6.200 rotações e 15,7 kgfm a 4.200 rpm, que é vendida na Argentina, onde há, ainda, a opção 1.4 com 109 cv e 14 kgfm. Lá, aliás, todas as versões vêm com a mesma quantidade de itens de segurança da 2.0. Por aqui, contudo, o i30 1.6 começaria em torno de R$ 42 mil, mas perderia o controle de estabilidade e só ficaria com airbag duplo. Mesmo assim, com cinco anos de garantia, continuaria com forte apelo, estratégia já manjada quando se fala de Hyundai.
(por Fernando Miragaya)

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES