UOL Carros

20/02/2008 - 17h34

Suzuki DL 1000 V-Strom é estradeira e tem bom preço

Da Infomoto
A DL 1000 V-Strom, big-trail da Suzuki, não impressiona somente por seu porte e desenho, pelo potente e "torcudo" motor, ou pelo alto nível de conforto e acabamento. Em números absolutos de vendas, o desempenho da moto também é digno de nota. Durante o ano passado, a Suzuki Motos comercializou 990 unidades do modelo.

Em 2007, a V-Strom só perdeu a primeira posição do ranking de emplacamentos no segmento maxtrail, segundo a federação de distribuidores, para a XT 660 R (2.256 unidades). Mas a moto da Yamaha é mais barata e tem motor menor, de 660 cm³, contra o de 996 cm³ da DL 1000. Já em 2008, a representante da Suzuki está no lugar mais alto do pódio: somente em janeiro vendeu 88 unidades, contra 60 da on-off da Yamaha.
Renato Durães/Infomoto

Motocicleta big-trail da Suzuki tem boa capacidade de inclinação
VEJA MAIS FOTOS DA SUZUKI DL 1000 V-STROM


Sinônimo de robustez, versatilidade, além de oferecer diversão em altas doses de adrenalina, a DL 1000 V-Strom encara muitas aventuras, seja no asfalto, na terra ou no cascalho. Apesar de suas características off-road, aliadas a traços esportivos evidenciados pela carenagem frontal, a moto tem nas rodovias seu habitat natural.

Suas concorrente diretas são a BMW R 1200 GS, Buell XB 12 Ulysses, Honda XL 1000V Varadero, Ducati Multistrada 1.100, Yamaha TDM 900 e Triumph Tiger 1050. O preço sugerido da DL1000 2008 é de R$ 53.436, porém as concessionárias Suzuki estão oferecendo, por tempo limitado, bônus promocional de R$ 9.700, para pagamento à vista. Detalhe: a moto tem um ano de garantia, sem limite de quilometragem.

MOTOR
Quando o motor V2 de 996 cm³ entra em funcionamento é hora de "apertar o cinto". Com potência máxima declarada de 98 cv a 7.600 rpm e torque máximo de 10,3 kgfm a 6.400 rpm, o propulsor responde rapidamente ao giro do acelerador -- e, de quebra, tem muita força, principalmente nas baixas e médias rotações. Para ajudar no bom desempenho, o propulsor conta com sistema de injeção eletrônica, que é controlado pelo ECM (módulo computadorizado de gerenciamento do motor). O sistema dosa a mistura ar/combustível, proporcionando melhor rendimento e economia.

Renato Durães/Infomoto
O painel da Suzuki DL 1000 é completo e oferece boa visualização
O frio dianteiro é bom, mas o traseiro (foto) deixa a desejar
CICLÍSTICA
O conjunto de suspensões está de acordo com suas características de uso e encara, com desenvoltura, os pisos irregulares. Na dianteira, garfo telescópico com ajuste na pré-carga da mola. Já na traseira, a balança conta com um único conjunto mola-amortecedor, com link. Por meio de uma espécie de registro é possível regular o retorno e a pré-carga da mola, caso a motocicleta carregue garupa ou bagagem. Como a moto é alta, o piloto com menos de 1,70 metro pode sofrer para se equilibrar ou fazer manobras em baixa velocidade.

Com relação ao sistema de freio, o dianteiro -- com duplo disco --mostrou-se bastante eficiente, mesmo em situações extremas. Apesar disso, a adoção do sistema ABS seria muito bem-vinda. Já o traseiro, de disco simples, deixou um pouco a desejar. Porém, é preciso levar em consideração que a moto utilizada no teste era nova, e que as pastilhas ainda não estavam devidamente acomodadas.

CONFORTO
A posição de pilotagem e o conforto são os destaques desta big-trail. O piloto pode passar horas sobre a DL 1000 V-Strom sem se cansar. É a tal ergonomia. O banco é largo e macio e o guidão está na posição ideal. Apesar de seu porte avantajado e seus 208 kg (peso a seco), a DL 1000 V-Strom é fácil de pilotar e tem uma boa capacidade de inclinação, mesmo com um garupa -- que também viaja confortavelmente.

Para transportar pequenos objetos o bagageiro tem sua superfície emborrachada. É possível aumentar a capacidade de armazenar bagagens com maleiros laterais. Além disso, a moto conta com protetores de mão e pneus de uso misto, marcas de sua versatilidade. Há outros acessórios para a DL-1000, como, por exemplo, protetores de tanque e motor ou top-case. Outro ponto positivo do modelo da Suzuki é o pára-brisa com regulagem de altura e potentes faróis, que ajudam durante uma viagem noturna.

Para facilitar ainda mais a vida do mototurista, o painel de instrumentos oferece fácil leitura e traz vários indicadores do comportamento da Suzuki DL-1000: velocímetro, tacômetro, hodômetro total e dois parciais, indicadores de temperatura, combustível e última marcha engatada, luzes de seta, neutro, farol alto, pressão de óleo e de fuel injection. Tudo privilegiando a ergonomia, o conforto e a segurança dos moto-aventureiros.

(por Aldo Tizzani)

Compartilhe:

    Fale com UOL Carros

    SALOES