Prêmio UOL Carros

Conheça os indicados a melhores do ano em 12 categorias

Do UOL, em São Paulo

Os melhores de 2019

O Prêmio UOL Carros chega a sua terceira edição em 2019, em iniciativa que visa prestigiar os destaques no mercado automotivo no ano. O júri composto por 12 jornalistas especializados no setor automotivo escolherá os melhores em 12 categorias, com quatro finalistas cada.

Também será entregue o prêmio da categoria "Melhor Pós-Venda" à Kia Motors, eleita pelo público através de votação na página de UOL Carros.

Nesta série especial, o UOL Carros divulga a lista dos indicados de cada categoria. Os vencedores serão revelados hoje em evento em São Paulo.

Os hatches compactos ainda dominam a indústria automotiva nacional. O ranking de emplacamentos da Fenabrave indica que o segmento respondeu por 46,1% das vendas em 2018. Assim fica fácil entender porque a categoria teve o maior número de novidades neste ano.

Dois dos principais modelos do país foram totalmente repaginados em 2019. Primeiro veio o Chevrolet Onix: o líder absoluto de vendas nos últimos três anos foi desenvolvido para ser um carro global e ganhou tecnologias inéditas até então, como motor turbo e internet a bordo.

Pouco tempo depois estreou o Hyundai HB20, cuja nova geração trouxe um design controverso e mais conteúdo. Além de manter as virtudes de seu antecessor (como a qualidade de construção e o ótimo acabamento interno), ele trouxe mais conteúdo, incluindo itens inéditos na categoria, como frenagem autônoma de emergência.

Os outros dois pesos-pesados da categoria também foram atualizados neste ano. O Renault Sandero ganhou uma leve reestilização suficiente para atualizar seu visual e o câmbio automatizado finalmente foi trocado pela caixa CVT. Já o Ford Ka havia passado por uma atualização de estilo bem sutil no ano passado e ganhou a inédita versão Freestyle 1.0.

Os sedãs compactos tiveram duas importantes novidades em 2019. O Chevrolet Onix Plus ganhou uma geração inteiramente nova recheada com um pacote bem interessante que inclui projeto moderno, design atraente e bom conteúdo.

O sedã, porém, sofreu um forte baque quando algumas unidades se incendiaram repentinamente, forçando a montadora a realizar um recall para atualizar o software da central eletrônica do veículo.

Já o Hyundai HB20S seguiu os passos do hatch e trouxe motorização mais moderna, porta-malas generoso e design polêmico para garantir sua indicação ao Prêmio.

Volkswagen Virtus e Fiat Cronos não sofreram alterações profundas, mas chegam com moral para a disputa com suas novas versões neste ano: enquanto o modelo da VW trouxe um modelo para o público PCD, o Cronos apresenta uma configuração com visual esportivo chamada HGT.

Arte UOL

O ano de 2019 foi especialmente movimentado para o segmento dos sedãs médios, em termos de lançamentos e inovações - comprovando que, apesar da crescente popularidade dos SUVs, eles ainda são referência em conforto, tecnologia, espaço interno e prazer de dirigir.

O Chevrolet Cruze ganhou novo visual na linha 2020, que recém-chegou ao mercado. Manteve o motor 1.4 turbo flex, que combina performance com economia de combustível, e trouxe uma novidade para quem não vive sem acesso à internet: conexão 4G dedicada e roteador Wi-Fi, combinados com a central multimídia MyLink e o sistema de concierge OnStar.

O Honda Civic também recebeu uma atualização estética, mas não ficou nisso: na versão topo de linha Touring passou a oferecer carregamento de celular sem fio e sistema de som com 452 W de potência e dez alto-falantes, incluindo subwoofer.

Já o Mercedes-Benz Classe A Sedan estreou no país trazendo o requinte e a tecnologia da marca alemã em uma faixa de preço capaz de competir com sedãs médios nacionais. Traz motor compacto e eficiente: 1.3 turbo capaz de render 163 cv e 25,5 kgfm. Além de andar bem e beber pouco combustível, traz a central multimídia MBUX, com operação intuitiva e comandos de voz.

Por fim, o Toyota Corolla, sedã médio mais vendido do Brasil, passou por profunda reformulação neste ano. Ganhou plataforma moderna, com maior rigidez estrutural, e trouxe uma tecnologia inédita no mundo: é o primeiro automóvel híbrido flex do planeta. Tudo isso combinado com suspensão traseira independente e dirigibilidade mais refinada.

O Honda HR-V entrou na briga por trazer um conjunto mecânico diferenciado na sua categoria. Na linha 2020, a versão topo de linha Touring voltou ao mercado trazendo o mesmo conjunto mecânico do Civic mais caro: motor 1.5 turbo de 173 cv associado com transmissão automática do tipo CVT.

Além de entregar desempenho acima da média entre os utilitários esportivos compactos, entrega dirigibilidade que também agrada - uma característica comum às demais versões, que mantiveram o competente motor 1.8 aspirado de 140 cv.

Já o Hyundai Creta teve renovação visual discreta este ano, mantendo as opções de motor flex 1.6 e 2.0, casados com câmbio manual ou automático, sempre com seis marchas.

Espaçoso e bom de dirigir, agregou itens interessantes ao segmento, como carregamento de celulares por indução e abertura e fechamento das portas com uma pulseira. Além das novidades, manteve o bom acabamento interno e recursos como partida do motor por botão e saída do ar-condicionado para os bancos traseiros, dependendo da versão.

Por sua vez, o Peugeot 2008 recebeu uma reestilização concentrada na dianteira, que fez bem ao visual. Compacto e ágil, o Peugeot 2008 também traz preços competitivos e mesmo nas versões mais simples o motor 1.6 flex oferece desempenho agradável com economia de combustível.

É uma alternativa a se considerar para clientes PCD (pessoas com deficiência), combinando preço com boa lista de itens de série. Outra novidade: neste ano, finalmente passou a trazer câmbio automático combinado ao esperto motor 1.6 THP turbo.

Por fim, o Volkswagen T-Cross estreou oficialmente em abril como o "SUV do Polo". Compartilha com o hatch a moderna plataforma modular MQB, que combina segurança com espaço interno, além de trazer tecnologias avançadas.

Pode ser equipado com painel de instrumentos 100% digital, teto solar elétrico, assistente de estacionamento automático e frenagem automática pós-colisão. É o único do trio a trazer motor turbo em todas as versões e foi avaliado com nota máxima no teste de impacto do Latin NCAP.

Embora não esteja vivendo o auge dos SUVs compactos, a categoria dos SUVs médios aproveita o frenesi em torno dos utilitários esportivos.

O UX trouxe a Lexus para uma faixa de consumidor que até então nem pensava em adquirir um veículo da marca japonesa. Eficiente e bonito, o modelo tem tecnologia híbrida e potência combinada de 181 cv.

Já o Jeep Compass ainda não foi reestilizado, mas ganhou novas versões em 2019, como a S, que traz piloto automático adaptativo e frenagem autônoma.

As japonesas Mitsubishi e Toyota vieram com boas novidades. O Eclipse Cross trouxe a marca de volta ao jogo com motorização turbo e um design ousado. Já o novo RAV4 foi completamente renovado e apostando na tecnologia híbrida, além de um estilo bem mais moderno. Resultado: o SUV da Toyota nunca vendeu tão bem.

Arte UOL

Os SUVs são hoje a categoria mais desejada de automóvel e as montadoras de luxo não poderiam deixar de concorrer nessa categoria. Até marcas tradicionais de supercarros se renderam à onda e hoje têm pelo menos um utilitário esportivo para chamar de seu.

Só que, nesse caso, não basta oferecer carroceria alta e robustez: é preciso também proporcionar alta performance, muito conforto e tecnologias avançadas de conectividade e condução semiautônoma. Este ano, concorrem na categoria de SUVs premium quatro concorrentes de respeito: Audi Q8. BMW X7, Lamborghini Urus e Mercedes-Benz Classe G.

O Audi Q8 chegou recentemente ao Brasil com a missão de ser o SUV mais arrojado e sofisticado da marca alemã, tarefa que cumpre sem ressalvas. Grande e intimidador, traz o estilo cupê hoje tão em moda, exibindo caimento acentuado do teto na parte traseira. Além do design que chama a atenção, traz motor V6 turbo dotado de tecnologia híbrida leve, combinando eficiência com performance. Por dentro, os comandos são concentrados em duas telas sensíveis ao toque de alta resolução.

O BMW X7 também estreou no País como o utilitário esportivo topo de linha da marca bávara. Aposta em um desenho mais tradicional, sem abrir mão do requinte: mede mais de 5 metros de comprimento e oferece recursos como suspensão a ar, bancos com função de massagem e tampa do porta-malas bipartida com acionamento elétrico. Conta até com faróis a laser e o motor é um V8 biturbo com mais de 450 cv.

Já o Lamborghini Urus, construído sobre a mesma base do Q8, é o mais caro e também o mais potente e exclusivo do quarteto. Traz o visual arrojado e cheio de vincos da fabricante italiana, tração nas quatro rodas e motor V8 com duas turbinas que entrega 650 cv e permite sair da imobilidade e atingir os 100 km/h em cerca de 3,5 segundos. O sucesso do Urus tem sido tanto que, no Brasil, as vendas da Lamborghini quadruplicaram.

Por sua vez, o Mercedes-Benz Classe G chegou na segunda geração mantendo a essência de SUV raiz. Ele preservou o desenho rústico do modelo original, bem como a alta capacidade de encarar terrenos mais difíceis, graças a "truques" como três bloqueios de diferencial. Tudo isso somado a modernidades como suspensão eletrônica adaptativa, seletor de modos de condução e o motor V8 biturbo de 585 cv.

Arte UOL

O ano de 2019 não reservou grandes novidades no segmento de picapes médias no país. A Ford Ranger trouxe o maior número de alterações, incluindo uma leve reestilização na dianteira e uma suspensão recalibrada que deixou o modelo mais confortável de guiar.

A Nissan Frontier passou a ser fabricada na Argentina e ganhou novos equipamentos e versões, como a esportiva Attack.

A Mitsubishi L200 ainda não foi substituída pelo modelo reestilizado que já existe em mercados como a Tailândia, mas trouxe de volta a versão Outdoor.

Por fim, a vice-líder Chevrolet S10 manteve o visual da reestilização de 2016, e acrescentou mais equipamentos nas versões mais baratas.

Arte UOL

Os esportivos representam o que há de mais avançado em performance e tecnologia no mundo automotivo. Neste ano, o Brasil recebeu novidades importantes na categoria.

Quando se fala em perua esportiva, não dá para deixar de citar a Audi RS4 Avant. Ela passou por uma profunda atualização, que incluiu a troca do motor 4.2 V8 aspirado pelo 2.9 V6 biturbo. Vai de zero a 100 km/h em 4,1 segundos. Tempo de superesportivo em um carro com espaço para a família.

O 911 é um dos raros carros que evoluem sem perder a essência. A história não foi diferente na oitava geração, que agregou novo chassi, freios otimizados e amortecedores inteligentes ao cupê. O motor "boxer" traseiro ficou mais potente e a direção, ainda mais direta. Ao mesmo tempo, o Porsche mais estável e fácil de domar.

Quem disse que esportivo tem de ser exótico e caro? O Renault R.S. está aí para provar o contrário. Com preço de sedã compacto bem equipado, recebeu novas lanternas e manteve os elementos esperados em um esportivo "raiz": suspensão mais rígida e rebaixada, baixo peso, bancos baixos e com abas laterais, direção pesada e ronco encorpado do motor.

Por fim, o Volkswagen Golf GTE é o representante dos novos tempos, nos quais desempenho e sustentabilidade podem - e devem - andar juntos. O híbrido plug-in propõe combinar a dinâmica do Golf GTI com baixo consumo e menos emissões.Também roda até 50 km no modo 100% elétrico.

Arte UOL

Os carros elétricos ainda estão engatinhando no Brasil, mas já marcam presença nas nossas ruas. O Prêmio UOL Carros indica quatro importantes novidades que desembarcaram no Brasil neste ano. O Renault Zoe é uma das opções mais acessíveis do mercado: por R$ 149.900, e traz um motor elétrico de 92 cv e autonomia superior a 300 km, segundo a marca.

Um dos nomes mais conhecidos entre os veículos movidos a eletricidade é o Nissan Leaf. A geração anterior já rodava no Brasil, mas apenas para uso de taxistas e alguns órgãos públicos. Só a partir de 2019 é que o carro começou a ser vendido para pessoa física ao preço de R$ 195 mil, incluindo um kit completo de recarga. O Leaf traz a tecnologia e-Pedal, que permite usar apenas o pedal do acelerador na condução, já que o veículo começa a frear sozinho quando o motorista para de acelerar.

Já o Chevrolet Bolt começou a pré-venda no fim deste ano, quase um ano após o anúncio de sua venda, realizado durante o último Salão do Automóvel de São Paulo. O modelo manteve o preço de R$ 175 mil anunciado na ocasião, mas estará disponível inicialmente apenas na versão Premier. Seu motor tem 203 cv e a autonomia é de até 416 quilômetros de acordo com o ciclo EPA.

Por fim, o JAC iEV40 foi o primeiro carro chinês elétrico à venda no Brasil. Lançado em setembro deste ano, ele é um dos quatro modelos movidos a eletricidade que a empresa trouxe para cá. Baseado no T40, o modelo tem 115 cv e torque máximo de 27,6 kgfm. O preço? R$ 153.900.

Arte UOL

Na edição de 2019 do Prêmio UOL Carros, os indicados para a categoria de Melhor Importado são Mitsubishi Pajero Sport, Range Rover Evoque Suzuki Jimny e Volvo V60.

O novo Pajero Sport estreou este ano no Brasil com visual renovado e a robustez de um legítimo SUV "raiz": traz carroceria sobre chassi, motor turbodiesel de 190 cv, reduzida e bloqueio de diferencial. Tudo isso com muita tecnologia, incluindo controle de velocidade de cruzeiro adaptativo, três fileiras de assentos e dez saídas de ar-condicionado.

Já o Range Rover Evoque deixou de ser fabricado no Brasil na segunda geração, que evoluiu em todos os aspectos na comparação com a primeira. A carroceria com perfil de cupê foi mantida, ao mesmo tempo em que o Evoque emprestou vários elementos do Velar para ficar mais sofisticado. Ganhou itens como maçanetas retráteis e comandos concentrados em três telas.

O terceiro indicado é outro SUV, porém com dimensões mais compactas. O novo Jimny Sierra ganhou visual mais quadrado, que combina com a proposta fora-de-estrada. Além disso, ficou mais potente, preservando a tração 4x4 com reduzida. Também evoluiu em dirigibilidade, trazendo uma suspensão mais confortável para uso urbano.

Por sua vez, o Volvo S60 chegou para agitar a categoria de sedãs médios premium. Estreou no Brasil com atributos para ser considerado como opção a modelos consagrados como Mercedes-Benz Classe C e BMW Série 3. Tem estilo marcante, traz dinâmica precisa e empolgante, bem como tecnologia híbrida de propulsão.

Os veículos comerciais leves respondem por boa parte das vendas das grandes fabricantes da indústria automotiva. E é por isso que o Prêmio UOL Carros vai reconhecer o melhor lançamento do segmento de Utilitários pela primeira vez.

Uma das novidades mais importantes do ano foi a nova Mercedes-Benz Sprinter. Completamente renovada, ela trouxe um projeto mais refinado e que até se aproxima de alguns automóveis da marca alemã.

Peugeot Expert é variação de um projeto refinado lançado pela PSA em 2018 e que se firmou como uma das opções mais interessantes da categoria.

A Fiat Ducato ganhou nova geração na linha 2019, enquanto a Renault Master se manteve como uma das vans mais vendidas do país, uma credencial e tanto na disputa do troféu.

Arte UOL

A segunda geração do Chevrolet Onix acaba de ser lançada com o desafio de substituir o carro mais vendido do Brasil há quatro anos consecutivos. Agora um projeto global, com desenvolvimento na China o novo Onix ficou maior e muito mais equipado. Além disso, o conjunto formado pelo motor 1.0 turbo e pelo câmbio de seis marchas agrada tanto por conta do desempenho quanto pelo baixo consumo. Teve nota máxima em teste de impacto do Latin NCAP e traz seis airbags em todas as versões.

Outro candidato a Destaque do Ano é o novo Hyundai HB20, que também recém chegou mercado com a missão de se manter entre os campeões de vendas. O hatch não cresceu tanto quanto o rival Onix, mas passou por modificações profundas. Ganhou a opção de motor turbo com injeção direta e recursos de segurança inéditos em sua categoria, como alerta de colisão com frenagem automática e alerta de mudança involuntária de faixa.

O Toyota Corolla é outro modelo que mudou profundamente e está na lista de mais vendidos. A nova geração é a que mais trouxe novidades em toda a história do sedã médio, que estreou nova plataforma, mais rígida e estável, posição de dirigir mais baixa e suspensão traseira independente. Além de ficar mais agradável de dirigir, tornou-se o primeiro híbrido flex do mundo. Quanto à segurança, incorporou itens como controle de velocidade de cruzeiro adaptativo.

Por fim, o Volkswagen T-Cross estreou este ano no Brasil como o primeiro SUV compacto da Volkswagen. Traz a mesma base estrutural e mecânica do Polo, motorização turbo em todas as versões e opção de painel de instrumentos digital. Também traz opção de teto solar panorâmico e recursos como detector de fadiga e frenagem automática pós-colisão. Também foi avaliado com nota máxima do crash-test do Latin NCAP.

Curtiu? Compartilhe.

Topo