Topo

Carros


Carros

Governo francês lança investigação sobre a riqueza de Carlos Ghosn

Carlos Ghosn deixa casa de detenção em Tóquio após pagar fiança de R$ 17,2 milhões - Behrouz MEHRI/AFP
Carlos Ghosn deixa casa de detenção em Tóquio após pagar fiança de R$ 17,2 milhões
Imagem: Behrouz MEHRI/AFP

Mathieu Rosemain e Emmanuel Jarry

De Paris (França)

24/06/2019 08h59

Resumo da notícia

  • Renault diz que executivo tem 11 milhões de euros em gastos suspeitos
  • Ghosn foi libertado em abril no Japão após pagar fiança
  • Brasileiro comandou a aliança Renault-Nissan-Mitsubishi

A administração fiscal francesa lançou uma investigação profunda sobre a riqueza do ex-presidente da Renault-Nissan, Carlos Ghosn, informou ontem (23) o jornal francês "Liberation", citando fontes.

Ghosn, que possui cidadania francesa, libanesa e brasileira, está enfrentando acusações de desvios financeiros, o que ele nega. Ele foi libertado em abril da prisão no Japão com fiança de US$ 4,5 milhões (aproximadamente R$ 17,2 milhões).

Gastos suspeitos Ghosn fez quando ele presidiu as montadoras Renault e Nissan somaram cerca de 11 milhões de euros (cerca de R$ 47,9 milhões), disse o conselho da Renault em um comunicado em 4 de junho.

Uma notificação sobre a investigação foi enviada a Ghosn e sua esposa, relatou o jornal. Francois Zimeray, um dos advogados de Ghosn, disse que não foi informado.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Mais Carros