PUBLICIDADE
Topo

Jeep Gladiator é picape 4x4 de R$ 500 mil feita para poucos; veja detalhes

Vitor Matsubara

Colaboração para o UOL, de Cabaceiras (PB)

04/08/2022 15h28

Resumo da notícia

  • Picape derivada do Wrangler tem motor V6 e tração 4x4
  • Gladiator será vendida no Brasil apenas na versão Rubicon
  • Portas e teto podem ser removidos, enquanto para-brisa é rebatível

Desde 2015, a Jeep passa por um processo intenso de transformação global. No Brasil a mudança foi radical: de uma marca de nicho com produtos caros, a empresa entrou em segmentos mais acessíveis, expandiu sua rede de concessionárias e até abriu uma fábrica em Pernambuco. Resultado: nunca se vendeu tanto Renegade e Compass por aqui.

Agora que a marca já é conhecida por quase todo mundo, chegou a vez de reforçar a gama de modelos premium. É com essa missão que a Gladiator chega ao Brasil.

Inicialmente, a picape derivada do Wrangler desembarca no Brasil apenas na versão Rubicon - nome dado em homenagem a uma das pistas de off-road mais difíceis do mundo, que fica nos Estados Unidos. Aliás, essa picape será para poucos: quem quiser uma precisará desembolsar quase meio milhão de reais - ou R$ 499.990, para ser mais exato.

O nicho do nicho

A Jeep buscou inspiração no passado antes de desenvolver seu novo modelo. Afinal, as primeiras picapes da empresa estrearam no mercado norte-americano na década de 1940. A própria Gladiator, aliás, foi vendida de 1962 a 1971.

Por aqui, a marca nunca havia explorado esse segmento. Isso abre margem para a empresa dizer que está criando uma categoria: o das picapes verdadeiramente off-road. Dessa vez parece que os marqueteiros tem razão, já que não existem rivais diretos para a Gladiator. Ou seja, estamos falando do "nicho do nicho" de mercado.

A própria Jeep sabe disso, tanto que pretende trazer um primeiro lote de 300 unidades. Esses veículos devem ser vendidos rapidamente, já que a marca vai comercializar a picape em todas as 222 revendas espalhadas pelo país. Destas, 150 lojas contarão com um veículo para test drive. A pré-venda, inclusive, será iniciada já nesta quinta-feira (4), com um lote inicial de 300 unidades.

A Jeep garantiu que o preço será mantido neste lote inicial e novos lotes serão importados de acordo com a demanda, mas a "briga" com outros mercados está ferrenha, o que inviabiliza o lançamento de uma versão mais barata - ao menos por enquanto.

Picape ou conversível? Os dois!

Gladiator 1 - Clara Gouvêa/Divulgação - Clara Gouvêa/Divulgação
Sem portas e teto: só tome cuidado com a poeira...
Imagem: Clara Gouvêa/Divulgação

As linhas do Wrangler, nitidamente inspiradas no design icônico dos antigos Jeep, perderam um pouco do charme na Gladiator.

De toda maneira, a frente preserva a identidade da marca, com as sete fendas verticais entre os faróis redondos. Os para-lamas salientes também estão lá, assim como as lanternas quadradas. O visual da traseira é um pouco simples, apesar do enorme logotipo da Jeep na tampa da caçamba.

Assim como o Wrangler, a Gladiator pode ter todas as portas e o teto removidos, enquanto o parabrisa pode ser rebatido. Isso faz dela a "primeira picape parcialmente conversível", nas palavras da própria Jeep.

Só existe um porém: não há espaço suficiente para levar todas as partes na caçamba da picape. Então sugiro que você verifique a previsão do tempo antes de sair com os cabelos ao vento por aí.

Carga? O forte é rebocar

Gladiator 2 - Clara Gouvêa/Divulgação - Clara Gouvêa/Divulgação
Como um bom veículo americano, a Gladiator tem ótima capacidade de reboque
Imagem: Clara Gouvêa/Divulgação

A Gladiator está entre as maiores picapes vendida no Brasil - e só não leva o título por conta de sua 'prima' RAM 3500. Com 5,59 m de comprimento e espantosos 3,49 m só de distância entre eixos, ela não nasceu para andar na cidade - pelo menos não nas brasileiras.

A caçamba tem capacidade volumétrica de 1.000 litros, mas leva "apenas" 654 kg. Enquanto isso, uma Fiat Strada leva mais: são até 720 kg na configuração Endurance. Só que estamos falando de um produto feito para os Estados Unidos, onde a capacidade de reboque conta mais do que a quantidade de quilos suportada na caçamba. É por isso que ela reboca mais de três toneladas.

Mesmo assim, a fabricante poderia ter equipado a picape com protetor de caçamba. O item é oferecido como acessório, mas impediria que cargas mais pesadas ou pontiagudas danificassem a pintura do compartimento. Em contrapartida, a tampa traseira possui sistema de amortecimento que facilita a abertura e fechamento.

A Gladiator será importada apenas na versão Rubicon. A lista de equipamentos inclui alerta de colisão frontal, frenagem autônoma de emergência, piloto automático adaptativo, controles de estabilidade e de tração, assistente de partida em rampas, controle de velocidade em descidas, sensor de pontos cegos, ar-condicionado digital com duas zonas de temperatura, sistema de câmeras com visão em 360 graus e faróis full LED.

A central multimídia tem tela tátil de 8,4 polegadas (como nas versões mais caras do Renegade) e sistema de som da Alpine com nove alto-falantes. Existe até uma caixa de som removível atrás dos bancos traseiros, que pode ser pareada com qualquer dispositivo via Bluetooth.

Como anda?

Gladiator 3 - Clara Gouvêa/Divulgação - Clara Gouvêa/Divulgação
Motor V6 garante força de sobra dentro e fora do asfalto
Imagem: Clara Gouvêa/Divulgação

Duvido que alguém vá comprar uma Gladiator para correr, mas vale lembrar que existe desempenho de sobra. Ela é movida pelo motor 3.6 V6 Pentastar, que entrega 284 cv e 35,4 kgfm de torque máximo. Estamos falando da motorização que equipava a geração anterior do Wrangler, uma vez que o modelo atual usa o 2.0 turbo.

Basta acelerar mais fundo para escutar a sinfonia típica de um V6 despejando força nos pneus. O câmbio automático realiza as trocas rapidamente, fazendo com que a picape ganhe velocidade sem dificuldades.

O consumo surpreende pelas médias razoáveis para um veículo deste porte. A fabricante declara 6,5 km/l na cidade e 7 km/l na estrada, lembrando que a picape roda apenas com gasolina. Durante nosso test-drive, realizado na maioria do tempo em estradas do Nordeste, UOL Carros conseguiu médias muito próximas às informadas pela Jeep.

Gladiator 4 - Clara Gouvêa/Divulgação - Clara Gouvêa/Divulgação
Ângulos de entrada e de saída ajudam a superar desafios nas trilhas
Imagem: Clara Gouvêa/Divulgação

A transmissão é automática de oito marchas, com opção de trocas sequenciais por toques na alavanca. Ao lado fica o seletor da tração, que oferece cinco configurações. Lá também ficam os comandos de vários recursos concebidos para as trilhas. Um bom exemplo está na barra estabilizadora dianteira, que pode ser desconectada para aumentar o curso da suspensão frontal em até 30%. A Gladiator ainda oferece bloqueio dos diferenciais dianteiro e traseiro e sistema de tração nas quatro rodas com cinco modos.

Fora do asfalto, a picape exibe desenvoltura impensável para qualquer picape vendida no Brasil. O selo Trail Rated, que atesta a capacidade do veículo no off-road, está estampado na carroceria graças a qualidades como o ângulo de ataque de 43º e ângulo de saída de 26º. A altura livre em relação ao solo é de 27 cm, fazendo com que o motorista dificilmente raspe o assoalho em algum obstáculo. Talvez você nunca precise de tudo isso, mas é bom contar com tanta valentia se a ideia for fugir da cidade.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.