PUBLICIDADE
Topo

Aceleradas ilegais: por que radares não multam campeões da imprudência

Radares da CET na cidade de São Paulo têm limitação técnica que impede identificação e autuação de veículos acima de 250 km/h - Fernando Donasci/Folha Imagem
Radares da CET na cidade de São Paulo têm limitação técnica que impede identificação e autuação de veículos acima de 250 km/h Imagem: Fernando Donasci/Folha Imagem

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo

29/07/2022 04h00

Excesso de velocidade é uma das principais causas de acidentes de trânsito, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). Não por acaso, quanto mais o motorista exceder o limite estabelecido para determinada via, maior será sua penalização - caso o infrator seja flagrado.

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), dirigir a velocidade superior à máxima permitida em mais de 50% constitui infração gravíssima, com multa multiplicada por três (R$ 880,41), mais suspensão do direito de dirigir. Mesmo assim, existem condutores que passam por radares a altíssima velocidade em vias públicas, arriscando a própria vida e a de terceiros, sem levar multa.

O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Na cidade de São Paulo, a velocidade mais alta já registrada por radares da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) foi de 248 km/h, em março de 2015, na pista expressa da Marginal Tietê, sentido Castello Branco, após a Ponte da Casa Verde. O infrator não foi identificado e, portanto, deixou de ser punido.

O mau motorista supostamente não estava utilizando nenhum dispositivo para burlar a fiscalização eletrônica, como a placa 007 ou aparelhos que "travam" o radar. Na época, a CET informou que a placa ficou ilegível na fotografia captada pelo aparelho devido a uma combinação de alta velocidade com iluminação insuficiente.

Na ocasião, a estatal, vinculada à Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito, informou que seus radares são capazes de identificar veículos rodando a até 250 km/h. Essa limitação técnica permanece até hoje.

"A fiscalização eletrônica pode registrar veículos com velocidade até 250 km/h", diz nota enviada pela CET ao UOL Carros.

Dessa maneira, mesmo em plena luz do dia, os equipamentos de fiscalização da companhia não conseguem flagrar e viabilizar a autuação de motoristas acelerando acima de 250 km/h.

Multa a 196 km/h

A CET informa, ainda, que seus equipamentos identificaram dois veículos bem acima da máxima permitida em 2020 e 2021 - vale destacar que o limite na cidade de São Paulo é de 90 km/h, na pista expressa das marginais Pinheiros e Tietê, e é proibido rodar acima de 50 km/h na maioria das vias da capital.

Conforme a empresa, um desses motoristas foi pego acelerando a 196 km/h na Avenida Jacu-Pêssego/Nova Trabalhadores, a cerca de 60 metros da passarela Padre Duilio Liburdi.

Outro infrator foi flagrado por radar também a 196 km/h na Marginal Pinheiros (sentido Castelo Branco-Interlagos), na altura número 16.741.

A CET acrescenta que, nas duas ocasiões, o motorista foi multado de acordo com a máxima punição prevista no CTB, mencionada no início desta reportagem.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.