PUBLICIDADE
Topo

Novo SUV chinês chega em setembro com preço de Compass e consumo de 22 km/l

Medindo 4,70 m de comprimento, SUV Song Plus começa a ser disponibilizado em setembro no Brasil com tecnologia híbrida plug-in e preço em torno de R$ 250 mil - Divulgação
Medindo 4,70 m de comprimento, SUV Song Plus começa a ser disponibilizado em setembro no Brasil com tecnologia híbrida plug-in e preço em torno de R$ 250 mil
Imagem: Divulgação

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

29/05/2022 04h00

Após anunciar planos de fabricar no Brasil carros eletrificados, a BYD começa a vender em breve, ainda importado da China, o primeiro modelo que pretende produzir aqui.

Trata-se do SUV híbrido plug-in Song Plus, que chega ao País em setembro e terá seus detalhes revelados em agosto. Já adiantamos que a novidade será um pouco mais cara do que o Jeep Compass a diesel e consideravelmente mais barata do que a versão híbrida 4xe do utilitário esportivo médio mais vendido do País - vendida por R$ 350 mil.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Maior do que o Compass, o Song Plus vai impressionar pelo baixo consumo, com média combinada em torno de 22 km/l de gasolina, segundo aferição do Inmetro (Instituto Brasileiro de Tecnologia, Qualidade e Metrologia).

Primeiro modelo da BYD a ser fabricado no Brasil é um pouco maior do que Compass e tem porta-malas de 574 l - Divulgação - Divulgação
Primeiro modelo da BYD a ser fabricado no Brasil é um pouco maior do que Compass e tem porta-malas de 574 l
Imagem: Divulgação

As informações são de Henrique Antunes, diretor de vendas da BYD Brasil, entrevistado com exclusividade por UOL Carros. Segundo o executivo, após lançar o SUV Tan e o sedã Han, ambos elétricos e com preço na faixa de R$ 500 mil, chegou a hora de a montadora chinesa oferecer um produto que viabilize a esperada fábrica de veículos no Brasil.

"Tan e Han são embaixadores da marca e nunca terão volume. Esse papel caberá ao Song Plus, que tem causado boa impressão em clínicas realizadas com potenciais clientes e virá bem equipado", diz Antunes.

De acordo com ele, o "número mágico" para a BYD bater o martelo sobre a fabricação local de automóveis é de "pelo menos" mil unidades comercializadas por mês ou pouco mais de 10 mil veículos vendidos por ano no Brasil. A previsão é de que esse montante seja atingido já em 2023, destaca.

BYD Song Plus traz central multimídia de 12,8 polegadas, chave presencial e assistentes à condução - Divulgação - Divulgação
BYD Song Plus traz central multimídia de 12,8 polegadas, chave presencial e assistentes à condução
Imagem: Divulgação

A BYD também lançará até o fim deste ano um sedã médio com a mesma plataforma híbrida plug-in do SUV, combinando motor 1.5 aspirado a gasolina com outro elétrico - a previsão inicial era de que esse carro seria o Qin Plus, contudo ele poderá ser substituído pelo Destroyer 05, recentemente apresentado na China.

Antes disso, em julho chega ao País o elétrico D1, monovolume com foco no mercado corporativo que foi desenvolvido em parceria com a Didi Chuxing - gigante chinesa de transporte de passageiros por aplicativo e dona da 99'.

Voltando ao Song Plus, o diretor da BYD informa que terá preço entre 10% e 15% maior do que o cobrado pelo Compass turbodiesel - que parte de R$ 227.921 e chega a R$ 248.079. Portanto, hoje o modelo da BYD custaria aproximadamente R$ 250 mil.

Marca chinesa também lança até o fim de 2022 um sedã médio híbrido plug-in, que pode ser o Destroyer 05 - Divulgação - Divulgação
Marca chinesa também lança até o fim de 2022 um sedã médio híbrido plug-in, que pode ser o Destroyer 05
Imagem: Divulgação

Antunes acrescenta que o novo SUV híbrido terá autonomia de até 50 km no modo 100% elétrico. Com essa autonomia, as especificações para o mercado chinês são de cerca de 180 cv e 30 kgfm.

Quanto às dimensões, o Song Plus mede 4,7 m de comprimento, 2,76 m de distância entre-eixos, 1,89 m de largura e 1,68 m de altura. A capacidade do porta-malas é de bons 574 litros.

Rede de concessionárias

BYD já tem fábricas de baterias em Manaus (foto) e de chassis de ônibus e painéis fotovoltaicos em Campinas - Divulgação - Divulgação
BYD já tem fábricas de baterias em Manaus (foto) e de chassis de ônibus e painéis fotovoltaicos em Campinas
Imagem: Divulgação

Para atingir a meta de vendas, é preciso contar com uma rede robusta de concessionárias.

Atualmente, a BYD tem apenas uma, localizada na capital paulista, mas logo esse número será multiplicado.

"Hoje temos 15 grupos nomeados em 13 capitais e duas cidades do interior, totalizando 25 concessionárias confirmadas. Até o fim de 2022, deveremos chegar a 45 pontos de venda, que também vão oferecer os serviços de pós-venda", conta o executivo.

A rede nomeada até agora inclui cidades como São Paulo, Ribeirão Preto, Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza, Recife, Goiânia e Vitória.

A previsão é de que o número suba para cem lojas até o término de 2023, acrescenta.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Siga o UOL Carros no