PUBLICIDADE
Topo

Caçada a Honda raríssimo termina com o carro no fundo do oceano

Honda Prelude SiR 1996 - Reprodução
Honda Prelude SiR 1996 Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo (SP)

29/04/2022 14h00

Entre os modelos perdidos no naufrágio do navio Felicity Ace na costa de Portugal, no Oceano Atlântico, um dos carros ali certamente não poderá ser substituído por se tratar de um modelo clássico e já bastante raro.

O carro em questão era um Honda Prelude SiR 1996, considerado o 65º exemplar feito pela montadora japonesa de 3 mil ao todo. O modelo, que era particular, acabou dando o azar de estar na embarcação do grupo Volkswagen, que continha ao todo 4 mil modelos entre veículos exclusivíssimos como Lamborghini, Porsche, Audi, Bentley e etc.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

O dono do modelo foi encontrado pela publicação The Drive. Ele é o norte-americano Gary Hawkins. Seu carro era prata e vermelho e tinha transmissão manual. No início de sua vida, ele foi vendido no Japão, exportado para a Europa e era tido como raridade. Hawkins o comprou em 2016 na Alemanha, e o guardou no país até o modelo poder ser importado pela legislação, depois de 25 anos no continente.

Hawkins tem outros dois Preludes em sua casa, e esperava o terceiro - aquele que a Honda tinha como a "visão ideal" do modelo. Ele sonhava em restaurar o carro que armazenava em outro continente há seis anos. Com um lugar em sua garagem para o modelo, ele havia viajado para a Alemanha para dirigi-lo no último ano. Foi a primeira e única vez que ele viu seu carro.

Agora, o modelo está naufragado e, por uma falha de comunicação com o transportador, não tinha seguro para a viagem aparentemente. Assim, Hawkins ficou completamente desprotegido. Entretanto, ele alega que tinha os documentos do seguro. "De toda a minha correspondência com esta empresa, entendi que todos os preços estavam reunidos", disse ele.

"Como o navio estava pegando fogo, eles recomendaram que eu procurasse uma empresa para segurá-lo, o que era impossível naquele momento com o navio já em chamas".

No entanto, mesmo em chamas, ele disse torcia para que seu carro não tivesse sido afetado. A esperança se tornou tristeza após o naufrágio. Desde então, ele tenta alguma compensação, que por enquanto não ocorreu pela confusão com o seguro. Hawkins insiste que isso se deve a um mal entendido.

Porém, ele diz que quer encontrar outro Honda Prelude da mesma edição agora. "Agora estou movendo meus esforços para encontrar outro. Eu vou acabar com meus sonhos e meus objetivos."

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.