PUBLICIDADE
Topo

Etanol aditivado: combustível vale a pena ou é desperdício de dinheiro?

Etanol aditivado é oferecido por algumas bandeiras de postos no Brasil; veja se compensa gastar um pouco mais nessa opção - Reprodução
Etanol aditivado é oferecido por algumas bandeiras de postos no Brasil; veja se compensa gastar um pouco mais nessa opção Imagem: Reprodução

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

10/04/2022 04h00Atualizada em 10/04/2022 17h57

Em meio à disparada nos preços da gasolina, aumentou o número de Estados onde o etanol é mais vantajoso para donos de carros flex. Dentre os consumidores que têm preferido o derivado da cana-de-açúcar, fica a dúvida: vale a pena gastar alguns centavos a mais e abastecer com etanol aditivado?

Especialistas consultados por UOL Carros explicam: da mesma forma que a gasolina aditivada, o etanol "diferenciado" traz detergentes e dispersantes que, de fato, previnem a formação de resíduos da combustão no interior do motor, conhecida como carbonização.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Essa sujeira se forma com o passar do tempo em componentes como bicos injetores, válvulas de admissão e cabeça dos pistões, prejudicando o desempenho e elevando o gasto de combustível e óleo lubrificante.

Além disso, o etanol "especial" conta com aditivos que reduzem o atrito entre componentes internos e fazem o consumo diminuir.

Contudo, é bom destacar: as vantagens existem, mas são pequenas.

"Vale a pena usar o etanol aditivado, considerando a diferença pequena no preço. Porém, ele não faz milagre", analisa Everton Lopes, mentor de tecnologia e inovação em energia a combustão da SAE Brasil.

O especialista destaca que a queima do etanol gera "muito menos" carbonização do que a gasolina. Contudo, pontua, ainda assim os aditivos fazem alguma diferença e, com o passar do tempo, reduzem a necessidade de manutenções como limpeza de bicos injetores, por exemplo.

"Só não espere um aumento no desempenho do veículo, considerando as especificações de fábrica. Da mesma forma que acontece em relação à gasolina, os aditivos não têm nenhum impacto nos números originais de potência e torque", diz o engenheiro.

Melhora no consumo? Não espere mais do que 1%

Siga o UOL Carros no

Em relação ao consumo, Lopes esclarece que a redução proporcionada pelo etanol aditivado é "pequena" e dificilmente passa de 1%.

"Dependendo do projeto do motor, os benefícios podem ser um pouco mais perceptíveis".

O também engenheiro Renato Romio, chefe da Divisão de Motores e Veículos do Instituto Mauá de Tecnologia, faz coro ao colega.

"No caso do etanol, por natureza a formação de depósitos é muito baixa. Assim, a opção aditivada não traz muita diferença para o motor. Em relação aos aditivos para redução no atrito, também não vejo muita diferença. Já é difícil quantificar os benefícios da gasolina aditivada", afirma Romio.

Ele, ainda assim, não vê o álcool aditivado como desperdício de dinheiro, desde que o usuário não se engane em relação aos eventuais ganhos que ele traz.

"Quem faz questão de manter o carro em ordem por mais tempo pode utilizar o etanol aditivado. Porém, se você estiver buscando economia de combustível, não acredito que essa alternativa vá trazer alguma vantagem financeira".

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.