PUBLICIDADE
Topo

Honda Civic volta ao Brasil em 2022 com média de 20 km/l e motor de Accord

José Antonio Leme

Do UOL, em São Paulo (SP)

30/03/2022 04h00Atualizada em 30/03/2022 16h56

A Honda deixou tristes fãs e donos do Civic órfãos no fim do ano passado, quando encerrou a produção do Civic nacional. O motivo do fim da produção em Itirapina (SP) foi a mudança de geração, já que a décima já estava à venda em outros mercados e seria caro demais fabricá-la aqui - considerando a queda na demanda por sedãs médios e a preferência por SUVs.

Nem por isso a Honda vai desconsiderar a base de clientes do Civic e anunciou que o novo modelo virá ao Brasil no segundo semestre deste ano, importado.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Por vir de fora, o Civic ficará mais caro do que era e não deverá ter preço equiparável ao do Toyota Corolla, líder da categoria e feito no Brasil. Por isso, a Honda optou pela versão híbrida, que lá fora tem a missão de aposentar o Insight, que era o "Civic híbrido" até então.

A novidade tem como um dos seus trunfos oferecer autonomia de mais de 20 km/l. O conjunto mecânico é quase idêntico ao do Accord híbrido: combina um motor 2.0 de ciclo Atkinson, que privilegia consumo em detrimento de performance, com dois motores elétricos.

A tecnologia é a mesma do Accord, batizada de e:HEV, e na qual apenas um motor elétrico é usado para auxiliar na propulsão, enquanto osegundo funciona como um gerador. Inclusive os modos de condução são os mesmos: EV, Hybrid e Engine Drive.

O primeiro modo usa apenas o motor elétrico para mover o Civi; já no Hybrid Drive, o motor 2.0 é usado como gerador para alimentar a bateria e recarregar, enquanto a opção Engine Drive coloca o motor a combustão para tracionar as rodas.

A bateria usada é de íons de lítio com aumento de densidade. Na prática, isso significa que cada célula da bateria aguenta receber e armazenar mais energia que modelos antigos com densidade menor, o que aumenta a autonomia

Combinados, motor a combustão e elétricos entregam 184 cv e 32,1 mkgf. Sozinho, o propulsor 2.0 rende 145 cv e 17,8 mkgf. A potência é entregue no eixo dianteiro e a transmissão é automática de relação fixa para trabalhar com o elétrico e também o motor a combustão.

Por dentro, o novo Civic traz o mesmo painel de instrumentos virtual do Accord, com tela personalizável, nova central multimídia de 10,2 polegadas com conexão a Android Auto e Apple CarPlay.

O carro traz, ainda, carregador de celular por indução no console central, banco traseiro rebatível, chave presencial em formato de cartão, ar-condicionado digital com saída para o banco traseiro e diversas entradas USB para carregar dispositivos.

Por fim, o novo Honda Civic trará o pacote Honda Sensing completo, composto por farol alto automático, frenagem autônoma de emergência, leitor de faixa com correção no volante e o Honda Lane Watch, que elimina o ponto cego do lado direito por meio de uma câmera sob o espelho.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros