PUBLICIDADE
Topo

Honda e seu novo SUV: o que esperar do sucessor do WR-V no Brasil

Honda SUV RS Concept - Divulgação
Honda SUV RS Concept Imagem: Divulgação

José Antonio Leme

Do UOL, em São Paulo (SP)

19/12/2021 04h00

A Honda vive renovação forte em sua gama no Brasil. Aposentou o Fit, renovou o City sedã e trouxe o "irmão" hatch para o lugar do monovolume.

No andar de cima, a empresa está com os CR-V e Accord totalmente renovados e em conformidade com outros mercados, além de esperar a chegada do Civic híbrido ao mercado para trazê-lo importado no segundo semestre de 2022.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Além da renovação do HR-V em 2022, a marca também se prepara para a mudança do produto mais recente da gama: o WR-V, SUV compacto que foi pensado para mercados emergentes e é baseado no agora finado Fit.

O futuro do WR-V está definido. O modelo, que foi o terceiro mais vendido da Honda em 2021, já ganhou o conceito do seu sucessor e que não deve demorar para chegar por aqui.

Isso porque não faz sentido, em termos de mercado, manter o WR-V por muito mais tempo. Fonte com conhecimento do projeto falou que "a conta não fecha para a Honda manter em produção o WR-V, agora que o carro com o qual ele mais dividia componentes [Fit] saiu de linha".

Honda SUV RS Concept - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

A Honda sempre recusou a proposta de dizer que o WR-V era uma espécie de "Fit Cross", mas sim um novo produto por ter suspensão alterada em relação ao monovolume e design próprio de faróis e lanternas, por exemplo. Por outro lado, o interior era exatamente o mesmo, bem como a parte mecânica.

Como aconteceu com o próprio WR-V, o carro que irá sucedê-lo surgiu primeiro na Ásia: o conceito SUV RS. O modelo terá linhas mais parecidas com as encontradas nos City hatch e sedã, mas com apelo levemente esportivo.

As linhas dão ao conceito SUV RS um aspecto de "mini HR-V". A expectativa é que o nome do novo modelo seja ZR-V.

Enquanto o WR-V tem seus 4,068 m de comprimento, o sucessor deve ser ligeiramente menor. Quando dizemos ligeiramente, é a realidade, já que o carro terá que ter no máximo 3,99 m para atender também o mercado indiano, onde será uma peça importante e no qual carros com menos de 4 m tem menor incidência de impostos.

Como fez com o City hatch, a Honda não abrirá mão do conceito de Magic Seat que estava presente no Fit e também no WR-V - e é um dos sucessos dessa gama de compactos.

Outra coisa que o novo compacto oferecerá é o pacote Honda Sensing, como ocorreu com o City. Que inclui assistente de farol alto, frenagem autônoma de emergência e leitor de faixa com correção no volante.

Sob o capô, a escolha deve recair no mesmo 1.5 novo que estreou no City e City hatch, com 126 cv e até 15,8 mkgf, duplo comando de válvulas variável, injeção direta e câmbio automático CVT.

Como a Honda bem frisou no lançamento do sedã, "esse cliente não faz questão de desempenho, mas considera mais forte o bom consumo do conjunto, e o 1.0 turbo teria mais desempenho, mas em detrimento de um melhor consumo".

A chegada em 2023 só muda se tivermos problemas pandêmicos novamente no País. Em 2022 será a vez de HR-V e Civic híbrido, enquanto o sucessor do WR-V, com mais jeito de SUV e menos de crossover/monovolume, fica para o ano seguinte.

Honda SUV RS Concept - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros