PUBLICIDADE
Topo

Metálica queima mais fácil? 7 verdades ou mitos sobre a pintura do carro

Fernando Garcia

Colaboração para o UOL

24/10/2021 04h00

A aparência externa do carro sem dúvida revela o quanto o dono é cuidadoso também com a manutenção mecânica. Além disso, preservar a pintura com cuidados simples e periódicos, além de garantir uma economia para seu bolso, pode te ajudar a vender o carro com mais facilidade.

O problema é que com a correria do dia a dia, muitos acabam não dando a devida atenção à lataria, que é um dos componentes que mais sofrem com os efeitos do tempo e dos agentes corrosivos do ambiente.

Para o engenheiro Marco Colosio, diretor da SAE BRASIL regional São Paulo e especialista em materiais, lavar o carro periodicamente ajuda a manter a tinta e o verniz original em bom estado e possibilitará economizar com uma possível repintura.

"Há casos de que o dono por não se preocupar em lavar e encerar a pintura, por conta da chuva ácida, exposição do sol e de dejetos de pássaros que são altamente corrosivos, acabou tendo de fazer uma repintura", explica o especialista.

Por falar em exposição do veículo ao sol, Antonio Fiola, presidente do Sindirepa-SP defende que o carro com pinturas mais escuras como a preta e a cinza merecem mais atenção, seja com cuidados extras ou até mesmo por conta do calor que incide com mais intensidade. "Há diversos estudos que comprovam de que a preta absorve muito mais do que outras cores e, consequentemente, aquece mais. Comparado a um carro prata, por exemplo, o interior de um carro preto pode ficar com até 20 ºC a mais, diz.

Com essa linha de raciocínio, as tonalidades mais escuras que tendem a esquentar mais merecem mais atenção no cuidado como respeitar maior tempo até esperar a lataria esfriar por completo e só depois lavar e fazer o enceramento. Não é nenhum segredo, mas nem sempre muitos obedecem a essa regra e acabam gerando manchas por toda a carroceria do veículo.

Com base na experiência desses dois especialistas, encaminhamos algumas das principais dúvidas a serem desmistificadas. Confira.

1- A cor preta esquenta mais o interior do carro?

Verdade. A cor preta absorve mais os raios solares, ou seja, reflete menos, por isto esquenta mais o veículo por transferência de calor para dentro da cabine. Em relação a um carro de tonalidade mais clara, a diferença pode variar até 20ºC. Além disso, um carro de tonalidade mais escura tende a gastar mais combustível, considerando o uso com mais frequência do ar-condicionado.

2- A cor branca desbota com mais facilidade?

Mito. Se a tinta branca sólida for de boa qualidade e validada pela montadora não tem perdas por desbotamento durante a sua vida útil, o que pode ocorrer é uma impregnação de sujeira, por isso o polimento para remoção dessa camada de sujeira é sempre aconselhado de tempos em tempos. Antigamente ainda se comentava muito a respeito do desbotamento, mas com a tecnologia das tintas à base d´água, além de possibilitar melhor acabamento, mantém uma vida útil maior.

3- Polimento deve ser feito sempre?

Mito. O polimento é feito apenas quando o nível de sujeira começa a desbotar a cor do carro. Como a camada tinta tem uma rugosidade superficial, essa região pode acumular sujeira e o polimento remove isso. Varia muito da condição de carros que ficam expostos ao tempo ou mais protegidos. Polir o carro sempre também é uma prática prejudicial à pintura, pois a camada protetora de verniz se desgasta podendo perder o tom original e ficar queimada pelo sol. Isso pode resultar na depreciação do carro, sobretudo se for uma tinta original de fábrica.

4- O carro precisa necessariamente ser lavado com frequência?

Verdade. A lavagem deve ser feita por causa da sujeira acumulada, que pode impregnar na superfície da tinta/verniz e desbotar a cor. Em casos extremos esse acúmulo de sujeira pode se tornar em pontos de corrosão devido a questões químicas criadas na região; acontece muito com a presença de pequenas partículas. Também a chuva ácida e materiais orgânicos de animais (aves) que se depositam na superfície podem agredir quimicamente a tinta e ou o verniz.

5- Pintura metálica queima com mais facilidade?

Mito. De acordo com Marco Colosio, diretor da SAE BRASIL, o verniz está acima da pintura para proteção contra ataques químicos, raios solares e micro riscos e tem o mesmo comportamento para pinturas metálicas ou sólidas. Ou seja, não importa o tipo de pintura, o que vale é o uso de ceras protetoras de boa qualidade. Uma cera comum, por exemplo tem a durabilidade de um mês, em média. Assim, aplicar uma cera por todo o carro mensalmente ajudar a protege-la, além de conferir um brilho a mais ao veículo.

6- A técnica do martelinho de ouro que consiste em desamassar a lataria vale a pena para todo tipo de amassado?

Mito. Esta técnica é muito eficiente em preservar as camadas de proteção da chapa, primer, coalt, basecolt, verniz etc. Ele deve ser indicado para qualquer amassado até o ponto de não danificar a tinta. Já alguns amassados / batidas que removem a tinta devem passar por funilaria tradicional.

7- O polimento técnico é uma maneira de corrigir qualquer tipo de problema na pintura?

Mito. O polimento só corrige micro imperfeição ou microrriscos, dando mais brilho à cor da tinta. Defeitos superficiais, como casca de laranja e ondulações não são beneficiados, ou melhor, são até prejudiciais pela remoção excessiva destas camadas de proteção.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.