PUBLICIDADE
Topo

BBB das multas: como funciona o carro 'dedo-duro' da CET que circula em SP

Carro que fiscaliza Zona Azul pela CET-SP - Rivaldo Gomes/Folhapress
Carro que fiscaliza Zona Azul pela CET-SP Imagem: Rivaldo Gomes/Folhapress

José Antonio Leme

Do UOL, em São Paulo (SP)

24/10/2021 04h00

Quem mora na cidade de São Paulo já deve ter cruzado com os carros populares adesivados da CET-SP. Mas alguns modelos têm chamado a atenção por uma novidade: uma série de câmeras fixadas no teto que lembram os veículos que o Google usa para fazer imagens para o Maps.

Esses carros são os "dedos-duros" das vagas de Zona Azul em toda a cidade e são operados pela Estapar, empresa que também gerencia estacionamentos pela cidade, desde dezembro de 2020.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Atualmente, a empresa tem 80 veículos que circulam diariamente pela cidade. A maioria foi montada em cima de unidades do Hyundai HB20, mas de acordo com a empresa há também os Fiat Uno e Mobi, além do Renault Kwid.

O trabalho deles é fiscalizar as mais de 53 mil vagas de estacionamento com Zona Azul existentes na capital paulista e que são divididas em 68 setores, designados por nomes de bairros.

As câmeras que vão instaladas no teto dos carros usam o sistema OCR (Reconhecimento Óptico de Caracteres), ou seja, conseguem reconhecer padrões de letras e números existentes nas placas dos carros, e estão associadas a um equipamento de GPS.

Esses dados são enviados para uma central de informações em tempo real, que faz a conferência se aquelas placas estão associadas ao sistema digital de compra de cartões de Zona Azul, além de analisar o tempo de uso do cartão que foi validado.

Cada carro tem quatro câmeras instaladas no teto, viradas para as extremidades do teto, na diagonal. Além disso, há um agente da CET, que é o responsável por fazer interpretações, em caso de, por exemplo, uma parada para embarque ou desembarque de passageiros.

Nesse sentido, o fiscal é o responsável por, por exemplo, passar novamente ali e garantir que aquele carro realmente não estacionou em uma vaga sem adotar a zona azul.

Com isso, caso haja carros estacionados cujo cartão digital de Zona Azul já venceu, ou que não estão usando, esses dados são enviados à CET-SP para que seja aplicada a multa equivalente.

Estacionar em vagas de zona azul de forma irregular é uma infração grave, que incorre em 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e multa de R$ 195,23.

A reportagem de UOL Carros perguntou a Estapar qual o custo estimado de cada um desses 80 exemplares fiscalizadores que estão rodando pela cidade, mas a empresa respondeu com uma saída à francesa em nota:

"O valor de cada exemplar é o custo do veículo somado ao valor da tecnologia necessária para realizar o processo de apoio à fiscalização digital".

Há outras funções de fiscalização no sistema?

Por mais que fosse possível usar a mesma tecnologia de leitura de placas (OCR), como já ocorre com câmeras fixas pela cidade que fiscalizam também carros roubados, com documento atrasado, entre outras irregularidades, atualmente os "veículos BBB" são utilizados apenas para a Zona Azul, segundo a Estapar.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros