PUBLICIDADE
Topo

Policiais em relação extraconjugal são flagrados por escuta na viatura

Policiais acusados de ato sexual em viatura na Inglaterra - iStock
Policiais acusados de ato sexual em viatura na Inglaterra Imagem: iStock

Do UOL

Em São Paulo (SP)

21/09/2021 16h07Atualizada em 22/09/2021 09h46

Dois policiais, um homem e uma mulher, foram dispensados da corporação após serem flagrados supostamente praticando ato sexual em uma viatura no condado de Surrey, na Inglaterra.

O caso foi denunciado após seus chefes colocarem uma escuta no carro em que estavam. O grampo revelou um diálogo de fantasias sexuais e uma fala dele: "vamos apenas ficar nus", momentos antes de um pedido urgente chegar pelo rádio, às 4h51 da manhã, comunicando um roubo em uma loja da cidade de Curry, em de setembro de 2019.

Nenhum dos dois foi ao local para dar atendimento à ocorrência, apesar de estarem a cerca de 25 minutos do crime, com a viatura estacionada em uma área deserta.

Anteriormente, às 4h17 da manhã, eles também haviam ignorado o chamado para comparecer a um hospital a apenas 15 minutos de distância da viatura, para ajudar duas vítimas de uma agressão grave em uma boate.

Após a revelação da escuta, os policiais - ambos casados com outro parceiro e com filhos - admitiram a atividade sexual, mas negaram que haviam realizado o ato na viatura.

A audiência de má conduta dos dois ocorreu em 16 de agosto deste ano. Entretanto, nenhum deles compareceu.

Apesar de os policiais admitirem que tiveram relações sexuais apenas no dia do grampo, a polícia tem evidências que dão conta de que os encontros ocorreram entre junho e setembro.

Os policiais foram acusados de enganar ativamente seu superior quanto ao estado de seu relacionamento, de terem realizado ato sexual na viatura e por não terem respondido a chamados na noite da escuta. O grampo também flagrou o policial se referindo de forma racista a um ex-colega asiático.

O julgamento ainda prossegue.