PUBLICIDADE
Topo

Você acha que dirige bem, mas essas 5 atitudes só fazem pagar mico

Manter o pé sobre o pedal da embreagem não é um hábito benéfico para o seu carro; veja outros maus exemplos - Almeida Rocha/Folha Imagem
Manter o pé sobre o pedal da embreagem não é um hábito benéfico para o seu carro; veja outros maus exemplos Imagem: Almeida Rocha/Folha Imagem

José Antonio Leme

Do UOL, em São Paulo (SP)

14/09/2021 04h00Atualizada em 19/09/2021 12h07

Tem gente que se considera motorista experiente, mas tem hábitos ao volante que provam o contrário.

Seja para demonstrar uma suposta habilidade, seja por simples desconhecimento, muitos adotam práticas que, no fim das contas, detonam o carro, elevam o consumo e até podem trazer risco à própria segurança e à de terceiros.

Como dizem, uma dose de humildade não faz mal a ninguém e nunca é tarde para aprender.

Portanto, confira cinco exemplos de condutas de motoristas que vão fazer você gastar mais dinheiro com manutenção lá adiante, além de "pagar mico".

1 - 'Descansar' o pé no pedal de embreagem

Pé no pedal de embreagem - Almeida Rocha/Folha Imagem - Almeida Rocha/Folha Imagem
Imagem: Almeida Rocha/Folha Imagem

Repousar o pé no pedal da embreagem por achar que assim você terá mais agilidade para realizar a próxima troca é a maior roubada. Sem perceber, você cria pressão sobre o pedal e reduz a vida útil do componente.

Além disso, há o risco de superaquecimento do conjunto. A pressão pode ser pequena, mas é o suficiente para afastar o platô do disco e "lixar" a peça. Alguns indícios de que você pode estar fazendo isso sem perceber é o pedal ficar cada vez mais pesado antes do prazo programado para a troca da embreagem.

2 - Descer na 'banguela'

Descida de serra - Fernanda Luz/Folhapress - Fernanda Luz/Folhapress
Imagem: Fernanda Luz/Folhapress

Em tempos de gasolina a R$ 7 em alguns lugares do Brasil, a ideia de colocar o seu carro na banguela sempre que possível parece genial, mas não é.

Como a maioria dos carros da frota circulante já usa injeção eletrônica, colocar o câmbio em neutro na descida não reduz o consumo. Isso porque o sistema continua injetando o combustível, independentemente de o câmbio estar ou não engatado.

Se você quiser economizar combustível, você pode deixar o carro rodar mais solto na descida, selecionando uma marcha mais alta, sem pisar no acelerador. Isso sim economiza combustível, porque o sistema irá enviar somente o necessário para manter o motor funcionando. Contudo, ao descer uma serra sinuosa, não deixe o carro "solto" demais por segurança e prefira marchas mais baixas.

Se o carro tem computador de bordo com consumo instantâneo, é possível verificar por ali. Ao tirar o pé do acelerador, ou o consumo instantâneo vai zerar ou vai jogar para um número irreal, como 99 km/l, dependendo da marca do veículo.

Alguns carros novos têm uma função que automaticamente desacopla o sistema de câmbio e deixa o carro rodar livre, para economizar combustível. Quando o motorista volta a pisar no acelerador, o veículo já engata a marcha ideal.

3 - Passar de lado na lombada

Lombada placa - Arte/UOL - Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

"Ih, raspou embaixo, vou passar de lado para não pegar". A prática é comum ao transpor uma lombada mais alta, mas não traz benefícios.

Pode ser que você não ouça o escapamento ou o assoalho do carro raspando, mas você vai ter outros problemas. Um deles é relacionado à estrutura do veículo.

Passar na diagonal em lombadas ou valetas redutoras de velocidades não distribui perfeitamente o peso e as forças sobre a suspensão. Com isso, você pode danificar os respectivos braços, os amortecedores e também o próprio monobloco com o passar do tempo.

O carro sofre torções na estrutura para as quais ela não foi criada ao passar na diagonal. O conselho correto é: reduza ao máximo a velocidade e passe reto mesmo. Se continuar batendo, pode ser que você esteja superando o peso útil do veículo, ou seja, carregando mais peso do que o recomendado no manual do proprietário.

4 - Frear em cima da hora

Freio - Shutterstock - Shutterstock
Imagem: Shutterstock

Acelerar e dar aquela freada brusca ao se aproximar de uma lombada, semáforo ou um obstáculo visível e previsível não está com nada - a não ser que você queira prejudicar suspensão, amortecedores e freios.

Além de exigir mais do conjunto de freio, incluindo discos, pastilhas e fluido, o mau hábito faz com que você seja obrigado a realizar a manutenção antes do prazo previsto pela fabricante do veículo.

A transferência de peso do carro toda para a dianteira também afeta os amortecedores, que ficam recebendo uma carga extra.

Por isso, o ideal é prever o caminho à frente, antecipando frenagens e evitando acelerar sem necessidade. O seu carro agradece e, ainda por cima, dessa forma você evita desperdício de combustível.

5 - Segurar carro na embreagem

Ladeira íngreme - Eduardo Anizelli/Folhapress - Eduardo Anizelli/Folhapress
Imagem: Eduardo Anizelli/Folhapress

'Segurar' o carro com câmbio manual em um aclive, dosando a embreagem e o acelerador, exige, de fato, alguma destreza e coordenação. Mas essa é uma habilidade inútil e prejudicial ao carro.

A ideia de que você vai conseguir arrancar mais rapidamente, além de ser equivocada, detona todo o conjunto de embreagem - ainda mais rapidamente do que quando você deixa o pé apoiado no pedal.

O modo correto de segurar o carro na subida é por meio do freio, para depois arrancar. Vale destacar que muitos modelos equipados com controles de tração e estabilidade contam com assistente de partida em rampa - que mantém os freios acionados por alguns instantes após você tirar o pé do pedal.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.