PUBLICIDADE
Topo

'Primeiro da fila', brasileiro conta como é ter Tesla mais rápido do mundo

Anderson Dick e seu Tesla Model S Plaid de US$ 130 mil; brasileiro é um dos primeiros clientes a receber versão de topo do sedã elétrico em todo o mundo - Arquivo pessoal
Anderson Dick e seu Tesla Model S Plaid de US$ 130 mil; brasileiro é um dos primeiros clientes a receber versão de topo do sedã elétrico em todo o mundo
Imagem: Arquivo pessoal

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

03/08/2021 04h00

Com três motores, volante que parece manche de avião e aceleração insana, o Tesla Model S Plaid é um dos carros produzidos em série mais rápidos do planeta.

Capaz de acelerar de zero a 96 km/h em apenas 1,99 segundo, o sedã 100% elétrico da empresa de Elon Musk tem um brasileiro entre seus primeiros compradores em todo o mundo.

Morador de Atlanta, no Estado norte-americano da Geórgia, Anderson Dick recebeu seu Tesla no último dia 24, após quase um ano de espera pelo carrão - o mais caro e potente da marca californiana, com preço sugerido de US$ 130 mil (cerca de R$ 671,5 mil na conversão direta) e 1.034 cv.

Sedã Tesla Model S Plaid tem 3 motores e vai de zero a 96 km/h em menos de 2 segundos - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Sedã Tesla Model S Plaid tem 3 motores e vai de zero a 96 km/h em menos de 2 segundos
Imagem: Arquivo pessoal

Curiosamente, Dick é um apaixonado pelo cheiro de gasolina e sua trajetória profissional está ligada de forma umbilical a motores a combustão. Fundador e CEO da FuelTech, fabricante de injeções programáveis, Anderson é figura conhecida entre amantes de corridas de arrancada.

Além do Model S Plaid, o gaúcho tem na garagem carros como Chevrolet Corvette C8 e Ferrari F355 Spider - ambos modificados por ele, incluindo injeção da própria firma, que se tornaram uma espécie de vitrine do que a empresa é capaz.

Model S Plaid é o automóvel produzido em série mais rápido do planeta, segundo Elon Musk - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Model S Plaid é o automóvel produzido em série mais rápido do planeta, segundo Elon Musk
Imagem: Arquivo pessoal

"Na verdade, já tive outro Model S durante dois anos nos EUA. Carros elétricos vieram para ficar, é só questão de tempo para se tornarem maioria nas ruas. Como empresário, minha função também é entender as novas tecnologias no que se refere a performance, de olho no futuro. Nada melhor do que um produto que é referência na sua área, com espaço para a família", analisa o pai de três meninos.

Drag race contra Corvette de 1.090 cv

Dick já gravou disputa do Model S contra seu Corvette mexido, mas faz mistério sobre ganhador - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Dick já gravou disputa do Model S contra seu Corvette mexido, mas faz mistério sobre ganhador
Imagem: Arquivo pessoal

Dick, que também atua como youtuber, já publicou um vídeo com suas primeiras impressões do Model S Plaid. Nos próximos dias, irá produzir mais conteúdo a respeito da nova aquisição - incluindo uma drag race em autódromo contra seu Corvette "mexido", cujo ganhador ele ainda mantém em segredo.

O brasileiro já conseguiu comprovar no uso diário que, apesar de sentir falta do "ronco" proporcionado por motores a combustão, o desempenho do Tesla é mesmo de tirar o fôlego, superando facilmente Ferraris, Lamborghinis e Bugattis de alta cilindrada.

Basta pisar fundo que as costas imediatamente "grudam" no banco em quase total silêncio. Anderson, inclusive, não pretende, ao menos em um primeiro momento, modificar o sedã em busca de mais desempenho, como faz nos seus automóveis convencionais.

Volante polêmico

Volante "Yoke" dispensa a parte superior e mais se parece com o manche de um avião; gostou? - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Volante "Yoke" dispensa a parte superior e mais se parece com o manche de um avião; gostou?
Imagem: Arquivo pessoal

Mais do que alta performance, pontua, o que tem chamado sua atenção no Tesla é a tecnologia disponível - e o jeito incomum como ela é utilizada.

O volante não tem a parte superior e é mais largo do que o usual; o câmbio dispensa alavanca ou botões convencionais; e a vasta maioria dos comandos é realizada por meio da grande tela tátil no console central, que lembra um tablet enorme.

Maior parte dos comandos está na tela multimídia; botões do câmbio ficam ocultos junto ao pisca-alerta - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Maior parte dos comandos está na tela multimídia; botões do câmbio ficam ocultos junto ao pisca-alerta
Imagem: Arquivo pessoal

"Quando eu fecho a porta, coloco o cinto e piso no freio, o carro automaticamente ativa a ré se houver espaço livre atrás. Se eu dsafivelo o cinto, o Tesla já seleciona a posição 'P' [park]. Se quiser andar para a frente, basta deslizar o dedo para cima no canto esquerdo da multimídia. Funciona muito bem".

Também há uma fileira de botões virtuais no console, junto ao pisca-alerta, com as opções "P", "R" (Ré), "N" (Neutro) e "D" (Drive) - que se acendem ao toque de um dedo.

Outro recurso muito falado (e polêmico) dos carros da Tesla é o Autopilot, que ativa a função de condução semiautônoma do carro.

Painel exibe carga das baterias; Autopilot exige colocar mão no volante após alguns segundos - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Painel exibe carga das baterias; Autopilot exige colocar mão no volante após alguns segundos
Imagem: Arquivo pessoal

Ao contrário do que muita gente pensa, esclarece Dick, o recurso não fica ativado indefinidamente - como em automóveis semiautônomos de outras marcas, é preciso colocar as mãos no volante e olhar para a pista depois de um tempo - caso contrário, dentro de aproximadamente 30 segundos o veículo começa a emitir sinal luminoso no painel, seguido por um bipe, para que o condutor ponha as mãos na direção.

Se os avisos forem ignorados, salienta, o Tesla vai para o acostamento, se estiver houver um, e para.

"Nessa circunstância, o Autopilot é desativado e poderá ser usado novamente apenas na próxima viagem, após o veículo ficar estacionado por algum tempo".

"Uso o Autopilot 70% do tempo. Com ele, o Model S pode trocar sozinho de faixa e sair de uma rodovia. Além disso, reconhece o sinal vermelho e para de forma autônoma, para retomar a viagem quando acende a luz verde".

Marca promete mais de 600 km de autonomia

Dick aprovou duração da carga e tempo necessário para recarregar baterias; ele não mediu alcance - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Dick aprovou duração da carga e tempo necessário para recarregar baterias; ele não mediu alcance
Imagem: Arquivo pessoal

E como fica a autonomia? Anderson ainda não rodou tanto com sua aquisição para testá-la como pretende, mas se diz bastante satisfeito tanto com a duração da carga quanto com o tempo necessário para "encher" novamente as baterias. A Tesla promete quase 640 km com uma carga completa no ciclo EPA (norte-americano).

"Não cheguei a fazer contas, mas teve um dia em que rodei bastante na cidade, mostrando o carro a amigos, e percorri mais uns 250 km na estrada. Ainda restaram uns 40% de carga", relata.

De acordo com Anderson, a recarga total em um carregador de 13 kW de parede, que mantém em casa, leva cerca de seis horas e custa aproximadamente R$ 65 ou 1/4 do custo que gastaria com combustível.

Tesla Model S Plaid é caro, mas anda mais do que carros esportivos que custam milhões - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Tesla Model S Plaid é caro, mas anda mais do que carros esportivos que custam milhões
Imagem: Arquivo pessoal

O tempo cai para cerca de 30 minutos em um carregador da rede Supercharger de 250 kW que a Tesla disponibiliza em estacionamentos e outros estabelecimentos comerciais dos EUA.

"No Supercharger, o custo é um pouco maior do que a recarga feita em casa, mas a montadora dá benefícios. Quem indica alguém para comprar veículo da marca ganha bônus para recarga equivalente a 1.600 km de autonomia".

No cômputo geral, Dick se diz satisfeito com o novo carro. Suas críticas vão para o volante "Yoke" e para a tela multimídia do banco traseiro, muito baixa e pequena na sua opinião.

"A direção especialmente é muito polêmica. Ninguém diz que gostou, embora libere área de visão diante do painel de instrumentos. A gente logo se acostuma".