PUBLICIDADE
Topo

Polícia Civil investiga influenciadores por 'drift' em ruas de BH

Bruno Torquato

Colaboração para o UOL, em Betim (MG)

20/04/2021 21h02Atualizada em 20/04/2021 22h08

A Polícia Civil divulgou hoje que abriu inquérito contra Luiz Arthur, de 27 anos, Nélio Morais, de 23, e Nicolas Mariano, de 31, por supostas manobras arriscadas com seus carros em vias públicas de Belo Horizonte e outras cidades na Região Metropolitana.

As manobras consistem em drifts - em que o carro é acelerado em curva e, ao derrapar, se move lateralmente. Os homens, que trabalham como influenciadores digitais, divulgaram os vídeos fazendo os movimentos pela internet, despertando interesse da polícia.

Agora, eles respondem criminalmente pelo Artigo 308 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e podem sofrer pena de seis meses a três anos de prisão, sete pontos na habilitação, suspensão da CNH, e multa de até R$ 3 mil.

"Eles confessaram as práticas das manobras e nós acreditamos que não só a conversa na divisão, mas a responsabilização que eles sofrerão, terá um efeito pedagógico e trará bons resultados não só para eles. O que nós queremos é paz no trânsito, precisamos de seriedade e responsabilidade na condução dos veículos", disse o delegado Wagner Sales, chefe da divisão especializada em prevenção e investigação de crimes de trânsito do Detran-MG.

Wagner, ressaltou que amanhã, 21 de abril, é o Dia Nacional da Paz no Trânsito, e destacou que, no Brasil, mais de 300 mil acidentes de trânsito acontecem por ano, com mais de 60 mil vítimas entre feridos e mortos. "São situações trágicas que atingem várias famílias e hospitais ficam cheios", completou.

Os veículos utilizados, segundo o delegado, eram BMW e Chevette. Eles teriam sido modificados para realizarem os drifts. Após passarem pelas ruas de Belo Horizonte e Região Metropolitana, eles postavam os feitos em seus perfis nas redes sociais.

Os três juntos somam mais de 800 mil seguidores somente no Instagram. Ao destacar o perigo da situação, o delegado Wagner afirmou à imprensa que os homens preferiam praticar as manobras em dias chuvosos, o que facilitaria a execução do drift.

Ele ressaltou que a prática do esporte não é crime somente se for feita em local apropriado, seguindo medidas de proteção. Por terem utilizado vias públicas, os influenciadores respondem criminalmente.

Ao UOL, Luiz Arhur, um dos influenciadores investigados, explicou que pratica drift há anos e que buscava apenas levar entretenimento e postar entre amigos.

"A princípio não tinha autódromo para gente fazer, começamos nas ruas pelo fato de causar entretenimento. Me arrependo, até hoje passo uma mensagem para incentivar as pessoas a não fazerem isso nas vias", refletiu.

Luiz destacou ainda que as documentações do veículo que utiliza estão legalizadas no Detran e que o carro tem modificação no escapamento. Ele ressaltou que já era amigo de Nélio e Nicolas, que também conheceu pela internet, antes mesmo de começar a postar os vídeos.

Questionado se eles buscavam seguidores nas redes sociais, Luiz disse que "a princípio não, era para postar entre amigos e viralizou".

Já Nicolas Mariano declarou que "não aparece em nenhuma imagem veiculada praticando manobras em via pública".

Ele concluiu que "tudo que havia para ser esclarecido já foi falado com o Dr. Wagner [delegado da Polícia Civil]".

A Polícia Civil destacou que os três respondem em liberdade e ainda não tiveram as CNH suspensas, já que as medidas serão tomadas somente com o fim das investigações.

A reportagem também tentou falar com Nélio Morais, mas ele não retornou os contatos.