PUBLICIDADE
Topo

Câmbio manual ainda vive! 5 esportivos que não abrem mão da troca de marcha

Fernando Garcia

Colaboração para o UOL

17/04/2021 04h00

Definitivamente o câmbio automático veio para ficar, quer você queira ou não. Atualmente este tipo de transmissão derrubou preconceitos e vem ganhando cada vez mais o mercado, inclusive no segmento dos carros populares.

No entanto, para o deleite dos puristas e amantes da velocidade, algumas marcas premium de carros superesportivos ainda resistem e continuam oferecendo o sistema de trocas manuais no assoalho, à la gearhead. Abaixo listamos alguns deles. Aproveite!

1. BMW M3

BMW M3 2021 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

São 35 anos de história desde o primeiro M, o icônico M3 de codinome E30. Em sua sexta geração, lançada no mercado global em março de 2021 junto com o M4 (Coupe), a BMW procurou preservar os principais atributos para os amantes de uma tocada mais esportiva.

Para isso, a linha M seguiu a cartilha: grande litragem, ronco encorpado, seis cilindros em linha, tração traseira e claro, a opção da tradicional transmissão manual de 6 velocidades. Associado a essa caixa está o motor BMW TwinPower Turbo S58 em linha de 3.0 litros com 480 cv de potência e 56,08 kgfm de torque, que permite o M3 acelerar de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos com velocidade de 250 km/h.

2. Porsche 911

Porsche 911 Turbo S - Divulgação/Porsche - Divulgação/Porsche
Imagem: Divulgação/Porsche

Falar que o 911 é clássico é redundante. Afinal, são quase 60 anos cuja origem remete ao Fusca. O motor boxer de seis cilindros até que perdurou por um bom tempo com refrigeração a ar, mas em 1998 foi substituído pelo à água. Não bastasse isso, as gerações seguintes vieram tecnológicas demais, que auxiliavam no modo de condução e nem mesmo o câmbio manual foi mantido.

Mas, na linha 2020, a Porsche voltou a oferecer aos Carrera S e Carrera 4S a opção da caixa manual com sete marchas e que se mantém até hoje. Com essa transmissão, o Carrera S vai de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos e tem velocidade máxima de 308 km/h. Opcionalmente, há o pacote Sport Chrono, que aumenta ainda mais o prazer de guiá-lo.

3. Toyota GR86

2022 Toyota GR 86 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Segunda geração do GT86 ou BRZ, vendido pela Subaru, o Toyota GR86 foi apresentado recentemente, e com ele veio uma série de melhorias como o emprego de painéis da carroceria em alumínio para ficar mais rápido e divertido.

Por falar em diversão, a tração traseira e freio de mão tradicional para drift continuam presentes. Junte isso ao motor aspirado 2.4 de quatro cilindros boxer e com injeção direta e indireta de 235 cv, tração traseira e o indispensável câmbio manual de seis velocidades - que faz parte da reza no culto JDM - que é brincadeira na certa! Os números dizem por si só: de 0 a 100 km/h em 6,3 segundos, ou 1,1 segundo a menos que o antigo 2.0.

4. Ford Mustang Mach 1

Ford Mustang Mach 1 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

O clássico Mach 1 "voltou às pistas" no fim do ano passado após um hiato de 17 anos. Vendido em edição limitada, o novo muscle car da Ford foi buscar inspiração no modelo original criado em 1969 e que quebrou 295 recordes de velocidade e resistência nas pistas, sempre com câmbio manual como manda a tradição.

Os engenheiros optaram, ao menos nos EUA, pela transmissão manual Tremec 3160 de seis velocidades do Shelby GT350 acoplado ao propulsor Coyote V8 de 5,0 litros e 480 cv de potência.

5. Aston Martin Vantage

Aston Martin Vantage F1 Edition - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

A marca do agente britânico 007 ainda cultiva em sua linha alguns modelos clássicos como o Vantage, criado desde a década de 1950 e que é um dos carros de referência. O atual Aston Martin Vantage conta com um motor V8 biturbo de 4 litros com 510 cv de potência disponíveis a 6.000 rpm e torque de 69,85 kgfm disponibilizados entre 2.000 a 5.000 rpm.

Ele vem ligado a uma caixa manual de 7 velocidades, a mesma que equipa a edição limitada AMR do Vantage apresentada no ano passado e que inclusive já confirmou que será disponibilizada também para o mercado brasileiro sob encomenda a partir do segundo semestre.