PUBLICIDADE
Topo

Toyota Corolla Cross é lançado: veja preços, versões e primeiras impressões

José Antonio Leme

Do UOL, em São Paulo (SP

11/03/2021 19h30

A Toyota apresentou oficialmente seu inédito produto no mercado nacional, o Corolla Cross. O SUV é o grande lançamento da marca para 2021 e chega para disputar um segmento no qual a empresa não tinha grande representatividade até agora.

O nome não é coincidência, afinal ele usa a mesma plataforma modular TNGA do "irmão" sedã. Produzido na fábrica de Sorocaba (SP), o SUV será oferecido em quatro versões com nomes exclusivos, diferentes do sedã: XR, XRE, XRV Hybrid e XRX Hybrid.

As primeiras unidades chegam às lojas no dia 25 de março. Segundo a Toyota, mesmo com a restrição imposta por nova fase no Estado de São Paulo, as datas estão mantidas.

Preços

+ Corolla Cross XR: R$ 139.990

+ Corolla Cross XRE: R$ 149.990

+ Corolla Cross XRV Hybrid: R$ 172.990

+ Corolla Cross XRX Hybrid: R$ 179.990

Além disso, para o lançamento, a marca terá uma série limitada a 1.200 unidades, batizada de Special Edition que é baseada na XRX Hybrid, de topo, e custa R$ 183.980.

A diferença de valor traz a mais carregador de smartphone por indução e outros acessórios, como estribo lateral, soleira nas portas e bandeja no porta-malas. Todos os itens poderão ser adquiridos separadamente no concessionário no ato da compra.

Itens de série

Toyota Corolla Cross XRX  - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

Desde a versão de entrada XR há sete airbags, câmera de ré, ar-condicionado, central multimídia com integração a Android Auto e Apple CarPlay, controles de tração e estabilidade e assistente e partida em rampa.

Outros itens são o sensor de estacionamento traseiro, acendimento automático dos faróis com ajuste de altura e faróis de neblina de LEDs, além de fixação de cadeirinhas com sistema Isofix no banco traseiro. Há computador de bordo com tela de TFT de 4,2 polegadas e espelhos retrovisores elétricos, além de função Sport (apenas para as versões a combustão).

A partir da versão XRE adiciona limpador do para-brisa automático, sensor de chuva e linhas dinâmicas que aparecem na central multimídia na hora de manobrar o carro de ré. Traz ainda chave presencial com partida no botão. A XRE é a única que conta com aletas para trocas de marcha atrás do volante.

As versões híbridas contam com sensor de estacionamento dianteiro, alerta de ponto cego com alerta sonoro e visual e o alerta de tráfego traseiro cruzado - é o sistema que aponta se há carros vindo quando se está saindo de uma vaga, por exemplo, de shopping. Aqui a função extra no modo de condução é a Power, acionada no console central.

Também nas versões híbridas há o pacote Toyota Safety Sense (TSS). Ele inclui a frenagem autônoma de emergência com alerta de colisão frontal e detecção de pedestres e ciclistas.

Completa o pacote alerta de saída de faixa de rodagem com correção no volante, farol alto automático (identifica outro carro na frente ou no sentido contrário e reduz o facho automaticamente) e controle de velocidade adaptativo, que mantém a distância estabelecida do carro à frente, freando ou acelerando sozinho o veículo.

Exclusivo da versão de topo, XRX Hybrid, é o banco do motorista com ajuste elétrico em oito posições, o ar-condicionado automático de duas zonas e com saída para os ocupantes do banco traseiro, e o teto solar com função antiesmagamento.

Por fim, há também o painel de instrumentos virtual com tela de 7" e que nas extremidades tem mostradores analógicos, do sistema híbrido à esquerda, e de temperatura e combustível à direita da tela.

Acabamento

Toyota Corolla Cross XRX 	 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

Há diferenças no acabamento entre as versões. A XR usa rodas de 17 polegadas de liga leve com pneus de medida 215/60 R17, enquanto as demais utilizam rodas de 18 polegadas com pneus na medida são 225/50 R18.

No caso das versões XRE e XRV Hybrid, tem acabamento diamantado com detalhes em cinza escuro. Para a de topo, XRX Hybrid, é preto e diamantado.

Por dentro, a XR traz acabamento de tecido nos bancos na cor preta. As intermediárias XRE e XRV Hybrid têm couro e material sintético preto, enquanto a variante de topo, XRX Hybrid, aposta no couro de cor bege para revestir os assentos.

Dimensões e mudanças

Toyota Corolla Cross XRX - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

O Corolla Cross, apesar de usar a mesma plataforma do Corolla sedã, tem diferenças de medidas. São 4,46 metros de comprimento, 1,62 m de altura, 1,82 m de largura e entre-eixos de 2,64 m. O porta-malas tem 440 litros, 40 a menos que a versão oferecida na Ásia por causa do estepe temporário - o modelo asiático usa sistema de reparo rápido.

Ele é mais comprido, largo e alto que o sedã, mas tem um entre-eixos 6 cm menor e o porta-malas também perde em 30 litros. Isso porque, apesar de todos serem produzidos sobre a base TNGA, o SUV veio derivado do hatch do Corolla, que nunca foi vendido oficialmente no Brasil.

Há também alterações estruturais. Enquanto o sedã aposta em uma suspensão traseira independente multilink, o SUV traz a mais tradicional e barata construção com eixo de torção. É o sistema usado na maioria dos veículos à venda no País, já que reduz o custo do projeto e também da produção.

Para melhorar a visibilidade e, consequentemente a segurança, a Toyota conseguiu deixar as colunas A (dianteiras) mais estreitas, reduzindo a espessura em 7 mm sem prejudicar a segurança, graças aos tipos de aço utilizados na construção.

Além disso, a marca diz que essa alteração ajudou a reduzir o ruído do vento na cabine. Os espelhos retrovisores foram fixados nas portas em uma posição que também aumenta o campo de visão do motorista, especialmente para enxergar pedestres.

Primeiras impressões ao volante

Toyota Corolla Cross XRX - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

Em termos gerais seria possível "copiar e colar" as impressões do Corolla sedã para o SUV, apesar de ter uma posição de guiar bem elevada e que, mesmo no ajuste mais baixo, mantém o motorista em um ponto elevado. Quando você entra na versão de topo e tem uma visão do interior, a sensação é de estar no sedã.

Posição dos instrumentos, acabamento e o mesmo volante facilitam a confusão mental para entender que você está no SUV e não no irmão mais velho. Isso é bom, o acabamento tem qualidade, é fácil encontrar os comandos e a ergonomia é adequada para motorista de qualquer estatura.

A condução traz as mesmas benesses que foram adicionadas ao sedã na atual geração. Tem uma calibragem melhor de suspensão e do sistema da assistência elétrica da direção. Isso significa que o carro passa uma resposta melhor do contato dos pneus com o piso.

No curto contato, na pista de teste da Toyota no interior, foi possível ver que o equilíbrio encontrado no sedã, com suspensão mais firme, mas ainda confortável, continua presente também no SUV. Isso significa que, em curvas e buracos, a suspensão não balança tanto, mas também não maltrata os ocupantes com excesso de firmeza nos amortecedores.

Para as versões XR e XRE, a Toyota traz o motor Dynamic Force quatro cilindros 2.0 e flexível, que rende até 177 cv e 21,4 mkgf quando abastecido com etanol. Nas híbridas XRV e XRX, a combinação é do 1.8 flexível de até 101 cv e 14,5 mkgf com dois elétricos de 72 cv e 16,6 mkgf. Combinados, entregam 122 cv.

Em termos gerais, eles dão conta do peso em ordem de marcha que pode chegar a 1.450 kg. Mas, para isso, o motor "grita" e o giro elevado invade a cabine, mesmo com o bom isolamento acústico. A engrenagem extra na transmissão para garantir um arranque mais ágil funciona e esse é o melhor momento de dinâmica do SUV.