PUBLICIDADE
Topo

Quem dá lucro permanece, quem não dá fecha, diz Bolsonaro sobre a Ford

Do UOL, em São Paulo

14/01/2021 21h16

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que a saída da Ford do Brasil é parte da "dinâmica do mercado" e resultado da concorrência. A declaração foi dada hoje à noite, durante live semanal nas redes sociais.

"Lamentamos profundamente o que aconteceu, mas num país democrático, onde se respeita a liberdade de mercado, quem dá lucro permanece, quem não dá lucro fecha", disse o presidente.

"A Ford, respeitosamente, mesmo com subsídio, foi incapaz de se deixar levar pela concorrência. Então, os asiáticos, carros chineses, coreanos, vieram para cá e sufocaram a Ford", acrescentou.

No início da semana, Bolsonaro havia dito a apoiadores que a montadora não "falou a verdade" sobre a decisão de fechar as fábricas no Brasil. Na avaliação do presidente, a empresa queria subsídios para continuar produzindo veículos no país.

O presidente ainda classificou a competição com outras montadoras, principalmente de origem chinesa, como "concorrência predatória", que aconteceria da mesma forma em todo o mundo.

"Há três anos, a Ford anunciou que não ia mais produzir carro de passeio nos Estados Unidos. A falta de ambiente de negócios, na verdade, eles tiveram subsídios nossos ao longo dos últimos anos de R$ 20 bilhões. Queriam renovar subsídio para fazer carro para vender. Agora, tem a concorrência também... Chinesa, entre outras. Saiu porque, em um ambiente de negócio, quando você não tem lucro, você fecha", disse o presidente, na última terça-feira (12).

Mourão surpreso com decisão

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) demonstrou ter ficado surpreso com a decisão da Ford. "Não é uma notícia boa. Me surpreende essa decisão [de deixar o Brasil] que foi tomada pela empresa, que está há mais de 100 anos no Brasil. Eu acho que a empresa poderia ter retardado isso mais, e aguardado, até porque o nosso mercado consumidor é muito maior do que outros por aí."

Para a economista Cristina Helena Pinto de Mello, doutora em economia de empresas pela FGV, "está claro que houve uma disputa pela sede da Ford na América do Sul e a Argentina ganhou."

Saída do Brasil

Na última segunda-feira (11), a Ford anunciou o fim da produção de veículos e o fechamento das fábricas de Camaçari (BA), Horizonte (CE) e Taubaté (SP), além do fim da produção de veículos no país. Ao menos 5 mil funcionários serão demitidos.

A marca, que já foi uma das quatro maiores do país em volume de vendas, já tinha fechado a unidade de São Bernardo do Campo (SP) em meados de 2019, onde produzia sua linha de caminhões e o Fiesta, já descontinuados.

Segundo a Ford, a decisão faz parte da reestruturação global e também no mercado sul-americano. Além disso, a montadora alegou que a pandemia de covid-19 "ampliou a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas".