PUBLICIDADE
Topo

Mourão diz estar surpreso com Ford: 'Ganhou bastante dinheiro aqui'

Do UOL, em São Paulo

11/01/2021 18h15Atualizada em 11/01/2021 20h08

O vice-presidente Hamilton Mourão se disse "surpreso" com o fechamento de fábricas e o anúncio do fim da operação da Ford no Brasil. Mourão afirmou que a multinacional americana "ganhou bastante dinheiro aqui" e que poderia ter "aguardado" ou "retardado" a decisão. A saída da Ford também foi comentada por agentes políticos como o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o governador paulista João Doria (PSDB).

"Não é uma notícia boa. Acho que a Ford ganhou bastante dinheiro aqui, no Brasil, né? Me surpreende essa decisão [de deixar o Brasil] que foi tomada pela empresa, que está há mais de 100 anos no Brasil, desde 1921. Eu acho que a empresa poderia ter retardado isso mais, e aguardado, até porque o nosso mercado consumidor é muito maior do que outros por aí", afirmou Mourão, em entrevista à CNN Brasil.

Em sua conta do Twitter, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), declarou que a decisão da Ford reflete "falta de credibilidade do governo" em segurança jurídica e sistema tributário.

A saída da montadora também foi lamentada pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ainda não se manifestou sobre o assunto até o início da noite de hoje.

Ford encerra produção no Brasil

A Ford optou pelo encerramento da produção de veículos no Brasil, com o fechamento das fábricas que a montadora mantém em Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE), onde é fabricado o utilitário 4x4 T4, da Troller. Com isso, a operação brasileira da oval azul ficará restrita à importação de modelos, como hoje acontece com o SUV Territory, trazido da China.

As operações na Argentina e no Uruguai devem ser mantidas, bem como permanecem em operação no Brasil o Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, o Campo de Provas, em Tatuí (SP), e sua sede regional em São Paulo.

A marca, que já foi uma das quatro maiores do país em volume de vendas, já tinha fechado a unidade de São Bernardo do Campo (SP) em meados de 2019, onde produzia sua linha de caminhões e o Fiesta, já descontinuados.

Segundo a empresa, a decisão faz parte da reestruturação global e também no mercado sul-americano.

"A Ford está presente há mais de um século na América do Sul e no Brasil e sabemos que essas são ações muito difíceis, mas necessárias, para a criação de um modelo saudável e sustentável. Estamos mudando para um modelo de negócios ágil e enxuto ao encerrar a produção no Brasil, atendendo nossos consumidores com alguns dos produtos mais empolgantes do nosso portfólio global", afirma Jim Farley, presidente e CEO da Ford.

Cinco mil serão demitidos

A Ford informou que ao menos cinco mil trabalhadores serão demitidos no Brasil e na Argentina, mas não especificou qual será a divisão por país.

Ao UOL, a Ford explicou que está definindo os planos de indenização aos trabalhadores e que, nos casos em que se aplicar, a indenização será definida como parte do processo de negociação com os respectivos sindicatos. Segundo a CNN Brasil, o sindicato em Taubaté deve se reunir ainda hoje, às 17h30, para discutir a situação. Amanhã será a vez do sindicato em Camaçari.