PUBLICIDADE
Topo

Testamos: Mercedes-AMG GLE 53 tem 'alma' de esportivo em corpo de SUV

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

09/12/2020 04h00

Resumo da notícia

  • SUV de R$ 681.900 tem motor 3.0 que entrega 435 cv
  • Mesmo com 2,2 toneladas, carro vai de 0 a 100 km/h em 5,3 s
  • GLE 53 impressiona por dentro, mas peca pelo excesso de informações

Vamos ser sinceros: é difícil acreditar que um SUV gigante como o GLE honre a história da AMG. Pelo menos foi o que pensei ao retirar o imponente GLE 53 na sede da Mercedes-Benz, em São Bernardo do Campo (SP).

Só que alguns detalhes entregam que eu estava redondamente enganado.

O primeiro deles surge logo ao dar a partida: um ronco discreto, mas encorpado, indica que existe algo diferente debaixo do longo capô. É possível, aliás, regular sua intensidade por meio de um pequeno botão (configurável) que fica no volante.

Confusão total

Mercedes AMG GLE 53 1 - Divulgação - Divulgação
Cabine é elegante e tecnológica, mas tem muita informação
Imagem: Divulgação

Botões, inclusive, é o que não falta na cabine do GLE 53, que está à venda por R$ 681.900.

Confesso que me senti perdido nos primeiros momentos diante de tantos comandos. Neste quesito, a Mercedes ainda precisa trabalhar melhor a usabilidade de seus carros.

Alguns comandos são pouco intuitivos, como os pequenos touchpads que ficam nos raios do volante. Sim, eles são muito práticos para navegar pelos menus, mas apenas depois que você descobre como eles funcionam.

Fato é que dificilmente o motorista se sente à vontade nos primeiros momentos, algo que não acontece em modelos da Audi, por exemplo. Pelo menos as duas gigantescas telas de 12,3 polegadas que agrupam o quadro de instrumentos e a tela da central multimídia ajudam o condutor a se encontrar no SUV.

Destaque positivo também vai para o sistema MBUX, a assistente pessoal que reconhece comandos de voz. Por meio dela é possível executar funções como regular a temperatura do ar-condicionado (o sistema identifica de onde vem a voz e realiza a mudança no lado do motorista ou passageiro), mudar a estação do rádio ou fechar a persiana do teto solar.

Muito luxo para 7

Mercedes AMG GLE 53 2 - Divulgação - Divulgação
Bancos confortáveis possuem abas pronunciadas
Imagem: Divulgação

O nível de sofisticação a bordo é elevado como em todo Mercedes-Benz. Sorte dos sete ocupantes (configuração inédita na linha GLE até então), que desfrutam de espaço de sobra para viajar dentro do SUV. Até o porta-malas ficou mais generoso: segundo a marca, são 825 litros com a terceira fileira de bancos recolhida e 2.055 litros apenas com os bancos dianteiros em uso.

Alguns detalhes são típicos dos carros da marca, como a alavanca do câmbio automático do lado direito (atrás do volante, onde normalmente ficam os comandos dos limpadores de para-brisa) e os botões nas portas para regulagem elétrica dos bancos.

Falando neles, eles são extremamente confortáveis e possuem abas mais pronunciadas por se tratar de uma versão AMG. Pedaleiras são feitas em alumínio e alguns detalhes internos evocam esportividade.

Pacato... só que não

Mercedes AMG GLE 53 3 - Divulgação - Divulgação
Motor 3.0 possui sistema híbrido-leve
Imagem: Divulgação

O GLE 53 é movido por um motor 3.0 de seis cilindros em linha, que, combinado a um sistema híbrido-leve, entrega 435 cv. Embora não seja o ápice da esportividade dentro da gama AMG (cabe aos modelos 63 exercerem esta função), o SUV não decepciona quando provocado.

São necessários 5,3 segundos para ir de 0 a 100 km/h, nada mal para um monstro de 2.230 quilos. Como na maioria dos esportivos alemães, a velocidade máxima é limitada eletronicamente em 250 km/h.

Bom saber também que o sistema de freios conta com discos de 400 mm na dianteira com pinças fixas de dois pistões e de 345 mm na traseira, com pinça flutuante de um pistão.

Mercedes AMG GLE 53 4 - Divulgação - Divulgação
SUV precisa de apenas 5,3 segundos para chegar aos 100 km/h
Imagem: Divulgação

Apenas o GLE 53 oferece o seletor de modos de condução. São quatro configurações: Comfort, Sport, Sport+ e Individual. Cada um possui parâmetros exclusivos, que modificam a capacidade de resposta do motor e da transmissão, amortecimento da suspensão e até o som do escape.

Talvez você nunca precise do modo Sport+, até porque um SUV do porte do GLE não foi feito para acelerar. Mas é sempre bom saber que seu carro de família pode andar junto com um sedã esportivo.

.