PUBLICIDADE
Topo

GM abre novo PDV em São Caetano do Sul para tentar cortar mais 500

Fábrica da GM em São Caetano do Sul pode realizar demissões - Leonardo Benassatto/Reuters
Fábrica da GM em São Caetano do Sul pode realizar demissões
Imagem: Leonardo Benassatto/Reuters

Do UOL, em São Paulo (SP)

28/11/2020 11h45

Resumo da notícia

  • Baixa adesão nos PDVs anteriores motivou nova abertura de programa
  • Foco está em operários com capacidade laboral reduzida; cortes podem chegar a 500
  • Sindicato diz que vai tentar evitar demissões que não sejam por PDV

A General Motors decidiu abrir um novo programa de demissão voluntária (PDV) na fábrica de São Caetano do Sul (SP). A informação foi confirmada pelo jornal "Diário do Grande ABC".

Este é o segundo PDV realizado pela empresa em três meses. Embora a montadora tivesse avisado que não utilizaria mais a ferramenta neste ano, "a baixa adesão e a persistente queda na demanda" teriam forçado a empresa a rever a decisão, segundo a publicação.

Desta vez, o foco está nos 700 funcionários com capacidade laboral reduzida.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano, Aparecido Inácio da Silva, o Cidão, atualmente existem 700 operários com capacidade laboral reduzida na unidade de São Caetano, mas o volume de profissionais ociosos chega a 500, ou 6,25% do total de 8 mil empregados.

Demissões não estão descartadas

GM São Caetano - Divulgação - Divulgação
Planta é responsável pela produção de modelos como o Tracker
Imagem: Divulgação

Cidão afirmou ao "Diário do Grande ABC" que o PDV foi aprovado pelos trabalhadores, mas ainda não foi aberto pela empresa.

A GM já havia aberto um PDV em agosto deste ano, mas a baixa adesão (293 funcionários) fez a empresa reabri-lo em outubro. O volume, porém, foi ainda menor na segunda vez.

Como a montadora havia alertado que poderia realizar demissões caso o PDV não surtisse o efeito esperado, não está descartado o anúncio de demissões.

Ao jornal, Cidão admitiu que "é difícil fazer qualquer previsão", mas reiterou "que o sindicato vai tentar agir para evitar qualquer tipo de demissão que não seja por meio de um PDV".